TELECOM

Algar Telecom diz que vai 'jogar' o jogo da Internet das Coisas para vencer

Ana Paula Lobo* ... 30/06/2017 ... Convergência Digital

Como operadora de telecomunicações, a Algar Telecom decidiu 'jogar' o jogo da Internet das Coisas para vencer e uma das suas ações foi a de delimitar o raio de atuação. "Reinventar a roda não é o caso. Não vamos fazer hardware. Sensores não são o nosso negócio", pontua o presidente da Algar Telecom, Jean Borges. 

A operadora recém-estruturou um Centro de Inovação e Desenvolvimento de Soluções Digitais, sob o comando do diretor de Inovação, Osvaldo Carrijo. A proposta é que essa unidade tenha como base quatro pilares - Inteligência Artificial, Big Data, Analytics e cibersegurança.

"Entendemos que a conectividade é a base da Internet das Coisas e temos o nosso papel nessa estrutura, mas queremos e podemos mais. A camada de aplicações será um vetor de oportunidades e estamos construíndo um trabalho para ser forte nelas, que serão centenas, milhares em diferentes segmentos. Acreditamos que 90% das aplicações vão rodar em IoT nos próximos anos", reforça Jean Borges.

A ambição de tornar a operadora mineira numa operadora nacional está centrado no mercado corporativo - e a operadora já contabiliza 33 mil quilômetros de rede de fibra óptica - mas o presidente da Algar Telecom clama pela aprovação do PL 79/2016, que revisa as regras do setor de Telecomunicações. "A destinação de gastos para uma máquina que está falida como é o caso, por exemplo, dos orelhões, é irreal. Perde a sociedade, perde todo mundo, já que faltam recursos para investir em negócios mais relevantes", pondera o executivo. A Algar Telecom possui concessão em 87 municípios de Minas Gerais e Goiás, sendo que apenas 11 deles têm mais de 50 mil habitantes.

Borges é cético com relação à prazos para o PL 79 no Senado, mas reafirma que gostaria de ver o projeto aprovado ainda em 2017, como uma prova que Telecomunicações é considerado vetor de desenvolvimento no Brasil. "Estamos num momento em que haja capacidade de resiliência, de inovação. Nós temos uma situação peculiar: um EBTIDA de 36% e uma ótima fidelização dos clientes. Nossa taxa de churn (troca de operadora) é a menor do Brasil. Mas não é simples ter de gastar dinheiro em obrigações, que hoje são ultrapassadas e caras", salienta.

Na área de concessão, além de investir na troca do par metálico pela fibra óptica para melhorar a qualidade da banda larga fixa, a Algar Telecom. no mercado móvel, também incentiva a aquisição de smartphones. A operadora, assim como outras do mercado, retomou a política de subsídios aos clientes. "Precisamos que os consumidores migrem para o 4G. O smartphone é o dispositivo para isso. Teremos um melhor uso do nosso espectro. Facilitar a compra do smartphone é uma política de negócios. Dados são a nossa receita e carro-chefe", completa Borges.

*A jornalista viajou a Uberlândia a convite da Algar Telecom


AmericaNet: Não faz sentido ter de construir rede por conta de direito de passagem

Inovação é a palavra-chave para a operadora competitiva competir no mercado de telecom, diz o vice-presidente da AmericaNet, José Luiz Pelosini. Ele lamenta que aspectos regulatórios inviabilizem a expansão dos negócios. "Compartilhamento ainda é um entrave".

Use Telecom: "Não conseguimos um real sequer do BNDES e da FINEP"

André Costa, CEO da operadora, com atuação na Bahia e no Sergipe, diz que o governo cobra muito e devolve pouco. Sobre o compartilhamento é taxativo: "O acordo entre a Anatel e Aneel pelos postes não é praticado em nenhum lugar do Brasil".

TIM abre laboratório para projeto de rede do Facebook na América Latina

Operadora será responsável pelo primeiro Telecom Infra Project Community Lab ("Laboratório Comunitário TIP") da região.

Faltam dinheiro e apoio para a construção de rede no Brasil

"Falta apoio dos órgãos públicos, falta financiamento acessível, falta vontade de fazer", diz Rui Gomes, CEO da UMtelecom, empresa que atua na Região Nordeste.

Juarez Quadros: "Estamos prontos para arbitrar disputas pelo compartilhamento"

O presidente da Anatel admite que para as operadoras competitivas há mais dificuldades para celebrar acordos com as concessionárias, mas diz que é preciso levar o embate para o órgão regulador.

Teles afirmam que bloqueio de celular em presídios é exigência inconstitucional

Em nota, o SindiTelebrasil adverte que o Supremo Tribunal Federal já decidiu sobre o tema em leis dos estados da Bahia, Mato Grosso do Sul, Paraná e Santa Catarina. Se o PL 3019/15 for aprovado no Senado, as operadoras terão de instalar, manter e gerenciar os sistemas.


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G