INTERNET

Prefeitura do Rio adota o Messenger, do Facebook, para fazer alertas à população

Convergência Digital* ... 09/01/2018 ... Convergência Digital

O Centro de Operações da Prefeitura do Rio (COR) está usando o serviço de mensagens (messenger) do facebook para se comunicar mais rapidamente com a população, tanto para receber informações sobre a ocorrência de situações anormais na cidade, quanto para fazer, com agilidade, alertas de chuva forte ou de qualquer outro tipo de problema.

O chefe executivo do COR, Guilherme Sangineto, disse que o uso das redes sociais pelo órgão começou pelo Twitter em 2011 e,agora, a ideia é intensificar essa prática para chegar mais perto da população. “Nós entendemos que as redes sociais são um canal de mão dupla, uma vez que interagimos muito com a sociedade por meio dessas ferramentas”, acrescentou.

O serviço do messenger, que começou a ser utilizado no fim da semana passada, está com 1.400 inscritos para receber e transmitir mensagens instantâneas, inclusive com o envio de vídeos. Para se inscrever é preciso apenas acessar a página do órgão no facebook e procurar o chat COR. “A fonte humana é mais um sensor do COR. A pessoa verifica a anomalia na via pública, como um alagamento, manda para o COR, pode mandar com foto ou vídeo, nós verificamos, confirmamos, chamamos os atores da prefeitura - por exemplo, a Comlurb, a Guarda Municipal -, que vão trabalhar e resolver o problema. Depois, damos um retorno ao usuário de que a demanda foi atendida”.

“A informação que vem pelas redes sociais tem um caminho que favorece muito o tratamento das anomalias na cidade do Rio de Janeiro”, afirmou Sangineto. Ele lembrou que, por meio das redes sociais do COR, qualquer pessoa tem acesso a informações da cidade que passam por mobilidade, clima, transporte, obras, intervenções viárias, eventos e situações de emergência.

“Os picos das nossas redes sociais são sempre durante as emergências. Mas, em dia normal, os nossos comunicados alcançam 800 mil perfis. Em dias de emergência, chegam a mais de 2 milhões”, revelou, destacando que, somente no Twitter, em 2014, o COR tinha aproximadamente 200 mil seguidores. Quatro anos depois, esse número chega perto de 850 mil.

Fonte: Agência Brasil


Perícia digital: Disputa judicial exige mais prazo de armazenamento de dados

"Conflitos judiciais levam mais tempo que o exigido das empresas para armazenamento das informações. Com dados, não há anonimato na Internet", observa João Alberto Matos, do Pio Tamassia Advocacia. Fake News e perfis falsos nas redes sociais mobilizam a maior parte das perícias digitais.

MPF investiga Facebook por prestar informação falsa e descumprir ordem judicial

Para o Ministério Público, “a atitude mostra desrespeito aos Poderes da República Federativa do Brasil". Facebook tem 30 dias para dar esclarecimentos.

Brasileiro precisa entender que os dados valem muito dinheiro

Professor Luca Belli, da FGV/RJ, diz que o Brasil tem 210 milhões de produtores de dados e pode ter uma vantagem competitiva em Inteligência Artificial. "Mas a hora é de abrir a caixa preta e entender os critérios usados na tomada de decisão", observa. Sobre a LGPD, o especialista é taxativo: sem Autoridade de Dados, a legislação não 'pega'.

Autoridade de Dados tem de ser independente, técnica e sem controle do Estado

"Não haverá Lei de Proteção de Dados sem a Autoridade, mas não podemos ter essa entidade ligada à Casa Civil, ao Ministério da Justiça ou ao CGI. Ela vai fiscalizar a iniciativa privada e o poder público. Precisa ter independência", adverte Carlos Affonso de Souza, do ITS/Rio de Janeiro.

Brasil soma quase sete mil provedores de Internet

Pesquisa TIC Provedores 2017, feita pelo CGI.br, mostra ainda que os ISPs são os fomentadores da fibra óptica no País. Maior parte dos provedores é pequeno e oferecem até 1000 acessos. Os grandes provedores respondem por 2%, mas atendem a 80% do mercado.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G