INOVAÇÃO

EMBRAPII CPqD faz pedido de patente para solução de IoT e cidades inteligentes

Convergência Digital* ... 18/08/2017 ... Convergência Digital

A modernização dos sistemas de iluminação pública, que vem acontecendo em todo o país, traz uma grande oportunidade para os municípios interessados em aderir ao conceito de cidades inteligentes. Afinal, a mesma infraestrutura de conectividade empregada para a telegestão da iluminação pública (IP) pode ser utilizada, também, por outras aplicações de Internet das Coisas (IoT) que tornam a cidade inteligente. Esse é o foco do projeto que a Unidade EMBRAPII CPqD desenvolveu em parceria com a Exati Tecnologia, empresa de Curitiba que oferece uma plataforma para gestão de IP atualmente utilizada em mais de 200 cidades brasileiras.

"Trata-se de um gateway que gerencia uma rede de comunicação sem fio, à qual podem ser conectados diversos dispositivos para smart cities", explica Dênis Weis Naressi, CEO da Exati. "Em conjunto com a aplicação de gerenciamento de IP da Exati, a nova solução constitui uma rede inteligente de iluminação pública e outros serviços", acrescenta.

Naressi destaca, entre as vantagens do produto, o tamanho compacto, a fácil instalação e o baixo custo de aquisição e manutenção. "Ao contrário das soluções atuais, que são instaladas em prédios, torres ou postes e necessitam de equipes especializadas para operação, esse novo produto pode ser instalado diretamente nas luminárias, por qualquer eletricista", afirma.

Juliano Bazzo, da Gerência de Tecnologias de Controle e Inteligência de Sistemas do CPqD, enfatiza que três aspectos diferenciam a solução desenvolvida: o módulo de comunicação sem fio, que pode alcançar uma área de mais de um quilômetro ou várias quadras de um bairro; a capacidade do módulo de telegestão funcionar como um ponto de acesso para sensores BLE (Bluetooth Low Energy) espalhados pela cidade - como semáforos inteligentes, sensores de estacionamento e pulseiras para localização, por exemplo - e o protocolo de roteamento, que permite a um único concentrador atender centenas de módulos. "Com isso, cada ponto de IP torna-se uma plataforma para prover diversos serviços que podem melhorar a vida do cidadão e trazer outras fontes de recursos para as empresas", explica.

Outro destaque importante da solução é a possibilidade de integração com a Plataforma Aberta para IoT, desenvolvida pelo CPqD dentro de um projeto de inovação aberta - que  envolve outras instituições e empresas -, que conta com suporte do Fundo para o Desenvolvimento Tecnológico das Telecomunicações (Funttel) do Ministério da Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, via FINEP. "Essa integração permite acelerar o desenvolvimento de aplicações para cidades inteligentes", acrescenta Bazzo.

A própria Exati - que será responsável pela fabricação e comercialização do novo produto - já integrou sua solução à Plataforma IoT e deverá utilizá-la nos cenários de cidades inteligentes, aproveitando a capacidade do módulo de telegestão de viabilizar a comunicação com a diversidade de sensores utilizados e suas aplicações previstas para os próximos anos. O projeto desse módulo de telegestão inovador resultou em um pedido de patente, que foi depositado no INPI (Instituto Nacional da Propriedade Industrial) em julho deste ano.


TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Opinião
Por que devemos projetar chips no Brasil?
Rogério Moreira e Murilo Pessatti*
Opinião
BNDES e o impacto na Inovação
Cláudia Trindade Prates, João Paulo Pieroni e Luciano Machado*

Uber: São mais de 1000 decisões judiciais favoráveis ao negócio no Brasil

Diretora Jurídica da empresa, Mariana Barbosa, diz que temer a regulamentação, mas ela precisa ser 'justa para não inviabilizar o modelo de negócios'.

CADE faz estudo favorável ao Uber e sugere desregulamentação para táxis

O Departamento de Estudos Econômicos -DEE - elaborou uma nota técnica onde defende a economia de compartilhamento como benéfica para consumidores e ofertantes.

TOTVS é a única empresa de TI do Brasil em ranking global de Inovação

Estudo com 1 mil empresas que mais investem em P&D no mundo inclui outras três empresas nacionais: Petrobras, Vale e Embraer. Amazon, Alphabet (Google), Intel e Samsung lideram. Indústrias de tecnologia, automotiva e saúde concentram 61% dos aportes.

Inovação: Governo investe menos, empresas um pouco mais. Recursos caem R$ 2,8 bilhões

Dados são do MCTIC e compara 2015 a 2014. Pedidos de patentes seguem caindo no País.

TCU usa robô para fazer varredura diária de irregularidades

Alice, de ‘análise de licitações e editais’, rastreia documentos e atas do Comprasnet, o portal de compras públicas do governo federal,. Cruzamento de dados avalia valores, exigências e fornecedores para enviar alertas. 



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G