Home - Convergência Digital

4G não licenciado terá standard em 2018

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo e Felipe Souto - 16/11/2017

O 5G não é mais um G, é a disrupção completa da conectividade, uma vez que o 5G serve para altas velocidades ou para baixas velocidades, afirmou o CTO da Nokia Brasil, Wilson Cardoso, ao participar do X Seminário Telcomp, realizado no dia 07 de novembro, em São Paulo.

"O horizonte da conectividade vai mudar radicalmente. Para o segundo semestre de 2018, estamos trabalhando com o uso do 4G não licenciado na faixa de 5,8 GHz. Há um grande esforço da indústria para fazer um standard e acelerar essa adoção", revela.

Cardoso observa, porém, que a conectividade dentro de casa com o 5G será o WiFi, o maior fator de reclamações nos call centers das provedoras de telecomunicações. "Temos que pensar como fazer o gerenciamento desse WiFi e não apenas nas grandes operadoras, mas também nas operadoras de pequeno e médio porte". O CTO da Nokia sustenta: a latência, ou o fim dela, será o nome do jogo, inclusive na venda de serviços. Assistam.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

27/05/2020
Cisco: 'Sempre estivemos e estamos no jogo do 5G"

27/05/2020
Coronavírus atrasa entrega de telefones 5G e impacta venda global de celulares

22/05/2020
Anatel: Parabólicas comprometem porta de entrada do 5G no Brasil

21/05/2020
Anatel confirma que filtros não resolvem interferência do 5G nas parabólicas

14/05/2020
Ericsson: Compartilhamento de espectro permite 5G às teles antes do leilão

12/05/2020
Pioneira no 5G, Coreia do Sul projeta redes standalone até o fim de 2020

11/05/2020
Ericsson: Covid-19 aumentou a demanda por 5G

08/05/2020
Anatel já sinaliza que Covid-19 vai adiar leilão do 5G para 2021

08/05/2020
Interferência nas parabólicas pode reduzir espectro para 5G

06/05/2020
Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

Destaques
Destaques

Leilão 5G: TIM e Claro defendem adiamento. Vivo adverte para momento incerto

TIM e Claro se posicionam claramente contra a realização do leilão ainda em 2020. A Vivo se mostra mais cautelosa, mas admite que está tudo muito nebuloso por conta da economia e da pandemia de Covid-19. Todas asseguram que o momento ainda é de muito investimento no 4G e no 4,5G.

Operadoras pedem que edital do 5G traga compromissos na nova tecnologia

Mas Anatel lembra que reduzir preço das frequências para exigir investimentos que o mercado já faria naturalmente não faz sentido na licitação. 

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Para além da guerra da saúde pública, não adiem o leilão do 5G

Por Juarez Quadros do Nascimento*

O setor de telecomunicações tem suportado a sobrecarga derivada da pandemia de Covid-19. Mas, reforcem essas redes com tecnologia mais avançada para prover serviços de baixa latência. Dessa forma, não se postergue o leilão das redes ditas de quinta geração (5G) e atenção à segurança cibernética.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site