INCLUSÃO DIGITAL

Anatel clama por ‘corrida aos conversores’ de TV Digital em Franca e Ribeirão Preto

Luís Osvaldo Grossmann ... 29/11/2017 ... Convergência Digital

Os percentuais muito abaixo do esperado na preparação dos domicílios, especialmente nas regiões de Franca e de Ribeirão Preto, em São Paulo, levaram à Anatel, que coordena a transição para a TV Digital, a pedir que os moradores corram para comprar os conversores para seus aparelhos de televisão. Na dúvida, a decisão foi empurrar o desligamento analógico em ambas para não antes de 31 de janeiro de 2018. 

“O grande apelo que fazemos é que os habitantes precisam adquirir o kit [de conversor e antena] no comércio local. Não houve essa corrida e temos que incentivar que isso aconteça”, afirmou o presidente da agência, Juarez Quadros, que também lidera o grupo de implementação da digitalização, que reúne governo, Anatel, emissoras de TV e operadoras de telefonia móvel. 

Como apontado pelas pesquisas feitas pelo Ibope, em Franca e Ribeirão Preto apenas 80% e 84% dos lares estão aptos a receber somente sinais digitais de televisão. Outras regiões do interior de São Paulo onde o ‘apagão’ analógico estava previsto para a meia noite desta quarta, 29/11, também tiveram o cronograma esticado. Em Santos, as emissoras comerciais só vão transmitir apenas em digital a partir de 20 de dezembro. Nas regiões de Campinas e do Vale do Paraíba, essa data foi empurrada para 17 de janeiro de 2018. Em Franca e Ribeirão, será preciso uma nova pesquisa para confirmar o desligamento. 

“Os radiodifusores vão intensificar a campanha na televisão e por parte da EAD [Seja Digital, o braço operacional da digitalização] tem bastante atividade também, uma vez que há necessidade mais firme, como feirões e promoções, junto ao comércio local, uma campanha mediante às lojas autorizadas que fornecem conversor e antenas”, disse Juarez Quadros. 

Algumas dessas áreas no interior de São Paulo contam ainda com uma dificuldade adicional – a falta de canais disponíveis para a transmissão simultânea de sinais analógicos e digitais. Por isso, explica a EAD, algumas emissoras acabaram tendo atrasos na preparação das transmissões com a nova tecnologia. 

Ainda assim, o ministro de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações, Gilberto Kassab, minimizou as mudanças no cronograma. “Do ponto de vista de politica pública, isso não faz a menor diferença. É evidente que do ponto de vista das operadoras [que precisam da liberação da frequência ‘analógica’ para ativar 4G em 700 MHz] faz alguma diferença, mas está dentro da margem de erro.”


TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Viasat: TCU controla viabilidade de acordo com Telebras

Segundo a vice presidente da empresa, Lisa Scapone, a demanda existe e pode ser medida pelo Gesac, mas operação comercial no Brasil depende dos ajustes no contrato para uso do satélite nacional.

PC fica cada vez mais distante da população mais pobre no Brasil

Dados do IBGE revelam que os mais pobres do País trocaram os PCs pelos celulares e tablets. A proporção da população com acesso à internet no domicílio passou de 67,9% em 2016 para 74,8% em 2017.

Parceira da Telebras amplia WiFi via satélite no México para áreas urbanas

Dois anos depois de começar a explorar banda larga satelital em áreas remotas do país, como promete fazer no Brasil, a empresa americana Viasat anuncia conexões de 100 Mbps e preços para competir com internet fixa.

Para TCU, políticas desconexas desperdiçam dinheiro com inclusão digital

Ao citar a política de Banda Larga, Tribunal observa que a falta de coordenação gera redundância, falta de isonomia e obstáculos à oferta de serviços.

CPFL: É preciso predisposição para se ter um consenso no uso dos postes

"Não é fácil, mas é preciso existir um alinhamento. Estão todos do mesmo lado", diz o diretor da CPFL, André Luiz Gomes.

Swap de fibras é mandatório para levar banda larga em regiões desassistidas

Compartilhamento de infraestrutura é essencial para reduzir custos e definir modelos de negócios nas cidades onde as teles não investiram, observa o CEO da UmTelecom, Rui Gomes.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G