Convergência Digital - Home

TIM consolida base de dados com a Ericsson

Convergência Digital
Convergência Digital* - 11/10/2017

A TIM contratou a Ericsson para consolidar a arquitetura da atual base de dados de usuários da operadora, com um volume de 70 milhões de assinantes no Brasil, a partir de outubro. O processo iniciará por São Paulo, Rio de Janeiro e Curitiba, sendo expandido para todo o país posteriormente. Essa é a primeira vez que a centralização do banco de dados será feita em uma escala como esta, em um acordo que se estenderá também para a virtualização da rede.

O projeto inclui a implementação e a consolidação das bases de dados de todas as tecnologias – 2G, 3G e 4G –, incluindo o VoLTE e outros serviços integrados da operadora. Com duração de cinco anos, o contrato contempla ainda a virtualização destes elementos de rede, levando para a TIM maior flexibilidade de alocação de recursos computacionais, redução no tempo de disponibilização, atualização e lançamento de serviços para seus clientes, além da redução de custos operacionais. A Ericsson também oferecerá um abrangente pacote de serviços, que vão desde design e integração de rede até treinamento e suporte ao cliente.

"Segurança e disponibilidade são alguns dos aspectos mais importantes da solução da Ericsson que a TIM quer usufruir. Além disso, a integração da nossa base de dados será essencial para continuarmos oferecendo o melhor serviço para nossos clientes", define Leonardo Capdeville, CTO da TIM Brasil.

A solução da Ericsson fornece ferramentas de resiliência e redundância seguindo padrões do mercado de telecomunicações. O recurso prevê ainda uma solução exclusiva de proteção de sobrecarga e gerenciamento de capacidade, que permite um controle de congestionamento fim a fim por meio de um mecanismo de cooperação em tempo real entre os diferentes elementos de rede virtualizados.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis

LEIA TAMBÉM:
Cloud Computing ... 11/10/2017
TIM consolida base de dados com a Ericsson
Destaques
Destaques

Dataprev e Serpro vão prestar serviço pela nuvem pública

Objetivo é atender de forma unificada demandas distintas dos órgãos públicos. Empresas vão integrar orquestradores e planejam contratar serviços da Amazon, Google e Azure.

Mercado de computação em nuvem foi de R$ 2,25 bilhões no Brasil

Estudo da ABES mostra que o segmento registrou uma expansão de 47,4% em 2016, tendo como base os dois principais serviços - Software como Serviço (SaaS) e PaaS (plataforma como Serviço). O segmento de análise de dados faturou US$ 809 milhões



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Empresas de TI ou organizações dependentes dela?

Por Paulo de Godoy*

Considerada parte do ‘guarda-chuva’ da Inteligência Artificial, a Machine Learning vem crescendo e ganhando força à medida que o volume de dados explode.

Criando uma arquitetura analítica para o futuro

Por Stephen Rigo*

O custo de não ter a arquitetura analítica adequada é alto, já que esse fator pode gerar problemas de incompatibilidade, governança, segurança, falta de acordos de nível de serviço, escalabilidade e problemas de extensibilidade.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site