INCLUSÃO DIGITAL

Quase três anos depois, provedores ainda lutam por preço menor por postes

Luís Osvaldo Grossmann ... 05/07/2017 ... Convergência Digital

Alvos de um seminário promovido nesta quarta, 5/7, pela Anatel, os pequenos provedores de acesso a internet aproveitaram a reunião para lembrar que ainda existe uma série de gargalos que dificulta a atuação dessas empresas no mercado. Em especial, apontam para problemas na aplicação do valor de referência no aluguel de postes do setor elétrico. 

“O provedor, para ser competitivo, chega com internet em valor reduzido e acaba com tíquete médio baixo. E precisa, portanto, ter custos reduzidos, e um desses fatores é o poste. Mas como foi demonstrado no estudo recente de uma consultoria, o preço dos postes ainda vai de R$ 3 a mais de R$ 20”, destacou o diretor da Abranet, André Costa. 

Vale lembrar que no fim de 2014, depois de muitas tratativas, Anatel e Aneel chegaram aos R$ 3,19 como valor de referência para o aluguel de ponto nos postes do setor elétrico pelas empresas de telecom. A queixa dos provedores é que o abismo por porte no preço cobrado permaneceu. 

Como emenda o diretor de regulação da Abrint, Carlos Godoy, o desequilíbrio é ruim para o mercado. “É necessário equilíbrio competitivo dos pequenos com grandes operadoras. Na questão dos postes, ganhamos mas não levamos. A Anatel, em esforço louvável, conseguiu acertar o preço, mas três anos depois continuamos pagando valores absurdos, muito diferente do cobrado das operadoras de grande porte, porque as ofertas publicas não aconteceram.”

Franquia

Os provedores também lamentam o avanço do PL 7182/17 (antes PLS 174/16, no Senado), que proíbe a venda de acesso a internet com previsão de limites de dados, as franquias. “Vemos com preocupação avanço do PL, porque apesar do avanço da fibra, a maior parte dos clientes ainda é atendida por rádio, o que dificulta comercialização exclusiva de planos sem franquia. Caso o PL seja aprovado, haverá aumento de preço do usuário final ou redução das velocidades disponíveis para os assinantes. É importante que Anatel conclua o mais rápido possível a análise de impacto regulatório para informar o quanto antes aos parlamentares sobre os impactos”, disse Godoy.


Carreira
Reajuste salarial de trabalhadores de TI de São Paulo ficou em 2,07%

Depois de quase um ano de divergência, patrões e empregados de TI de São Paulo fecharam um acordo de dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho. Jornada de 40 horas foi mantida na Convenção Coletiva de Trabalho 2018.

TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Parceira da Telebras amplia WiFi via satélite no México para áreas urbanas

Dois anos depois de começar a explorar banda larga satelital em áreas remotas do país, como promete fazer no Brasil, a empresa americana Viasat anuncia conexões de 100 Mbps e preços para competir com internet fixa.

CPFL: É preciso predisposição para se ter um consenso no uso dos postes

"Não é fácil, mas é preciso existir um alinhamento. Estão todos do mesmo lado", diz o diretor da CPFL, André Luiz Gomes.

Swap de fibras é mandatório para levar banda larga em regiões desassistidas

Compartilhamento de infraestrutura é essencial para reduzir custos e definir modelos de negócios nas cidades onde as teles não investiram, observa o CEO da UmTelecom, Rui Gomes.

Brasil precisa quebrar barreiras para ter um governo único digital

"O cidadão é o mesmo no município, no Estado e no governo federal. Tem de existir um atendimento único. Não pode ter briga com as Prods. Esse é o nosso desafio", afirma o diretor de Operações do Serpro, Iran Porto.

Telebras considera preços defendidos pelo TCU como 'sugestão', não como 'obrigação'

Presidente da estatal, Jarbas Valente, espera concluir negociações com a Viasat antes do prazo de 90 dias determinado pelo Tribunal.

TCU libera GESAC, mas exige mudanças no contrato entre Telebras e Viasat

Tribunal de Contas reconheceu como válida a inexigibilidade de licitação pela Telebras. Também entendeu como legal o acordo firmado com a Viasat, mas exigiu uma renegociação de condições financeiras mais favoráveis.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G