INTERNET

Proteste recorre sobre ‘zero rating’ e diz que Cade não ouviu CGI.br ou Senacon

Luís Osvaldo Grossmann ... 11/09/2017 ... Convergência Digital

A Proteste recorreu ao Cade contra o arquivamento do inquérito sobre a prática conhecida como ‘zero rating’. Para a entidade, o órgão antitruste encerrou sua investigação muito cedo, baseado essencialmente na Anatel e no Ministério de Ciência e Tecnologia, sem ouvir o Comitê Gestor da Internet ou a Secretaria Nacional do Consumidor. 

“O Decreto 8771/16, que regulamenta o Marco Civil da Internet, ao tratar das competências de cada um nas apurações, lista a Senacon, a Anatel e o próprio Cade e no mesmo artigo envolve o CGI.br. No entanto o Cade até aqui optou por ouvir apenas a Anatel”, argumenta a advogada da Proteste Flávia Lefèfre. Daí o apelo pela continuidade do inquérito e que sejam ouvidos Senacon e CGI.br. 

A Proteste alega que “a partir do momento que a franquia se esgota e o provedor disponibiliza o acesso apenas a determinados aplicativos ou conteúdos e bloqueia todo o resto do que está disponível na internet, a obrigação de tratamento não discriminatório e a proibição de bloqueio passam a ser desrespeitadas”. 

Além de impactos econômicos negativos, como concentração da oferta, o uso de zero rating consolida o Facebook (e seu Whatsapp) como filtro generalizado. “Nesse contexto, a prática do zero rating agregada a planos franqueados tem potencial lesivo ao desenvolvimento cultural, educacional e econômico, pois reduz a capacidade dos cidadãos de formarem livremente suas consciências e de exercerem direito ao livre fluxo  de informação e inovação.” 


Começa processo de leilão para 186 endereços ‘.br’

Primeira lista inclui domínios como nao.com.br, chope.com.br e zico.com.br. Outros 500 endereços na internet brasileira estão na fila. Lance mínimo e de R$ 50. 

Tristeza triplica uso de apps e redes sociais

Pesquisa com 200 mil usuários de iPhones sugere que o tempo de uso ‘feliz’ do Facebook é de 22 minutos por dia, em média, enquanto ‘infeliz' chega a 59 minutos. No Netflix, proporção é de 39/81 minutos.

Câmara aprova projeto que só permite acesso a dados em celulares e tablets com ordem judicial

Iniciativa quer reforçar que o acesso a qualquer dado contido em aparelhos eletrônicos, como fotos, aplicativos e conversas em OTTs, como o WhatsApp, só pode acontecer se existir uma medida judicial autorizando.

Foto no Facebook leva a prisão de grupo que roubou R$ 400 mil em joias

Um dos autores, reconhecido três dias após o crime, tinha em seu perfil na rede social foto da mesma motocicleta com a qual fugiram depois do assalto. 

NIC.br torna mais competitivo modelo de liberação do domínio ".br"

Mudanças foram aprovadas pelo Comitê Gestor e entram em vigor no dia 13 de sembro. Ideia é  acelerar a liberação dos domínios devolvidos ou cancelados ao mercado.

Revista Abranet 21 . junho/agosto 2017
Veja a Revista Abranet nº 21 Convenção Abranet 2017 reuniu provedores de Internet na Bahia para debater não apenas o mercado, mas também a atual situação do Brasil.
Veja também: Oportunidades no Wi-Fi; A revolução do blockchain; WannaCry para a Internet e muito mais.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G