Convergência Digital - Home

Mercado de computação em nuvem foi de R$ 2,25 bilhões no Brasil

Convergência Digital
Ana Paula Lobo* - 14/08/2017

O mercado de computação em nuvem teve expansão de 47,4% em 2016, tendo como base os dois principais serviços do setor (SaaS e PaaS), revela o estudo anual 'Mercado Brasileiro de Software - Panorams e Tendências", da Associação Brasileira das Empresas de Software (ABES), divulgado nesta segunda-feira, 14/08. Os investimentos nesse tipo de licenciamento passaram de US$ 506 milhões, em 2015, para US$ 746 milhões ( R$ 2,25 bilhões) no ano seguinte.

Esta foi a primeira vez que o estudo trouxe a análise e a evolução percentual de utilização das três principais tendências do setor de Tecnologia da Informação: Computação em Nuvem, Internet das Coisas (IoT) e Big Data. "Com a Transformação Digital impactando tão fortemente os negócios, achamos importante trazer para o estudo dados das principais tecnologias e seus impactos no Mercado", afirma Jorge Sukarie, presidente do conselho da ABES.

De acordo com a pesquisa, o modelo de utilização que mais cresceu foi o de Aplicações Colaborativas, onde a utilização em nuvem ultrapassou o licenciamento tradicional representando em 2016, 53,3% do mercado – aumento de 133% em comparação ao número registrado em 2013. As aplicações que apresentaram segundo maior crescimento foram as de CRM, onde, apesar do licenciamento tradicional representar a maioria do mercado, a utilização em nuvem saltou de uma participação de 20,8%, em 2015, para 27,5%, em 2016.

Apesar do crescimento de Big Data e Analytics seguir em velocidade mais lenta com aumento de 3,2%, a área de análise de dados cresceu e somou US$ 809 milhões, em 2016. "Dificilmente, quando se vai a uma empresa de qualquer setor da economia, não se consegue identificar uma aplicação em que não se encaixe uma solução de Big Data e que se consiga gerar resultados que possam agilizar a tomada de decisões, tornando-as mais assertivas e trazendo maior produtividade e competitividade", aponta Sukarie.

Os setores da economia que mais investiram em Software, no ano passado, foram o de Serviços e o de Telecomunicações (investimento de US$ 2,5 bilhões e crescimento de 3,6%, em relação ao ano anterior), enquanto o que mais reduziu investimentos foi o de Finanças, com queda de 2,9%, mas que ainda é responsável por 24,5% da participação do mercado frente a 26,6% de Serviços e Telecomunicações.

Em terceiro lugar, vem a Indústria que, com investimentos na ordem de US$ 2 bilhões, tem participação de 21%, seguida por Comércio, Governo e Óleo/Gás, representando 11,9%, 4,5% e 3,9%, respectivamente. Já a Agroindústria apresentou redução de 1,5% nos investimentos em Software, mas a coleta recorde de grãos prevista para 2017 deve reverter esse quadro neste ano.

*Com informações da ABES

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis


Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.

Destaques
Destaques

Mercado de cloud está nas mãos de sete gigantes de TI

Amazon Web Services, Microsoft, Google, IBM, Salesforce, Oracle e a chinesa Alibaba são as principais empresas de serviços de nuvem no mundo. Receita de cloud chegou a US$ 117 bilhões em 2017 e a nuvem pública se consolidou como opão.

Embratel une Open Stack à rede definida por software em serviços na nuvem

Nuvem pública especializada e feita sob demanda para os clientes empresariais é a estratégia da  operadora para avançar no segmento de cloud. "Não vamos concorrer com a nuvem pública, mas o nosso serviço é desenhado para atender ao negócio", diz o diretor-exeutivo da Embratel, Mario Rachid.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Nuvem é o agora e o futuro da competitividade

Por Artur Hansen*

Em cloud, todo investimento é hermético, organizado de acordo com as justas necessidades de cada empresa.

Mão de obra é o "Calcanhar de Aquiles" da Inteligência Artificial

Por Eduardo Prado*

Em artigo exclusivo para o Convergência Digital, o consultor Eduardo Prado, mostra como os gigantes da tecnologia travam uma dura batalha para conseguir fidelizar os especialistas existentes. Ele também adverte: há uma busca desenfreada pela competência em IA.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site