INTERNET

Apps coreanos que monitoram vida online dos filhos põem usuários em risco

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/09/2017 ... Convergência Digital

Em meados de 2015, o governo da Coreia do Sul determinou às operadoras móveis do país que instalassem aplicativos nos celulares de crianças e adolescentes de forma a permitir o bloqueio de conteúdo considerado impróprio assim como o monitoramento de atividades online pelos pais. Dois anos depois, auditorias mostram que pelo menos três dos apps que se tornaram populares contém graves riscos de vazamento ou uso malicioso dos dados dos usuários.

“Auditorias de segurança realizadas pelo Citizen Lab, Cure 53 e OpenNet Korea descobriram que um aplicativo popular de monitoramento, ‘Xerife Espero’, custeado pelo governo da Coreia, têm sérios problemas de segurança e privacidade”, alertam as entidades, que agora buscam apoio para que a determinação da Comissão de Comunicações da Coreia, o regulador de telecom do país, seja revogada. 

Os estudos ressaltam que a Coreia foi o primeiro país do mundo a exigir filtros de conteúdo a menores de idade instalados em seus telefones celulares. O ‘Xerife Esperto’ tem o objetivo de bloquear pornografia. Ele chegou a ser relançado com outro nome (Cyber Security Zone), mas segundo o Citizen Lab “têm muitos dos mesmos problemas de segurança”. 

Além desses, outro app, Smart Dream, permite que os pais monitorem a troca de mensagens e o histórico de navegação dos filhos. “A análise revelou sérias vulnerabilidades que permitem acesso não autorizado às mensagens armazenadas e o histórico de buscas”, diz o alerta das entidades. 


Índia multa Google em R$ 70 milhões por abuso de posição dominante

Comissão de Competição do país entendeu que o motor de buscas favorecia seus próprios sistemas comerciais nos resultados das pesquisas. 

CCJ do Senado aprova projeto que exige consentimento para grupos em redes sociais

PLS 347/16 prevê que aplicações como Facebook, Whatsapp ou Telegram precisam de anuência prévia dos usuários para a criação de novos grupos.

Senador quer cadeia para ‘fake news’, mas só as divulgadas na Internet

Projeto de lei de Ciro Nogueira (PP-PI) prevê reclusão de um a três anos se a notícia falsa for publicada na rede mundial. Se for na televisão ou em jornais impressos, a pena é menor e em regime aberto. TSE chama Google, Twitter e Facebook para conversar.

Pequenos provedores puxam mercado e banda larga fixa cresce 7,15% em 2017

Os ISPs responderam por mais de dois terços do crescimento no número de conexões e viram fatia de mercado passar de 10,9% para 14,6% no Serviço de Comunicação Multimídia. 

Metalúrgica reduz R$ 1 milhão/ano em consumo de água com Internet das Coisas

CBA (Companhia Brasileira de Alumínio) investiu em tecnologia para monitorar o consumo de água e reduziu o consumo de 3.146 para 52 metros cúbicos por mês.

Revista Abranet 23 . dez 2017 - jan/fev 2018
Veja a Revista Abranet nº 23 Qual é a fórmula do sucesso? Boas práticas aplicadas por corporações bem-sucedidas sugerem um caminho a seguir. Entrevista com Tadao Takahashi. Discussão sobre a lei de proteção de dados avança. E mais.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G