Convergência Digital

Plano prevê até 10 ‘unicórnios’ brasileiros para Internet das Coisas

Ana Paula Lobo e Pedro Costa - 03/10/2017

O Governo e o BNDES apresentaram nesta terça-feira, 03/10, no Futurecom 2017 mais detalhes do Plano Nacional de Internet das Coisas. A partir de quatro verticais – saúde, indústria, cidades e áreas rurais –, o plano lista 76 ações específicas que prometem permitir que o Brasil capture US$ 200 bilhões por ano em 2025. 

“A Internet das Coisas é uma oportunidade única para o País, e o Brasil está preparado para capturar todo o seu valor. São poucos os países com plano nacional, e essa liderança merece ser destacada”, disse o secretário de Políticas de Informática, Maximiliano Martinhão. 

A estratégia será capaz de viabilizar uma dezena de ‘unicórnios’ nacionais até 2025, apontou o diretor de Planejamento e Pesquisa do BNDES, Carlos da Costa, referindo-se às startups de US$ 1 bilhão. “Estamos comprometidos em implantar com celeridade as proposições listadas. Este é um dos maiores projetos da história do banco, e o BNDES tem 40 profissionais mobilizados para apoiar a materialização das primeiras iniciativas. Vamos aperfeiçoar os instrumentos de financiamento para torná-los realidade e seremos articuladores ativos para a estruturação e o financiamento de redes de inovação.”

Em entrevista à CDTV, do Portal Convergência Digital, Carlos da Costa afirmou que há recursos no BNDES para as pequenas e médias empresas e assegurou: há talentos no Brasil para criarmos empresas globais e não serão poucas. Já o titular da SEPIN, Maximiliano Martinhão, explicou que o plano será formalizado até dezembro, e a área rural é a mais adiantada como vertical para a Internet das Coisas. Assistam à entrevista.

A íntegra do estudo já está disponível no site do BNDES, em https://www.bndes.gov.br/wps/wcm/connect/site/269bc780-8cdb-4b9b-a297-53955103d4c5/relatorio-final-planodeacao-produto-8.pdf?MOD=AJPERES

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis
Para Anatel, regulação não resolve a crise do setor

“O retorno está menor, mas a solução principal não é regulatória, é de mercado" afirma o conselheiro Leonardo de Morais. Presidente da Claro, José Félix, diz que o mercado vive um imenso jogo de 'rouba monte'.

Orquestrador da nuvem é o cérebro das novas aplicações

"É no orquestrador que há um espaço enorme para a Inovação", atesta Paulo Berarndocki, que durante dois anos atuou como CTO global da Ericsson e está de volta ao Brasil.

Com IoT da Embratel, Volvo tem 100% de recuperação de carros roubados

Conexão de objetos é uma prioridade no plano estratégico da operadora, revela o diretor de IoT e M2M, Eduardo Polidoro.


Futurecom 2017 - clique aqui e confira a cobertura completa.
Editora Convergência Digital
Copyright © 2005-2017 Editora Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site