Home - Convergência Digital

Jornada Intermitente não é aplicável ao setor de TI

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo - 21/11/2017

Durante um live no Facebook, o presidente do Sindicato dos Trabalhadores em Processamento de Dados e Tecnologia da Informação do estado de São Paulo (Sindpd), Antonio Neto, diz que o objetivo para 2018 na campanha salarial que está sendo deflagrada no Estado é assegurar os benefícios conquistados na Convenção Coletiva de Trabalho, que, em função da nova lei trabalhista, tem validade até o dia 31 de dezembro. A CCT beneficia os cerca de 110 mil trabalhadores da área no Estado de São Paulo.

"Teremos uma campanha mais complicada, porque houve a mudança na legislação trabalhista. Somos uma das poucas categorias que têm jornada de trabalho de 40 horas semanais, adicional de hora extra de 75% nas duas primeiras horas e 100% nas demais horas, auxílio-creche, vale-refeição e PLR. O Sindpd está trabalhando para a representação que os trabalhadores exigem nesse novo momento. E é por isso que precisamos da sua participação nas assembleias e mobilizações", afirmou Neto, no live do Facebook, que alcançou mais de 3,3 mil pessoas.

Uma das dúvidas apresentadas foi se os trabalhadores correm o risco de perder o acesso ao seguro-desemprego com a reforma. Em resposta, Antonio Neto alerta que os celetistas não perdem, mas a categoria que não faz parte desse regime deve ficar atenta. "Quem é celetista tem direito a seguro-desemprego normalmente. Mas se você tem contrato de trabalho intermitente, isso não permite que tenha seguro-desemprego e caso haja uma demissão acordada entre você e o patrão, prevendo que o trabalhador abriu mão desses direitos", afirmou Neto.

Sobre o trabalho intermitente, Neto disse que o regime não cabe ao setor. "O trabalho intermitente é fruto de um acordo de empresários brasileiros que querem infelicitar o trabalhador. Mas no setor de TI não acreditamos que efetivamente exista essa possibilidade. O patronal vai ter que mostrar onde isso cabe, mas vamos enfrentá-los, porque independentemente da Lei, podemos negociar a relação capital-trabalho com parâmetros mais justos".

Na conversa, o presidente do Sindpd falou também sobre o lançamento da Campanha Salarial 2018 e convidou os associados para a 21ª SindpdFest, que acontece no dia 26 de novembro, no Clube Juventus, em parceria com a Nativa FM, a partir das 14 horas. "Vamos negociar ganho real e fazê-los entender que os trabalhadores precisam de todas as condições de trabalho, além de uma remuneração digna. É um momento de alegria, porque temos mais um ano para lutar pelos nossos direitos. A união da categoria em 2018 será fundamental após a aprovação da reforma trabalhista. É por isso que contamos com todos", concluiu Neto.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

21/06/2018
Governo sofre derrota. TST confirma que Lei Trabalhista só vale a partir da sua promulgação

21/06/2018
BBTS, ex-Cobra Tecnologia, aceita acordo do TST até julgamento do dissídio

07/06/2018
Trabalhadores entram com pedido de dissídio coletivo de greve no TST contra a Cobra Tecnologia (BBTS)

06/06/2018
Ministério do Trabalho multa empresa de aplicativo em R$ 1 milhão

05/06/2018
Flexibilização no trabalho: prática bem longe da realidade no Brasil

30/05/2018
Reforma Trabalhista: STF vai julgar, em plenária, o fim da contribuição sindical

28/05/2018
Portaria restabelece regras do MP 808 sobre autônomos e trabalho intermitente

17/05/2018
Sem acordo entre patrões e empregados de TI em São Paulo

17/05/2018
Lei Trabalhista: Comissão do TST diz não à posição do Governo Temer

16/05/2018
TRT agenda 2ª audiência de conciliação entre patrões e empregados de TI em São Paulo

Veja mais artigos
Veja mais artigos

eSocial desafia a rotina dos Recursos Humanos

Por Juliana Andrade*

Chegou a hora de as empresas tirarem proveito da robotização, especialmente, na análise de cadastros para observar se há ou não alguma informaçaõ que destoe da atualidade. O regime fiscal online exige a reparação dos dados.

Destaques
Destaques

Flexibilização no trabalho: prática bem longe da realidade no Brasil

Pesquisa mostra que 75% dos brasileiros ainda trabalham no formato tradicional: no escritório e no horário comercial. Estudo mostra ainda que 58% das empresas não fornecem recursos suficientes para viabilizar o home office.

Juízes do Trabalho: Reforma trabalhista só vale depois da sua entrada em vigor

Decisão foi tomada por mais de 700 juízes e desembargadores. Para eles, a Lei 13.467/2017 só deve valer para processos e contratos iniciados após 11 de novembro de 2017, quando a legislação entrou em vigor.

Lei Trabalhista: TST decide que demissão só pode ser homologada no sindicato

Tema é controverso, mas o ministro Alexandre Agra Belmonte decidiu em setença que "se o empregado tiver mais de um ano de serviço, o pedido de demissão somente terá validade se assistido pelo seu sindicato".

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site