Home - Convergência Digital

EUA quer ter controle da rede 5G para evitar espionagem chinesa

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 29/01/2018

A equipe de Segurança Nacional do presidente Donald Trump defende que o governo dos Estados Unidos controle a rede 5G do país como forma de evitar espionagem da China. Um documento com essa estratégia foi divulgado neste domingo, 28/01, pelo site de notícias Axios.com, mais tarde reafirmado em entrevista à agência Reuters. 

A justificativa colocada é a tentativa de impedir que a China seja capaz de ouvir as conversas dos norte-americanos e se baseia no que é visto como superioridade tecnológica chinesa nas modernas redes de telecomunicações móveis. Segundo o documento divulgado pelo Axios, “a China alcançou posição dominante na manufatura e operação de infraestrutura de rede”. 

Sob essa lógica, a estratégia – que ainda não teria sido apresentada à Trump – prevê a criação de uma rede nacional 5G nos próximos três anos sob controle estatal, que então poderia ser ‘alugada’ para as operadoras privadas dos Estados Unidos. 

A ideia parece um contrassenso em um país que defende a privatização generalizada. Mas é fato que tanto o governo como o Congresso dos EUA já vêm adotando uma postura restritiva a interesses chineses no país. Em 2012, vale lembrar, Huawei e ZTE foram carimbadas como ameaças à segurança nacional. 

Além disso, se uma rede nacionalizada 5G é coisa de sonhos de assessores de segurança, os aparelhos smartphones chineses já são alvo de medidas práticas. Em janeiro, segundo reportagem da Reuters, a AT&T foi obrigada a desistir de oferecer aparelhos fabricados pela Huawei para seus clientes. A pressão é no sentido de que negócios com empresas de telecomunicações da China poderão prejudicar contratos com o governo americano. 

Não custa lembrar que quando das denúncias de Edward Snowden sobre a espionagem global praticada pelos EUA, uma das ferramentas mencionadas era a facilidade de acesso que o governo americano tem sobre comunicações, notadamente quando utilizados equipamentos de rede fabricados nos Estados Unidos. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

13/12/2018
Relatório prevê 25 operadoras com serviços 5G em 2019, 51 em 2020

12/12/2018
Indústria pressiona por faixas de 26GHz, 40 GHz e 66-71 GHz para o 5G

11/12/2018
Preocupação com parabólicas não pode excluir Brasil do 5G

09/12/2018
"O mundo precisa comprar a ideia do 5G nas áreas remotas"

09/12/2018
Japão terá aplicações reais de 5G nas Olimpíadas de 2020

09/12/2018
5G tem vários desafios a serem enfrentados pelo Brasil

07/12/2018
Indústria de TICs brasileira sinaliza apoio à Huawei

06/12/2018
Brasil tem que avançar muito mais em fibra óptica para ter o 5G

04/12/2018
Teles vão investir US$ 47 bilhões até 2020 para atualizar infraestrutura na AL

03/12/2018
Brasil segue tímido nas ações de fomento à Internet das Coisas

Destaques
Destaques

5G exige pelo menos 100 MHz para cada operadora no Brasil

O tema preocupa a coordenação de espectro do 5G Brasil, uma vez que foram destinados 300 MHz na faixa intermediária e há quatro operadoras nacionais.

Segurança cibernética é crítica para o avanço do 5G

O tema é considerado polêmico - até em função das questões políticas que o envolvem como a briga China x EUA -, mas precisa ser debatido, observa Gustavo Correa Lima, engenheiro do CPqD.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site