TELECOM

Anatel publica Acórdão que bloqueia compra da Time Warner pela AT&T

Luís Osvaldo Grossmann ... 28/08/2017 ... Convergência Digital

Está no Diário Oficial da União desta segunda, 28/8, a medida cautelar da Anatel que impede os efeitos no Brasil da compra da Time Warner pela AT&T, nos Estados Unidos – negócio que ainda depende dos órgãos antitruste, tanto lá como cá, para se concretizar. 

Embora o assunto ainda esteja no Conselho Administrativo de Defesa Econômica, a agência foi pressionada a se manifestar diante dos termos da legislação brasileira sobre o serviço de TV paga, especificamente a chamada Lei do Seac (12.485/11), que restringe a verticalização de diferentes etapas da cadeia do setor. A AT&T é dona da operadora Sky no Brasil. A Time Warner é dona de vários canais fechados, como TNT, HBO, Cartoon, etc. 

Segue a íntegra: 

“ACÓRDÃO N 344, DE 24 DE AGOSTO DE 2017

Processo no 53500.026491/2016-10

Recorrente/Interessado: SKY BRASIL SERVIÇOS LTDA., ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE EMISSORAS DE RÁDIO E TELEVISÃO ABERT, ASSOCIAÇÃO BRASILEIRA DE RÁDIO E TELEVISÃO ABRATEL

Acordam os membros do Conselho Diretor da Anatel: a) não conhecer do Pedido de Reconsideração; b) receber a Petição com fulcro no art. 5o, XXXIV, da CF/88 para, no mérito, indeferi-la; c) determinar cautelarmente à SKY SERVIÇOS DE BANDA LARGA LTDA., bem como suas controladoras, controladas e coligadas: c.i) que, até pronunciamento da Anatel acerca da conformidade da operação societária de aquisição da TIME WARNER INC. (‘TIME WARNER’) pela AT&T INC. (AT&T), sob a ótica dos aspectos disciplinados pelo art. 5o da Lei do SeAC, está vedada a prática de quaisquer atos que produzam efeitos no mercado brasileiro de TV por Assinatura, quando estabelecidos em condições diversas daquelas previstas na regulamentação brasileira do setor de telecomunicações; c.i.i) incluem-se, dentre outros, na vedação do item ‘c.i’, a celebração de acordos e contratos ou transferência direta ou indireta de informações sobre o mercado brasileiro de TV por Assinatura, quando estabelecidas em condições diversas daquelas previstas na regulamentação do setor de telecomunicações, entre a SKY e a TIME WARNER, suas controladas e coligadas, ou por intermédio de representante, controlada, coligada ou terceira parte, capazes de afetar, direta ou indiretamente, a condução dos negócios da SKY SERVIÇOS DE BANDA LARGA LTDA., suas controladas e coligadas, e o mercado brasileiro de TV por Assinatura; e, c.i.ii) para efeito do disposto no item ‘c.i.i’, informações com significado competitivo compreendem informações relevantes de caráter econômico e/ou financeiro, a exemplo das de faturamento, venda, custo, lista de clientes, lista de fornecedores, investimento, marketing, planejamento estratégico, tecnologias aplicadas, projetos de desenvolvimento tecnológico, planos de negócio, acordos comerciais, excetuadas as constantes dos balanços e demonstrações financeiras que sejam de domínio público; d) determinar que a SKY SERVIÇOS DE BANDA LARGA LTDA. notifique suas controladoras das determinações da alínea ‘c.i’ e subitens; e, e) o não cumprimento das determinações dos itens ‘c’ e ‘d’ e seus subitens sujeitará a SKY SERVIÇOS DE BANDA LARGA LTDA., bem como suas controladoras, controladas e coligadas às sanções cabíveis nos termos do Regulamento de Aplicação de Sanções Administrativas, aprovado pela Resolução no 589/2012”.


Internet Móvel 3G 4G
5G vai massificar o uso das small cells no Brasil

Mais do que prometer altas velocidades, o 5G exige das operadoras móveis uma reestruturação dos ambientes de infraestrutura, acesso, core da rede e de aplicações de negócios.

Recursos de numeração serão geridos por entidade fora da Anatel

Seguindo os moldes da portabilidade e das negociações de atacado, a operação será transferida para empresa contratada pelas teles, provavelmente a ABR Telecom.

TV paga: Operadoras, agora, esperam Globo e Band

O contrato firmado pela Record, SBT e RedeTV! com Net, Claro TV, Sky e Vivo estabeleceu um custo de R$ 0,60 por assinante. A Oi ficou de fora do acerto.

São Paulo, com menos 350 mil linhas, é a maior baixa da telefonia fixa

Em 12 meses, as concessionárias perderam mais de 1 milhão de linhas, de acordo com dados da Anatel. TIM e Algar Telecom registraram o melhor desempenho. Claro Brasil, com Embratel e NET, perdeu quase 500 mil linhas.

Acórdão abre caducidade da Sercomtel e congela bens da concessionária

Para a operadora, que tem quase 300 mil clientes, decisão era esperada e “na prática, nada muda”. 

Embratel investe em banda KA com novo satélite Star One D2

Operadora planeja lançar o novo equipamento, que será o décimo segundo dela, no final de 2019. Escolha dos fornecedores será anunciada em outubro. Além da banda KA, satélite terá banda C e KU. Os valores aportados não foram revelados.

TV paga: Sky, da AT&T, se acerta com RedeTV!, Record e SBT

Empresas chegaram a um acordo financeiro e o sinal será retomado para os 5,5 milhões de assinantes. Falta, agora, o acerto com o Grupo América Móvil, dono da NET, Claro e Embratel.


Veja a revista do 60º Painel Telebrasil 2016
Revista do 60º Painel Telebrasil 2016
O Brasil enfrenta uma de suas mais graves crises, e as telecomunicações em banda larga são essenciais para a retomada do desenvolvimento sustentável, com inclusão social, na moderna sociedade da informação e do conhecimento. Este foi o mote dos debates durante o 60º Painel Telebrasil, realizado nos dias 22 e 23 de novembro, em Brasília.

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G