TELECOM

Anatel impõe pagamento de R$ 63,625 milhões à Hispamar para prorrogar licença satelital

Ana Paula Lobo* ... 13/07/2017 ... Convergência Digital

O conselho diretor da Anatel negou nesta quinta-feira, 13/07, em reunião, em Brasília, o recurso impetrado pela Hispamar por conta do preço imposto para a prorrogação do direito de exploração do satélite.

A decisão prorroga a licença de exploração do satélite brasileiro em banda Ku, na posição 61 W, ao preço de R$ 63,625 milhões, valor 121% mais alto do que o inicialmente calculado pela área técnica, que se baseou no preço mínimo do leilão realizado no ano de 2000, quando chegou ao valor de R$ 28,704 milhões.

A Hispamar reivindicava a reconsideração do custo, uma vez queo cálculo do valor teve como base o preço de mercado do direito de uso previsto no edital de 2015 e não no de 2011, data mais próxima do pedido da prorrogação. A decisão também permitiu o satélite em órbita até o dia 02 de outubro de 2030.

O conselheiro Aníbal Diniz concordou com a empresa e calculou o preço em R$ 9 milhões, argumentando que a demora prejudicou a operadora e levou em conta maior arrecadação para o erário. Mas seu voto foi vencido. Quem também discordou foi o conselheiro Otávio Rodrigues. Ele deixou claro que o preço deveria ter sido fixado com base no edital de 2011, mais próximo à licitação do que o de 2015, que terminou servindo de base, no voto do conselheiro Rodrigo Zerbone.

O conselheiro Leonardo Morais não votou nesse tema por ter entrando no lugar de Zerbone. A decisão final foi do presidente da Anatel, Juarez Quadros. A Hispamar é uma empresa espanhola que tem a Oi como parceira no Brasil.


Oi assume negociação para participação acionária da China Telecom

Revelação acontece logo depois de o ministro Gilberto Kassab afirmar que a operadora precisa de dinheiro novo para evitar a intervenção ou a caducidade das concessões.

Telecom sofre forte queda, mas ainda lidera receita do setor de serviços

Pesquisa Anual dos Serviços do IBGE, referente a 2015, mostra que Telecomunicações gerou uma receita de R$ 162 bilhões, mas caiu de 18,9% no ranking para 11,3%. Tecnologia da Informação também perdeu posição para outros segmentos.

Claro Brasil: Modelo é o culpado pelo fracasso da interiorização da banda larga

Presidente da Claro Brasil, José Félix, sustentou que do jeito que está o modelo de telecom não tem mais jeito.

OTTs exigem mudanças, mas TV paga precisa entregar o que o consumidor quer

A verticalização do setor - onde atores estão distribuindo, programando e produzindo conteúdo - é um enorme desafio para os reguladores, diz o diretor da AT&T/DirectTV, Michael Hartmann.

Anatel vai à assembleia da Oi para votar contra plano de recuperação

Orientação é da Advocacia Geral da União. “Do jeito que está, vamos à assembleia para dizer não”, disse o presidente da agência Juarez Quadros. 

Presidente de Claro Brasil diz que pagar por TV aberta é insustentável

Para José Félix, acerto com a Simba, que reúne Record, SBT e RedeTV!, tem futuro limitado. “Não sei quanto tempo esse acordo vai durar. Um sinal que está no ar não tem que ser pago.”


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G