Home - Convergência Digital

Novas receitas das teles virão do B2B e do B2G

Convergência Digital - Carreira
Ana Paula Lobo e Pedro Costa - 11/12/2017

Não basta o tubo para prover o serviço de Internet das Coisas é necessário que a operadora esteja preparada para trabalhar na oferta fim a fim, observou Júlio Sgarbi, da Huawei Brasil, ao participar do Fórum de Tecnologia e Inovação Oi, realizado nesta segunda-feira, 11 de dezembro, no Rio de Janeiro.

O executivo assegura que novas receitas vão sugir no mercado de B2B e do B2G ( relação com governo).  "A rede atual, a rede legada, não suporta os novos serviços que estão por vir, uma vez que elas estão em silos, com vida útil já no fim", afirma Sgarbi. Assistam a participação de Júlio Sgarbi, da Huawei Brasil.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

22/03/2019
Oi testa 5G na faixa de 3,5GHz em Búzios, no Rio de Janeiro

22/03/2019
Oi quer licença da Anatel para investir em redes que União terá que indenizar

21/03/2019
Oi reforça portfólio para transformação digital da gestão pública

19/03/2019
Oi quer aumentar lojas por meio de franquias

15/03/2019
Oi faz campanha para consumidor escolher nome para chatbot de atendimento

14/03/2019
Oi tem vagas em sete estados para pessoas com deficiência

11/03/2019
4G da Oi leva Internet e comunicação à estação brasileira da Antártica

11/03/2019
Para Ericsson, 5G vai fazer acontecer, de verdade, a indústria 4.0

07/03/2019
5G vai gerar 15 milhões de novos empregos até 2025

01/03/2019
Mais que frequência, 5G exige muita fibra e muita nuvem

Destaques
Destaques

Para Ericsson, 5G vai fazer acontecer, de verdade, a indústria 4.0

Presidente da fabricante para a América do Sul, Eduardo Ricotta, diz que uma operadora com 50 Mhz a 80 Mhz terá espectro para oferecer bons serviços, especialmente, o da banda larga fixa móvel. "Há cidades no Brasil, com menos de 100 mil habitantes, com conexões de 2 Mbits. O 5G vai chegar oferecendo bem mais", observa.

5G vai gerar 15 milhões de novos empregos até 2025

O ecossistema 5G está em ebulição e demandará muita mão de obra, afirma o diretor da Huawei, Carlos Roseiro. Segundo ele, vão surgir aplicações, muitas ainda inimagináveis, nos próximos seis anos. "O 5G começa hoje. A frequência virá para dar mais capacidade", observa o especialista.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site