TELECOM

Novo plano de recuperação da Oi parcela dívidas com Anatel e converte até 75% do capital

Luís Osvaldo Grossmann ... 12/12/2017 ... Convergência Digital

O novo plano da recuperação judicial da Oi para negociar mais de R$ 64 bilhões em dívidas prevê a conversão de créditos em até 75% das ações da operadora, acima da proposta anterior, e um parcelamento em 20 anos da fatia relativa a multas da Anatel. A proposta, apresentada nesta terça 12/12, também prevê uma capitalização mínima de R$ 4 bilhões, mas que pode chegar a R$ 6,5 bilhões com emissão de novas ações. 

“Após mais de 18 meses de negociações  com os diversos credores, chegamos a um patamar de conversão de dívida em ações considerando um equilíbrio entre o valor econômico para os acionistas e a recuperação de crédito para o credores. Entendemos que é a equação possível e que viabiliza um plano de negócios sustentável para a companhia e a aprovação do plano em assembleia de credores”, diz o presidente da supertele, Eurico Teles. 

Segundo a Oi, da dívida total, R$ 49,4 bilhões representam a dívida financeira, enquanto o restante envolve passivos trabalhistas, com fornecedores, além das multas aplicadas pela Anatel, tanto ainda na esfera administrativa como na judicial. Da dívida financeira, o abatimento chega a 48% do total, com redução para R$ 23,9 bilhões. Pelo valor de face, significa fazer a dívida ficar inferior a três vezes o Ebtida. “O restante dos créditos será equacionado com desconto ou alongamento de prazo na forma do plano e de acordo com a capacidade de geração de caixa da companhia. O prazo médio da dívida, por exemplo, ficará acima de 10 anos”, diz a Oi.

De acordo com a nova proposta, “a dívida com títulos internacionais que totaliza R$ 32,3 bilhões será convertida após a homologação do Plano em R$ 6,3 bilhões de nova dívida com títulos internacionais (bonds) e em ações (equity) que representarão até o máximo de 73,7% do capital da Oi incluindo emissão de novas ações e transferência de ações da Oi detidas pela PTIF. Este patamar somente será atingido se todos os credores destes bonds se apresentarem na assembleia e aderirem a esta opção. O Plano prevê ainda que este percentual máximo pode chegar a 75% com exercício de um bônus de subscrição após um ano da homologação do Plano ou antes do aumento de capital, o que ocorrer primeiro”.

Depois dessa etapa, o plano inclui aumento de capital de R$ 4 bilhões “em recursos novos abertos a todos os acionistas”, inclusive quem já converteu dívida em ações. Para garantir apoio, a adesão ao plano prevê comissões em dinheiro (8%) ou ações (10%). A empresa sustenta que “parcela relevante dos credores se comprometeu com a totalidade do aumento de capital”, mas que “como todos os acionistas podem participar do aumento de capital, a composição acionária final não será alterada caso todos acompanhem a subscrição”.

Anatel

A fatia reconhecida pela Oi de dívidas com a Anatel, R$ 14 bilhões, será totalmente parcelada em 20 anos, com correção pela Selic, como já previa a costura conduzida pela Advocacia Geral da União. Do total, a Oi espera que o governo conceda alguns descontos, razoavelmente em linha com o que já estava previsto na MP 780, que criou o Programa de Regularização de Débitos não Tributários. A diferença é que o PRD exigia 20% de quitação no ato, com descontos de 30% nos juros e multa. 

O plano da Oi não prevê nenhuma quitação antecipada, mas inclui esperados descontos de 50% nos juros e 25% nas multas de mora. Além disso, prevê um corte de 25% no que chama de ‘multas estimadas’, pouco mais de R$ 6 bilhões que ainda estão na esfera administrativa. Além disso, essa mesma parcela das multas teria carência de quatro anos para começar a ser paga. Pela proposta, a Oi vai usar R$ 1,4 bilhão em depósitos judiciais para amortizar as primeiras parcelas. 

“Apesar de muito desafiadora e distinta do que a empresa havia pensado primeiramente, desenhamos uma modelagem para os créditos da Anatel que assegura garantia jurídica para o processo”, diz Teles. Segundo o executivo, o plano garante condições para que haja aumento no nível atual de investimentos da empresa. “O investimento da companhia aumentará de uma média anual de RS 5 bilhões para R$ 7 bilhões nos primeiros três anos, que serão destinados à expansão da infraestrutura e projetos estratégicos.”


Segue a sangria nas linhas de telefonia fixa no Brasil

Em novembro, foram contabilizadas 135.964 mil linhas a menos e o país fechou o décimo primeiro mês de 2017, com quase 41 milhões de linhas ativas. Oi, Claro, TIM e pequenos prestadores de STFC puxaram a queda de linhas em serviço.

Plano da Oi prevê investimentos abaixo do necessário, diz Anatel

Para agência, os R$ 4 bilhões previstos de dinheiro novo na operadora não são suficientes para que a Oi alcance o nível anual de aportes dos concorrentes. “Se não acompanhar, vai continuar perdendo mercado”, diz Juarez Quadros. 

Claro repete que há muitas operadoras no Brasil e resiste à entrada dos chineses na Oi

"O mercado já está instável com quatro operadoras. Os chineses têm uma mistura com o governo. Com quem iríamos brigar?", criticou o presidente José Félix. Não é a primeira vez que a Claro diz que o mercado nacional comporta apenas três players.

Eletrosul testa suporte por satélite com Telebras e Hughes

Com 11 mil km de linhas de transmissão, a empresa é responsável por aproximadamente 10% do sistema de transmissão do País. Piloto terá duração de 60 dias.

Rede fixa três vezes maior do que a das rivais será o futuro da Oi

O diretor de Tecnologia de Redes e Sistema da Oi, Pedro Falcão, sustentou que o backbone óptico e as redes metropolitanas são a 'joia da coroa' e despertam a ambição dos concorrentes. "A Internet de Tudo exigirá muita rede fixa", frisou.

Oi unifica mainframes para acelerar serviços digitais

Tele também montou o Centro de Gerência de Serviços, em Brasília, com a missão de unificar as ações em áreas como recarga de pré-pago e faturamento.


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G