INCLUSÃO DIGITAL

Celular é o principal meio de acesso à Internet nas classes D e E

Convergência Digital* ... 05/10/2017 ... Convergência Digital

Em 2016, 48% dos usuários de Internet de 11 a 17 anos buscaram informações sobre marcas ou produtos na Internet, um crescimento de 19 pontos percentuais em relação a 2013, quando essa proporção era de 29%. É o que aponta a quinta edição da pesquisa TIC Kids Online Brasil do Comitê Gestor da Internet no Brasil (CGI.br), realizada pelo Centro Regional de Estudos para o Desenvolvimento da Sociedade da Informação (Cetic.br), do Núcleo de Informação e Coordenação do Ponto BR (NIC.br).

De acordo com o estudo, embora a televisão continue sendo o principal meio de exposição à publicidade ou propaganda (80%), cresceu o percentual dos usuários de Internet de 11 a 17 anos que tiveram contato com conteúdos mercadológicos em sites de vídeos: 69%. Em 2013, esse percentual era de 30%. Outros 62% ainda foram expostos a propagandas ou publicidade em redes sociais.

A pesquisa revelou ainda que 42% tiveram contato com propaganda ou publicidade não apropriada para a sua idade, segundo a declaração dos seus pais ou responsáveis. "Se, por um lado, as crianças e adolescentes estão cada vez mais conectadas, elas estão também cada vez mais expostas a conteúdos mercadológicos na rede. Esse é um desafio que precisa ser tratado por pais, educadores e formuladores de políticas públicas, especialmente se levarmos em consideração que o reconhecimento do caráter comercial da publicidade na Internet é mais complexo para o público infantil", ressalta Alexandre Barbosa, gerente do Cetic.br.

Conectividade e dinâmicas de uso

Em sua quinta edição, a pesquisa TIC Kids Online Brasil estima que cerca de oito em cada dez crianças e adolescentes (82%) com idades entre 9 e 17 anos são usuários de Internet, o que corresponde a 24,3 milhões de crianças e adolescentes em todo o país. Os resultados apontam a existência de importantes disparidades regionais e socioeconômicas no acesso e uso da rede. Enquanto em áreas urbanas 83% das crianças e adolescentes estavam conectados, em áreas rurais, essa proporção era de 65%. Na região Sudeste, 91% das crianças e adolescentes declararam ser usuários de Internet; no Norte, apenas 69%. Outro fator relevante é a condição socioeconômica: são 5,9 milhões (98%) de usuários nas classes A e B, 11,1 milhões na classe C e 7,4 milhões (66%) nas classes D e E.

Os resultados confirmam a tendência de crescimento no uso de dispositivos móveis por crianças e adolescentes para acessar a Internet – em 2016, 91% (22 milhões) acessaram a Internet pelo celular. Em 2012, essa proporção era de 21%, e em 2014, 82%. Em contrapartida, o uso da rede por meio de computadores apresentou queda. Para todos os dispositivos, com exceção do telefone celular, há uma diferença acentuada entre as classes no acesso à Internet. "Enquanto crianças das classes A e B têm à disposição uma variedade de dispositivos para acesso à rede, outras têm um ecossistema de acesso mais restrito", aponta Barbosa.

A pesquisa estima, ainda, que 37% das crianças e adolescentes usuários de Internet acessaram a rede exclusivamente por meio de telefones celulares – o equivalente a 8,9 milhões de crianças. Este é o principal meio de acesso à Internet para os usuários nas áreas rurais (54%), na região Norte (52%) e nas classes D e E (61%).

Conteúdos sensíveis na rede

Em 2016, a pesquisa estima que 41% dos usuários de Internet de 9 a 17 anos (10 milhões de crianças) declararam ter visto alguém ser objetos de discriminação na Internet – resultado estável em relação a 2015. O contato com conteúdos de natureza agressiva na rede é maior entre meninas (45%) e adolescentes entre 15 e 17 anos (53%). Entre os principais motivos de discriminação identificados estão: cor ou raça (24%), aparência física (16%) e o relacionamento entre pessoas do mesmo sexo (13%). Uma parcela menor (7%) afirma ter se sentido pessoalmente discriminada na rede – o que representa 1,7 milhões de crianças e adolescentes usuários de Internet.

O levantamento revelou ainda que os usuários de Internet com idades entre 11 e 17 anos estão expostos a outros tipos de conteúdos sensíveis na rede, como assuntos relacionados a “formas de tornar-se muito magro” (27% entre meninas e 9% entre meninos) e “formas de machucar a si mesmo” (17% entre meninas e 12% entre meninos).

Uso seguro da Internet

Em 2016, cerca de 7 em cada 10 (69%) crianças e adolescentes usuários de Internet utilizaram a rede com segurança, segundo a declaração dos seus pais ou responsáveis. A percepção sobre segurança on-line se mostrou maior entre crianças cujos pais têm escolaridade alta (75% com Ensino Médio ou mais) e aqueles das classes A e B (79%).

As mídias tradicionais como televisão, rádio, jornais ou revistas, destacam-se como fontes para buscar informações sobre o uso seguro da Internet, segundo a declaração dos pais (54%), seguidas por familiares e amigos (52%) e por meio da própria criança ou adolescente (51%). Já as menções à escola (35%) ou ao governo e autoridades locais (26%) ficam em patamares inferiores. "Esse resultado revela a necessidade de difusão e ampliação do debate sobre oportunidades e riscos associados ao uso da Internet por iniciativa de políticas públicas", enfatiza Barbosa.

Em sua quinta edição, a pesquisa TIC Kids Online Brasil entrevistou 2.999 crianças e adolescentes com idades entre 9 e 17 anos, bem como seus pais ou responsáveis, em todo o território nacional. As entrevistas aconteceram entre novembro de 2016 e junho de 2017, com o objetivo de compreender de que forma esse público utiliza a Internet e como lida com os riscos e as oportunidades decorrentes desse uso. A TIC Kids Online Brasil segue alinhada com o referencial metodológico da rede europeia EU Kids Online, liderada pela London School of Economics.

Este ano, de forma inédita, o Cetic.br disponibiliza tabelas completas de proporções, totais e respectivas margens de erro para download. Acesse a pesquisa na íntegra, reveja a série histórica e faça download das tabelas: http://cetic.br/pesquisa/kids-online/indicadores. Compare a evolução dos indicadores a partir da visualização de dados disponível no endereço: http://data.cetic.br/cetic/explore?idPesquisa=TIC_KIDS.


TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

França vai banir celulares em escolas a partir de 2018

Anúncio foi feito pelo ministro da educação do país, Jean-Michel Blanquer. Medida valerá para estudantes menores de 15 anos. 

PNAD 2016: celular quase encosta em TVs nos lares brasileiros

Pesquisa do IBGE mostra que, em 2016, em 92,3% dos domícilios pelo menos um morador possuía um telefone celular. As TVs estão presentes em 97,4% dos domícilios. O acesso à Internet chegou a 63,6% dos domicílios, com o celular ganhando fácil dos PCs e tablets. 

Governo deveria abrir mão de três anos de impostos para levar banda larga para quem não tem

A proposta foi feita pelo diretor de desenvolvimento de Negócios da IBM Brasil, Rodrigo Santi, caso ele pudesse ter a 'caneta' para definir uma política pública para o setor no Brasil.

UIT alerta que apesar de avanços no Brasil, o fosso digital aumentou

Em ranking de 176 países, o Brasil melhorou uma posição, de 67º para 66º considerados os usos e habilidades das tecnologias da informação e comunicações, mas ainda tem muito por fazer se quiser aderir à era Inteligência Arficial, do Big Data ou da Internet das Coisas.

Governo estabelece o fim do feriado regulatório para fibra óptica

Governo quer fazer um diagnóstico das redes de acesso existentes no país. "Temos poucos dados e eles estão desatualizados", observa o diretor de Banda Larga do MCTIC, Artur Coimbra.

Telecentros renovam fôlego e ganham novo status na Inclusão Digital

A consulta pública aberta pelo governo para definir novas políticas públicas para Telecomunicações vai tratar de um tema caro: o compartilhamento e tratamento de dados, revela Américo Bernardes, Diretor do Departamento de Inclusão Digital do MCTIC.



  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G