INTERNET

Temer veta artigo que impõe censura à Internet

Convergência Digital* ... 06/10/2017 ... Convergência Digital

Após repercussões negativas, o presidente Michel Temer (PMDB) vetou o artigo na reforma política que permite a remoção de conteúdos da internet, informou a Secretaria Especial de Comunicação Social da Presidência da República em nota nesta sexta-feira, 06/10. De acordo com o informe da presidência, o pedido do veto foi feito pelo próprio deputado federal autor da emenda, Áureo (SD-RJ), a Temer por telefone pela manhã.

Nesta quinta-feira, em um ponto polêmico incluído no texto de última hora, o Senado aprovou projeto de lei que prevê a suspensão de publicações na internet, como aplicativos, sites e redes sociais, quando houver denúncia de informação falsa ou discurso de ódio até que o autor seja identificado. Caso o usuário seja real, a postagem ficará liberada.

A proibição poderia ser imposta mesmo sem autorização judicial a partir das eleições de 2018. A medida foi classificada como censura e cerceamento à liberdade de expressão por diversas entidades, incluindo a Abranet (Associação Brasileira de Internet).

A internet deve ganhar força a partir do próximo pleito, não somente por causa dos hábitos dos brasileiros, mas também porque a campanha online, segundo a reforma aprovada, poderá ser realizada em blogs, redes sociais, por mensagens instantâneas ou aplicativos gerados tanto por candidatos, partidos e coligações, quanto por qualquer brasileiro.

Embora tenha sido aprovado pelo Congresso, o projeto precisa ser sancionado por Temer ainda nesta sexta-feira para valer no ano que vem. Isso porque há o princípio da anualidade --qualquer mudança na legislação eleitoral só entra em vigor no pleito de 2018 se aprovada até hoje, um ano antes do primeiro turno das eleições, o que levou os congressistas a acelerarem a votação da matéria.

Repúdios imediatos

Tão logo foi veiculado a decisão do Senado, entidades como Abert e Abranet se posicionaram de forma veemente "A mudança, além de ferir a liberdade de expressão e informação, vai contra o Marco Civil da Internet", afirma o presidente da Abranet, Eduardo Parajo. "Trata-se de uma afronta ao núcleo da democracia."

Segundo Parajo, o Marco Civil estabelece que apenas um magistrado do Judiciário pode julgar o que é considerado como ofensivo, falso e impróprio. "A sociedade não pode permitir que esta emenda seja sancionada pelo presidente Michel Temer, pois estaremos calando os princípios básicos da Internet, que é justamente permitir a liberdade de expressão", acrescentou. Também houve a manifestação direta do Comitê Gestor da Internet, que saiu em defesa do Marco Civil da Internet.

Confira a emenda incluída no projeto de lei e que, agora, será vetada pelo presidente Michel Temer.

Artigo 57-B, parágrafo 6º – A denúncia de discurso de ódio, disseminação de informações falsas ou ofensa em desfavor de partido ou candidato, feita pelo usuário de aplicativo ou rede social na internet, por meio do canal disponibilizado para esse fim no próprio provedor, implicará suspensão, em no máximo vinte e quatro horas, da publicação denunciada até que o provedor certifique-se da identificação pessoal do usuário que a publicou, sem fornecimento de qualquer dado do denunciado ao denunciante, salvo por ordem judicial.

Fonte: UOL e Agências de Notícias


Com alta de 15%, Brasil é o segundo maior alvo de ataques web no mundo

Novo relatório da Akamai aponta, porém, que o país caiu de terceiro para quinto no ranking de origem dos ataques online. 

Black Friday dá gás às vendas, mas fica longe do desempenho de 2016

Segundo levantamento da Ebit, vendas online cresceram 10,3%, contra alta de 17% em 2016. Nas lojas físicas, alta foi de 4,9%, conforme a Serasa, enquanto chegou a 11% no ano passado. 

Em Goiás, homem é condenado à prisão por compartilhar fotos no You Tube e no WhatsApp

Pena, no entanto, foi revertida para a prestaçaõ de serviços à comunidade. Homem divulgou fotos da ex-namorada em listas nas redes sociais por vingança.

'Vingança pornográfica" vai dar cadeia de dois a quatro anos

Avançou na CCJ do Senado o PL 18/2017, que adota punição mais rigorosa para o registro ou divulgação, não autorizada, de cenas de intimidade sexual de uma pessoal. PL seguiu em regime de urgência para o Plenário do Senado.

Consumidores ignoram termos de privacidade de dados no Brasil

E o consentimento tem sido a base legal para o processamento das informações, observou o sócio sênior da Accenture, José Moscati.

Revista Abranet 22 . set/nov 2017
Veja a Revista Abranet nº 22 Reforma trabalhista: impactos para os ISPs. Conheça o novo cenário e saiba o que muda para as empresas de Internet. E mais: Os robôs chegaram pra valer; A incerteza dos 450 MHz; TIC Educação: o papel dos provedores.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2017 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G