Home - Convergência Digital

FCC rebate Trump e diz que nacionalizar 5G é contraprodutivo

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 30/01/2018

Se o governo de Donald Trump planeja realmente estatizar a rede 5G do país, faltou combinar com a agência americana de telecomunicações, a FCC. Em nota, Ajit Pai, que virou presidente da FCC por indicação de Trump, rechaçou a ideia, vazada no final de semana pelo site de notícias Axios a partir de documentos do conselho de segurança nacional dos Estados Unidos. 

“Eu me oponho a qualquer proposta do governo federal de construir e operar uma rede nacional 5G (...). O que o governo pode e deve fazer é destinar espectro para o mercado e definir regras que encorajem o setor privado a desenvolver e implantar infraestrutura da próxima geração. Qualquer esforço federal de construir uma rede 5G nacionalizada seria uma distração custosa e contraproducente das políticas que precisamos para ajudar os Estados Unidos a vencer o futuro do 5G”, disparou Pai. Não foi o único. Os demais quatro conselheiros da FCC igualmente criticaram a proposta. 

Por mais improvável que seja o plano, ele foi reconhecido como verdadeiro ainda na véspera, quando a secretaria de imprensa da Casa Branca, Sarah Sanders, admitiu que “várias coisas estão à mesa”, e que “discutimos a necessidade de uma rede segura”. Conforme o powerpoint divulgado pela Axios, o governo dos EUA teme a espionagem da China e o acesso a chamadas dos americanos. A ironia é que os EUA fazem exatamente isso com o resto do mundo, graças a equipamentos de rede de manufatura americana. 

Em outra frente, no entanto, o governo dos EUA segue firme na política de evitar que as operadoras do país façam negócios com empresas chinesas. Depois da AT&T, que em janeiro se viu forçada a desistir da oferta de aparelhos da Huawei para seus clientes, agora foi a Verizon quem admitiu o mesmo: a empresa acaba de desistir de oferecer o novo Mate 10 Pro da fabricante chinesa, conforme revelado pela Bloomberg. 

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

19/10/2018
Salvador vai usar plataforma de segurança pública da Huawei

19/10/2018
Embratel vai fazer teste de integração de satélite com 5G na faixa de 3,5 GHz

19/10/2018
Arquitetura cloud faz 5G facilitar a entrega de serviços aos clientes

18/10/2018
Falta de espectro e de harmonização ameaçam 5G na América Latina

18/10/2018
GSMA: Governos adiantam licitação para pressionar implantação do 5G

17/10/2018
Ericsson: quem tem de autorizar instalação de antena é a Anatel

17/10/2018
Ericsson: cidades vão ser elementos vivos conectados

17/10/2018
Satélite e fibra óptica vão ter de se harmonizar pelo 5G

17/10/2018
Para CTO da TIM, sem antenas 5G não vai sair do discurso no Brasil

16/10/2018
Claro terá rede 100% pronta para IoT até meados de 2019

Destaques
Destaques

FCC, dos EUA, impõe ‘Lei das Antenas’ para acelerar redes 5G

Regra aprovada pelo regulador dos Estados Unidos prevê entre 60 e 90 dias como prazo máximo para licenças de instalação de equipamentos, em especial, para as small cells. Lá também há burocracia e o prazo de espera pode chegar a um ano. No Brasil, a situação não é diferente.

BNDES recebe 54 projetos de IoT e selecionados terão apoio de R$ 30 milhões

São 23 projetos que propõem soluções de Internet das Coisas para cidades, 17 para saúde e 14 para campo. Juntos, envolvem investimentos de R$ 360 milhões. Banco vai selecionar, até outubro, as empresas que vão receber empréstimos não reembolsáveis.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site