Convergência Digital - Home

Big data será ativo de análise antitruste

Convergência Digital
Roberta Prescott e Pedro Costa - 08/11/2017

O big data entrou na pauta da análise concorrencial. Em debate no 31º Seminário Internacional ABDTIC, que acontece em São Paulo, Vinícius Marques de Carvalho, professor da USP, advogado e ex-presidente do CADE, levantou a questão de como as agências antitruste estão avaliando o tema. "A discussão cabe na medida em que big data é um ativo concorrencial", destacou. Mas como dados pessoais e big data devem ser analisados a partir da perspectiva antitruste?

Para Carvalho, até agora, a defesa da concorrência estava muito acostumada a lidar a partir do lado do mercado que se cobra, ou seja, a concentração de mercado em relação a captação de anunciantes, por exemplo. Mas, quando se tem acesso a um serviço, de graça, o produto é a pessoa e as autoridades de defesa da concorrência estão atentas e perceberam que precisam também fazer a análise do lado no qual o preço é zero. E o ativo que tem de ser analisado é o big data.

Contudo, reitera Carvalho, é preciso avaliar até que ponto big data é ativo tão essencial para competir nos mercados. "Em tese, é recurso não exclusivo e não rival. O fator de um usar não diminui a quantidade para a outra pessoa. O acesso a dados pessoais não é difícil nem raro", disse. Para ele, a vantagem competitiva real não está nos dados pessoais, mas na capacidade das empresas de lidar com os algoritmos para criar produtos, para resolver problemas ou para atender as necessidades do consumidor.

Em entrevista em vídeo para a CDTV, do portal Convergência Digital, Carvalho comentou como a questão do big data tem sido objeto de análise da defesa da concorrência. "Muito provavelmente você vai analisar o big data como mais uma variável competitiva". Assistam a entrevista.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis

LEIA TAMBÉM:
Cloud Computing ... 08/11/2017
Big data será ativo de análise antitruste

Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.
3ª Semana da Inovação 2017
Governo digital será uma pressão do contribuinte

Cidadão vai querer ter as facilidades do dia a dia no relacionamento com o poder público, afirma o executivo da Huawei Brasil, Rildo Santos.


Destaques
Destaques

Dataprev e Serpro vão prestar serviço pela nuvem pública

Objetivo é atender de forma unificada demandas distintas dos órgãos públicos. Empresas vão integrar orquestradores e planejam contratar serviços da Amazon, Google e Azure.

Mercado de computação em nuvem foi de R$ 2,25 bilhões no Brasil

Estudo da ABES mostra que o segmento registrou uma expansão de 47,4% em 2016, tendo como base os dois principais serviços - Software como Serviço (SaaS) e PaaS (plataforma como Serviço). O segmento de análise de dados faturou US$ 809 milhões



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Empresas de TI ou organizações dependentes dela?

Por Paulo de Godoy*

Considerada parte do ‘guarda-chuva’ da Inteligência Artificial, a Machine Learning vem crescendo e ganhando força à medida que o volume de dados explode.

Criando uma arquitetura analítica para o futuro

Por Stephen Rigo*

O custo de não ter a arquitetura analítica adequada é alto, já que esse fator pode gerar problemas de incompatibilidade, governança, segurança, falta de acordos de nível de serviço, escalabilidade e problemas de extensibilidade.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site