Home - Convergência Digital

Empresas caçam profissionais sêniores para projetos de Internet das Coisas

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo* - 11/09/2017

Um estudo, produzido pela provedora de comunicações por satélite Inmarsat, revela que 94% dos entrevistados no Brasil relataram que precisavam de pessoal adicional de nível sênior e estratégico com habilidades para definir os objetivos e as prioridades para implantações de Internet das Coisas.

Esse número diminui apenas um pouco quando comparado à América Latina, 86% − já a média global é de 76%. Além disso, 91% dos entrevistados brasileiros identificaram uma falta de pessoal com experiência em nível de gerência em implantações de IoT (em LATAM, a média foi de 85%, e, globalmente, 72%) e, para 97% dos brasileiros faltavam habilidades na entrega prática de soluções de IoT para garantir que as soluções funcionassem como se pretendia (91% em LATAM e 80% globalmente).

A falta de pessoal com habilidades focadas em IoT também se estende a disciplinas técnicas específicas. O estudo destaca que 81% dos entrevistados brasileiros e 74% dos latino-americanos relataram que necessitavam de pessoal adicional experiente em cibersegurança para lidar com a vasta quantidade de dados gerados pelas soluções de IoT; 28% dos brasileiros, 40% dos respondentes de latino-americanos e 46% dos globais identificaram um déficit de pessoal com experiência em análise e ciência de dados; e 34% tantos dos brasileiros quanto dos latino-americanos (e cerca de metade - 48% - globalmente) careciam das habilidades de suporte técnico necessárias para tornar seus projetos de IoT bem-sucedidos.

Em relação ao status de implementação de IoT, 52% das organizações brasileiras que responderam à pesquisa revelaram já estar em andamento com o processo de implementação das soluções. Quando comparadas às respostas latino-americanas, somente 38% já estão avançadas nesse processo. Quando perguntados sobre os principais desafios enfrentados em relação a IoT, os brasileiros identificaram segurança como a principal barreira (58%), seguidos de falta de conhecimento interno de seus profissionais (55%), da complexidade da infraestrutura de TI já existente (52%) e dos custos elevados (45%). Problemas com conectividade (45%), falta de visão para o potencial dessa tecnologia (42%) e de sua prioridade (39%) também foram aspectos mencionados.

"Existe um reconhecimento claro por organizações de todos os setores de que IoT desempenhará um papel fundamental na transformação digital e na capacidade de obter uma vantagem competitiva. Mas, para que isso aconteça, as empresas precisam contar com os conjuntos de habilidades corretas e, como nossa pesquisa demonstra, muitos hoje se encontram sem a equipe qualificada necessária para essa transformação. A menos que este déficit de habilidades seja devidamente resolvido, existe o risco de os projetos de IoT falharem e as empresas estarão abertas a novas ameaças à segurança, colocando um freio indesejado na inovação", completou o presidente da unidade corporativa da Inmarsat, Paul Gudonis

Em relação ao status de implementação de IoT, 52% das organizações brasileiras que responderam à pesquisa revelaram já estar em andamento com o processo de implementação das soluções. Quando comparadas às respostas latino-americanas, somente 38% já estão avançadas nesse processo. Quando perguntados sobre os principais desafios enfrentados em relação a IoT, os brasileiros identificaram segurança como a principal barreira (58%), seguidos de falta de conhecimento interno de seus profissionais (55%), da complexidade da infraestrutura de TI já existente (52%) e dos custos elevados (45%). Problemas com conectividade (45%), falta de visão para o potencial dessa tecnologia (42%) e de sua prioridade (39%) também foram aspectos mencionados.

Para o relatório "The Future of IoT in Enterprise – 2017" da Inmarsat, a empresa especialista em pesquisa de mercado Vanson Bourne entrevistou 500 decisores em TI de grandes organizações nas regiões das Américas, EMEA e APAC.  O micro site de pesquisa pode ser visualizado e o relatório pode ser baixado aqui: research.inmarsat.com.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

21/11/2017
Uber faz acordo com Volvo para comprar 24 mil carros autônomos

20/10/2017
Operadoras vão à Fazenda e pedem tarifa zero de imposto para Internet das Coisas

04/10/2017
Plano Nacional de Internet das Coisas vai gerar R$ 135 bilhões ao Brasil

04/10/2017
Grupo Algar: mercado de Internet das Coisas vai se autorregulamentar

04/10/2017
Viabilizar negócios em Internet das Coisas é o desafio de agora

03/10/2017
Mercado pede ‘carência regulatória’ para Internet das Coisas

03/10/2017
Plano prevê até 10 ‘unicórnios’ brasileiros para Internet das Coisas

22/09/2017
Governo: Internet das Coisas não acontecerá sem Telecomunicações no Brasil

22/09/2017
Teles Tradicionais X Especializadas: o dilema para a IoT

20/09/2017
BNDES diz que, 'por enquanto', ainda tem dinheiro para internet das coisas

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Quatro lições para dar coragem e autonomia às pessoas

Por Amanda Matos Cavalcante*

As pessoas são os principais e mais importantes ativos de uma corporação.

Destaques
Destaques

Regras da reforma trabalhista vão ser incorporadas ao eSocial

Novo regime fiscal será obrigatório para grandes companhias a partir do início de 2018 e para todas as demais empresas do país a partir de julho próximo. Receita descarta adiamento.

Reforma trabalhista: Não haverá contrato novo ou velho

“Se não, muitos empresários poderiam dispensar os trabalhadores da ‘lei velha’ e contratar outros com contrato novo, pela ‘lei nova’. Para não haver esse perigo, a lei aplica-se a todos os contratos em vigor no Brasil”, explica o Juiz do Trabalho, Marlos Melek.

Reforma trabalhista entra em vigor em novembro no Brasil

O presidente Michel Temer sancionou a reforma Trabalhista, sem vetos, mas garante que enviará uma Medida Provisória para dar mais transparência a pontos como, por exemplo, se haverá ou não a exigência de um prazo de 18 meses para o traballhador terceirizado ser recontratado. Presidente do TST, Ives Gandra Filho, diz que lei traz 'segurança jurídica'.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site