Home - Convergência Digital

Mais de 12% de usuários brasileiros são infectados por pornografia no celular

Convergência Digital - Carreira
Da redação - 01/02/2018

Os especialistas da Kaspersky Lab examinaram como os criminosos virtuais estão usando conteúdo para adultos em suas atividades e constaram que mais de 12% dos usuários no Brasil infectados por malware móvel em 2017 sofreram ataques relacionados a questões pornográficas que utilizaram conteúdo adulto para incentivá-los a instalar em seus dispositivos.

Segundo os pesquisadores, os temas de pornografia são mais usados no cenário de ameaças em dispositivos móveis. No estudo, os especialistas identificaram 23 famílias de malware que usam conteúdo pornográfico para ocultar sua verdadeira funcionalidade.

A pesquisa mostrou que, ao baixar um aplicativo de pornografia desconhecido, os usuários têm grande risco de serem infectados pelos chamados clickers. Depois da infecção, esse malware começa a clicar em links de anúncios ou tenta inscrever o usuário em uma assinatura WAP, que consome o crédito pré-pago do celular.

Os cavalos de Troia direcionados a bancos disfarçados em players de vídeo pornográfico são o segundo tipo mais comum de malware alimentado pela pornografia. Logo depois, estão o malware de desbloqueio do tipo rooting e o ransomware.

Muitas vezes, o ransomware tem o formato de aplicativos legítimos de sites de pornografia conhecidos e, em muitos casos, ele utiliza táticas de scareware – bloqueando a tela do dispositivo e mostrando uma mensagem que informa que foi detectado conteúdo ilegal (normalmente pornografia infantil) no dispositivo e que, por isso, ele foi bloqueado. Para desbloquear o dispositivo, a vítima deve pagar um resgate. Essa mensagem costuma vir com capturas de tela de vídeos reais de pornografia infantil.
 
"Embora não seja possível afirmar que os aplicativos móveis com temas pornográficos sejam tecnicamente muito diferentes dos que não utilizam o sexo em suas atividades, há alguns pormenores nos ataques com aplicativos maliciosos alimentados pela pornografia. A vítima que foi comprometida por um programa malicioso com conteúdo para adultos pensa duas vezes antes de relatar o incidente, pois o simples fato de estar tentando encontrar conteúdo pornográfico é visto negativamente. Portanto, da perspectiva do invasor, essa pessoa é uma vítima muito mais conveniente. Esse é um dos motivos por que vemos tantos ataques envolvendo malware com pornografia. O outro é muito mais simples: as pessoas estão consumindo cada vez mais conteúdo via dispositivos móveis, inclusive conteúdo para adultos", explica Roman Unuchek, especialista em segurança da Kaspersky Lab.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

25/09/2018
No Brasil, empresas ignoram seus próprios especialistas em cibersegurança

20/09/2018
Triplicam os ataques de malware via internet das coisas

19/09/2018
Justiça negocia plataforma para cooperação jurídica online com a Interpol

17/09/2018
UIT lança guia para orientar países em estratégias de segurança cibernética

13/09/2018
Com uso de robôs, fraudes pelo celular crescem 24% no primeiro semestre

06/09/2018
Apple terá página global para fornecer dados de usuários às autoridades

03/09/2018
MPDF abre investigação sobre vazamento de 2 milhões de dados de clientes da C&A

27/08/2018
Justiça condena quadrilha por golpes online de R$ 3 milhões

23/08/2018
Golpe no Whatsapp com promoção do iFood ataca 86 mil em 48 horas

20/08/2018
Empresas de biometria rebatem Ministério Público

Destaques
Destaques

4G: Belo Horizonte tem melhor cobertura, Porto Alegre maior velocidade

Estudo da OpenSignal indica que nas 14 maiores cidades brasileiras o sinal de LTE está disponível pelo menos 73% do tempo, acima dos 66% da média nacional.

América Latina restringe espectro e fica longe da meta da UIT

Até setembro, de acordo com a 5G Americas, foram concedidos, em média, na região, 363,8 MHz de espectro para a oferta de serviços móveis na América Latina.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site