GESTÃO

Receita vai bloquear acesso de 100 mil empresas ao Simples

Convergência Digital* ... 23/10/2017 ... Convergência Digital

A Receita Federal vai bloquear o acesso de 100 mil micro e pequenas empresas ao programa do Simples a partir desta segunda-feira, 23/10. A malha fina do Leão identificou que esses contribuintes se valeram de abatimentos irregulares para reduzir o imposto a pagar. Segundo o Fisco, houve discrepâncias em 1,6 milhão de declarações entregues nos últimos cinco anos, o que aponta para uma sonegação em torno de R$ 1 bilhão.

Segundo o subsecretário de Arrecadação da Receita, João Paulo Martins, em entrevista ao jornal O Globo, quando acessarem o programa do Simples, os 100 mil empresários serão informados de que se valeram de descontos indevidos e, por isso, precisam retificar suas declarações e pagar os tributos corretamente. Quem não fizer os ajustes necessários, será excluído do Simples no final do ano.

Martins explicou que micro e pequenas empresas optantes do regime precisam apresentar uma declaração mensal à Receita. Assim, quem não puder acessar o sistema, não conseguirá cumprir com essas obrigações. Hoje, cerca de 7 milhões de companhias estão enquadradas no Simples. Ele pode ser utilizados por empresas com faturamento bruto anual de até R$ 3,6 milhões. Em 2018, esse montante subirá para R$ 4,8 milhões.

Os cruzamentos feitos pela malha fina das pessoas jurídicas mostraram que os contribuintes passaram a marcar campos do programa do Simples que, quando são preenchidos, automaticamente reduzem o imposto a pagar. De acordo com Martins, o Fisco observou que as empresas passaram a utilizar campos como o de imunidade, isenção/redução cesta básica ou lançamento de ofício com mais frequência e sem amparo legal.

A regra do Simples prevê, por exemplo, que quando a União, o estado ou município conceder isenção ou redução de PIS/Cofins e ICMS para produtos da cesta básica, as empresas do regime podem se beneficiar deste incentivo caso seja editada uma lei específica para isso. Foi por isso que esse campo passou a fazer parte da declaração do Simples. O problema é que não há em vigor nenhuma lei específica que enquadre as micro e pequenas empresas optantes na isenção de cesta básica. Portanto, nenhum contribuinte poderia ter marcado esse campo.

A Receita já havia vinha trabalhando para ajustar o programa e evitar marcações indevidas. Em junho deste ano, por exemplo, foi publicada uma nova versão do programa do Simples restringindo as hipóteses em que o contribuinte poderia selecionar as opções imunidade, isenção/redução de cesta básica e lançamento de ofício. No caso específico dos incentivos para cesta básica, essa marcação foi excluída justamente porque não há lei que conceda o benefício aos optantes do Simples.

Fonte: https://oglobo.globo.com/economia/receita-vai-bloquear-acesso-de-cem-mil-empresas-ao-simples-21978694


Carreira
TRT/SP concede 30 dias para que patrões e empregados de TI encerrem impasse

Decisão foi tomada na audiência de conciliação realizada no Tribunal Regional do Trabalhdo da 2ª Região. Até lá, a Convenção Coletiva 2017 está válida e deve ser respeitada por patrões e empregados.

Haroldo: o robô especialista em defesa do consumidor

Empresa responsável diz que ferramenta é uma alternativa privada para a solução de conflitos que envolvem milhares de usuários lesados.

EFD-Reinf: A “irmã” do eSocial que a sua empresa precisa prestar a atenção

Assim como o eSocial, o módulo do SPED vai substituir obrigações impostas aos contribuintes e empregadores, entre elas, a DIRF – Imposto de Renda Retido na Fonte e a GFIP – Informações à Previdência Social.

Pagar imposto tem de ser menos complicado no Brasil

O governo digital é medida estratégica de desburocratização do governo, afirma o secretário executivo da Casa Civil, Daniel Siegelmann.

Dataprev diz que seu maior ativo são os mais de 26 bilhões de dados civis

Estatal quer se posicionar como fornecedora de serviços digitais e já contabiliza 7,5 milhões de registros ativos na sua plataforma. 

eSocial: nova fase, novas regras, novo leiaute

Os grandes empregadores deverão enviar os dados de seus trabalhadores – também conhecidos como eventos não periódicos – nos prazos definidos no Manual de Orientação do eSocial (MOS).



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G