TELECOM

Operadoras competitivas investem R$ 6 bilhões no Brasil

Por Fábio Barros ... 07/11/2017 ... Convergência Digital

As operadoras competitivas – que são aquelas de porte menor, que operam em regiões específicas, têm modelos de negócio pré-definidos e ofertas diferenciadas, dentro de seus modelos de negócio, atendem clientes finais, ISPs, grandes operadoras, pequenas e médias empresas e clientes residenciais – investiramR$ 6 bilhões no país, revela a pesquisa “O perfil das operadoras competitivas” durante a décima edição do Seminário Telcomp. O evento foi realizado nesta terça-feira, 07, em São Paulo, e teve como tema principal a transformação digital e o setor de telecomunicações.

O CEO da Megatelecom, Carlos Sedeh, detalhou o perfil do segmento. Segundo ele, as operadoras competitivas crescem consistentemente nos últimos cinco anos.  Por conta disso, elas podem ser encontradas hoje em 98,5% dos municípios brasileiros; 6,8 mil delas têm autorização de SCM (Serviço de Comunicação Multimídia) e formam um conjunto de empresas que responde hoje por 18% da receita líquida do SCM. “Boa parte do crescimento destas empresas se deu por causa da situação Oi, cuja área de concessão cobre 97% do território nacional e, por isso, conta com inúmeras áreas de menor interesse”, diz.

O presidente da Teleco, Eduardo Tude, observou que que a cadeia de valor de telecomunicações é hoje formada por quatro elementos, e que as operadoras competitivas podem ser encontradas em todos eles. “A cadeia de valor começa com as conexões internacionais e segue por transporte e redes metropolitanas; serviços para empresas e governo; e serviços para clientes residenciais e pequenas e médias empresas.

No primeiro elo – o de conexão internacional – a entrada das operadoras competitivas vai permitir que a capacidade de dados dos cabos submarinos que chegam ao Brasil hoje praticamente quadruplique. “Até o ano passado, tínhamos uma capacidade de 78 TB. Com a chegada de novos entrantes, como Monet, Algar, Google e outros, esta capacidade em breve deve chegar a 274 TB”, diz, lembrando que as operadoras competitivas respondem hoje por 12% dos cabos submarinos, devendo chegar a 50% com os novos cabos.

Na elo formado por empresas de transporte e redes metropolitanas, as operadoras competitivas movimentaram R$ 1,2 bilhão em 2016. “São basicamente empresas que atuam no mercado de atacado, vendendo capacidade para outras operadoras”, explica Tude. O executivo da Teleco lembra que, aqui, há uma gama grande de empresas com atuação nacional e regional, todas participando do mercado de atacado. “Juntas, estas companhias têm cerca de 250 mil km de redes ópticas de transporte”, revela, lembrando que o crescimento aqui vem da construção compartilhada e compra de uso de outras redes.

A área de serviços para empresas e governo também conta com operadoras de abrangência nacional e regional. Estas empresas oferecem acesso a internet e serviços gerenciados, atendendo clientes corporativos. Já no atendimento a clientes residenciais e pequenas e médias empresas, são encontradas operadoras competitivas provendo serviços de TV a cabo, 4G, satélite, e outros. Assistam a apresentação do presidente do Teleco, Eduardo Tude, sobre a pesquisa feita no mercado das operadoras competitivas.


Internet Móvel 3G 4G
Algar Telecom é a primeira tele a lançar plano com dados ilimitados

O custo do plano é de R$ 99,00 por mês e exige, em contrapartida, uma fidelidade de 12 meses. O consumo dos dados pode acontecer dentro ou fora da área de cobertura da operadora.

Teles: bloqueio após o fim da franquia não afronta o Marco Civil da Internet

Em nota oficial, o SindiTelebrasil diz que a "A PROTESTE insiste em querer fazer prevalecer a sua interpretação equivocada sobre a legislação aplicável à Internet".

Oi desembolsa R$ 51 milhões para pagar cerca de 500 credores

Operadora pagou as credores que fizeram a escolha da opção de pagamento em fevereiro. "Este é mais um passo no cumprimento da recuperação judicial", afirma o presidente da companhia, Eurico Teles.

Fox obtém vitória na Justiça do Uruguai e tenta replicar no Brasil decisão contra pirataria

Segundo um relatório da NetNames, de 222 milhões de usuários da internet na América do Sul, 110 milhões acessam conteúdos piratas.

Anatel impõe ligação gratuita à Oi em orelhões em 12 estados

Anatel já adota a medida há seis anos, quando verificou que aproximadamente metade dos orelhões do país não funcionava.

Preterida pelas teles, faixa de 450 MHz está na mira do setor elétrico

Elétricas e Anatel discutem destinação desta e outras faixas em caráter primário para as empresas de utilities. “Precisamos de 10 MHz. E pelo menos seis fornecedores no Brasil têm equipamentos em 450 MHz e outras faixas”, diz Ronaldo Santarem, da UTC AL.

Celular já virou a primeira tela do consumidor na América Latina

Segundo estudo global da Ooyala, da Telstra, a proporção de vídeos assistidos em dispositivos móveis chegou a 60%, com larga preferência pelos smartphones, principalmente na região.


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G