Convergência Digital - Home

Armazenamento em nuvem entra no top 5 dos serviços críticos ao mundo

Convergência Digital
Convergência Digital* - 10/08/2017

O armazenamento em nuvem e as instalações compartilhadas estão entre as áreas cada vez mais críticas à economia como já o são energias e águas limpas, revela estudo feito pela Vertiv, ex- Emerson Network Power, batizado como Classificação das Indústrias Mais Críticas do Mundo.

Na lista estão ainda transportes públicos, com os especialistas mencionando não só a segurança dos passageiros, mas também o impacto maciço que os atrasos e interrupções podem ter em vários negócios e mercados no mundo.

A terceira posição, ocupada pelas telecomunicações, reflete a importância da comunicação e da conectividade em atividades pessoais e empresariais, bem como em situações de emergência. Na quinta posição e em alta, despontam armazenamento em nuvem, revela o especialista Tony Gaunt, diretor sênior de instalações compartilhadas, nuvem, setor financeiro, serviços financeiros e seguradoras para a Vertiv na Ásia.

"A dependência desses serviços cresce a cada dia. Estamos no início da curva ascendente da adoção da nuvem por parte das indústrias nucleares e é provável que os serviços críticos do futuro (as redes da IoT que suportam pequenas cidades e fábricas, por exemplo) venham a ser desenvolvidos na nuvem", conclui Gaunt. Dados de consultorias confirmam o relatório.

Um levantamento do IDC mostra que dois terços das empresas globais já utilizam cloud computing e que tais serviços deverão movimentar US$ 43,6 bilhões até 2020. Já o Gartner aponta que o mercado de infraestrutura como serviço (IaaS, baseado em cloud computing) superará US$ 22 bilhões ainda neste ano, um crescimento de 38% sobre o ano passado.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis

Destaques
Destaques

Nuvem não é e não será gratuita

Os departamentos de TI precisam aceitar o fato de que só porque um aplicativo está na nuvem, não significa que ele esteja economizando dinheiro ou alcançando um retorno sobre o investimento maior.

Apenas 10% das empresas conseguem usar o big data para identificar fraudes

A maior dificuldade é identificar onde estão os dados para serem analisados. Atualmente o big data é usado para buscar pistas de anomalias financeiras, como duplicidade de pagamentos e revisão da folha de pagamento.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Criando uma arquitetura analítica para o futuro

Por Stephen Rigo*

O custo de não ter a arquitetura analítica adequada é alto, já que esse fator pode gerar problemas de incompatibilidade, governança, segurança, falta de acordos de nível de serviço, escalabilidade e problemas de extensibilidade.

O uso inteligente do Big Data a favor da indústria

Por Marlos Bosso*

Os impactos da revolução 4.0 são inevitáveis. Identrificar o que está por vir é o desafio dos executivos.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site