GOVERNO » Legislação

Dados pessoais: Empresas de software dizem que agência de proteção é mal necessário

Luís Osvaldo Grossmann ... 13/07/2017 ... Convergência Digital

Pelo menos uma parte das empresas de tecnologia que atuam no país defende a criação de um órgão regulador da proteção de dados no país, ainda que igualmente sustentem a menor regulamentação possível nesse campo. Como apontou o presidente da Associação Brasileira das Empresas de Software, Francisco Camargo, em debate na comissão que avalia os projetos de lei sobre o tema, uma agência pode pairar acima da barafunda de regulamentações. 

“Não é uma solução boa. Mas face a complexidade da legislação brasileira, para evitar qualquer dúvida ou falta de segurança jurídica, talvez tenha que ser criada uma agência de proteção de dados. Uma agência tipo Anac, Anatel, uma coisa de dados, uma agência pequena mas que regulamentasse o fluxo de dados, a segurança de como os dados tem que ser armazenados”, afirmou. 

Para a entidade, mais importante é que o Brasil encontre um meio-termo entre o laissez-faire americano e a regulação mais forte do modelo europeu para se beneficiar de ambos os mercados. “O fluxo internacional de dados é que vai gerar as novas cadeias de valor no mundo e a gente tem que se inserir nessas cadeias. Temos que conseguir uma coisa pragmática, que sem perder mercado americano, para onde vão 45% das vendas hoje, a gente possa também estar no mercado europeu”. 

Ainda segundo o presidente da ABES, o ponto fraco nas questões de privacidade é o próprio usuário. “Boa parte dos problemas de privacidade no Brasil decorrem de falhas do próprio usuário. O usuário que conta a vida dele no Facebook, que permite tirar fotos íntimas num celular. Então tem uma tarefa importante de educação.”


MCTIC precisa de R$ 2 bi para fechar ano e fala em 'pressão saudável' por recursos

"Temos que trabalhar, lutar e pressionar, porque não é um recurso que surge do nada. É um recurso muito disputado", advertiu o ministro da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab.

Abinee:"Com a nova TLP, o futuro da indústria é bastante nebuloso no Brasil"

Associação da Indústria Elétrica Eletrônica sustenta que a nova Taxa de Longo Prazo (TLP), no lugar da Taxa de Juros de Longo Prazo (TJLP), aprovada na MP 777, vai afetar 69% das empresas do setor que utilizam financiamentos do BNDES como fornecedoras de máquinas, equipamentos, sistemas e componentes.

Assespro e Brasscom defendem sistema distrital misto para a Reforma Política

Em comunicado conjunto, as entidades do setor de TI se mostram contra o financiamento político por parte do Estado e querem as cláusulas de barreira apenas em 2022. "É preciso darmos uma opinião setorial porque é uma reforma estruturante", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.

Incentivos para internet das coisas e satélite devem seguir modelo REPNBL

Segundo o secretário de Políticas de Informática do MCTIC, Maximiliano Martinhão, controle de gastos exige políticas com objetivos e prazos determinados. E metas associadas a leilões de espectro.

Governo fecha novo texto para o Refis e amplia prazo de adesão para outubro

A equipe econômica também permitirá a redução do pagamento da primeira parcela devida, desde que o débito seja de até R$ 30 milhões, e não R$ 150 milhões. Prazo para adesão, agora, passa de 31 de agosto para 31 de outubro. Governo quer arrecadar R$ 10 bilhões.



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G