GESTÃO

Leroy Merlin: TI não é provedora de serviços, é parceira de negócios

Por Roberta Prescott ... 13/09/2017 ... Convergência Digital

A digitalização mudou a abordagem ao cliente e a Leroy Merlin, rede de lojas de materiais de construção, acabamento, decoração, jardinagem e bricolagem, se viu obrigada a se adaptar para uma realidade na qual os consumidores querem informações detalhadas e por meio de diversos canais, o que determinou um redesenho das interações com os clientes, observou durante o SAP Fórum, o CIO, líder digital e líder de Inovação, Matthieu Grymonprez.

"Trabalhamos no modelo de inovação aberta com fornecedores e usamos design thinking. Queremos ter todas as funcionalidades da loja no celular; e isto nos força a repensar o negócio", destacou o executivo. Entre os desafios, o menor deles é a adaptação para o tamanho da tela.

"Precisamos definir o que vamos colocar de informação e como combinar a interação de um vendedor especializado com informação relevante que o cliente precisa", acrescentou o CIO. Atualmente 80% dos clientes da Leroy Merlin acessam ao website antes de ir à loja. "Precisamos de uma interatividade seamless entre a experiência do website e da loja. A grande dificuldade é treinar as pessoas da loja."

Grymonprez observou que o departamento de tecnologia da informação passa por uma transformação nos últimos três anos. Neste período, conta o CIO, o conselho da empresa entendeu que era preciso mudar a maneira de se relacionar com a TI, entendendo-a como parceira de negócio e não como uma provedora de serviços. "Criamos uma cultura na qual a parceria se joga igual entre negócio e TI,"completou.


Nova licitação do TaxiGov abre portas para apps e locadoras de veículos

Licitação acontecerá no dia 24 de janeiro e equivale a um montante estimado de R$ 19,6 milhões para execução no período de um ano. Implantado em março de 2017, serviço é usado por mais de 15 mil servidores e colaboradores, em quase 300 mil corridas realizada.

Empresas criticam governo e pedem mais prazo para aderir ao eSocial

Há também uma grande preocupação com as pequenas empresas. Isso porque a maioria - que tem de entrar no regime em 2019 - desconhece o novo regime de transmissão de dados para a Receita Federal.

Setor de TI quer resgatar projeto original do Parque Capital Digital

O atual modelo implantado pelo Governo Rodrigo Rollemberg nunca foi aceito pelo setor de TICs. Senador Izalci Lucas (PSDB) pretende conversar com o governador, Ibaneis Rocha, sobre a questão. Conta com o apoio das empresas, que pela primeira vez, participam da equipe de transição através do presidente do Sinfor, Ricardo Caldas.

Receita orienta sobre como informar mudança de CPF no eSocial

Procedimento é considerado raro, mas para evitar problemas, o Comitê Gestor do novo regime determinou como as empresas devem agir. Medida será válida a a partir de 21 de janeiro de 2019, com a entrada em produção da versão 2.5 do leiaute do eSocial.

Ceará avança com PPPs para ser um hub nacional de TICs

Governo cearense trabalha para atrair datacenters e empresas de TICs, revela o secretário de Planejamento do Ceará, Francisco Queiroz Maia Jr. Em Telecom, secretário reclama da falta de interesse das teles e diz que alvos da política são operadoras competitivas e provedores Internet.




  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G