GOVERNO

Celular é a nova carteira de identidade dos brasileiros

Luís Osvaldo Grossmann ... 05/02/2018 ... Convergência Digital

Depois de 21 anos em busca de uma carteira de identidade que unificasse os diversos documentos usados no Brasil, foi lançado nesta segunda, 5/2, o que será o Documento Nacional de Identificação. O que já se pensou em papel, em cartão, ou em chip acabou adotando uma solução mais simples: o DNI será um aplicativo para celulares. 

“A ideia de um documento de identidade todo digital, que possamos acessar pelo telefone, é muito prática”, destacou o presidente da República Michel Temer durante o lançamento do que é, ainda, uma versão piloto do novo documento. Por enquanto, apenas servidores do Tribunal Superior Eleitoral e do Ministério do Planejamento já poderão baixar e validar o DNI como nova identidade. A expectativa é de que essa fase ‘piloto’ dure dois meses. 

De início, o DNI terá o registro de identidade além de CPF e título de eleitor, mas a ideia é que aos poucos ele agregue todos os demais registros no mesmo aplicativo. “Trata-se não de mais um documento, mais um número, mais uma burocracia, mas de uma solução tecnológica que vai englobar os outros documentos e serviços e facilitar a vida do cidadão”, apontou o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira. 

Ou seja, como identificação digital, o DNI deve, pelo plano, facilitar o acesso a serviços públicos. Daí a integração e comunicação entre as bases de dados do TSE, que detém o cadastro biométrico dos eleitores (até aqui, 73 milhões), com os registros das seguranças públicas estaduais e Polícia Federal, com as bases federais de serviços. 

Essa interoperabilidade e a segurança da conexão ficou à cargo do Serpro. Já a interface do DNI foi desenvolvida por uma empresa privada, Mba Mobi, de Brasília, que por enquanto tem um contrato de R$ 3,6 milhões com o TSE. Segundo o ministro do Planejamento, “o custo desse documento para a sociedade será R$ 0,10 por habitante, porque é tudo digital, tudo eletrônico”. 

Após a fase ‘piloto’, o DNI estará disponível para os brasileiros que já realizaram o cadastro biométrico junto ao TSE. Para emiti-lo, será preciso baixar o aplicativo, que tem versões Android e iOS, fazer um pré-cadastro e em seguida ir a um posto de atendimento para validação. O registro ficará na memória do celular. No caso de perda do aparelho, basta baixar novamente o app e acessar os dados com a senha cadastrada. 

Pelo cronograma previsto, o aplicativo estará disponível a todos a partir de 1o de julho. O lançamento oficial acabou antecipado para cair ainda no último dia do ministro Gilmar Mendes como presidente do TSE, como reconheceu o próprio durante a cerimônia desta segunda no Palácio do Planalto. “Houve até um certo egoísmo da equipe que quis lançar o documento ainda na minha presidência”. 


Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Operações com criptomoedas terão que ser informadas à Receita

Nova instrução normativa da Receita exige informações quando as operações com ‘criptoativos’ ultrapassarem os R$ 30 mil mensais. No valor  de mercado desta terça-feira, 07/05, um bitcoin vale US$ 5.940,00, ou R$ 23.760. Ou seja, brasileiro com 2 bitcoins terá de prestar contas com o Fisco.

Reforma Tributária só acontece se for 'fatiada' com governo à frente

A afirmação é do presidente da Frente Parlamentar Mista da Reforma Tributária do Congresso Nacional, deputado Luis Miranda, do DEM/DF. "Não dá para crer que governo federal, estados e municípios façam a reforma unificada", diz.

Serpro e Dataprev terão de se reinventar para a economia digital

O secretário Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, Paulo Uebel, admite que um desafio a ser enfrentado para a transformação digital do governo federal é a interoperabilidade dos bancos de dados. "Há muitos que não se conversam", afirmou.

Falta de dinheiro exige exercício de criatividade na economia digital

Para o secretário de empreendedorismo e inovação do MCTIC, Paulo Alvim, a retomada da competitividade no Brasil passa por um ecossistema sólido unindo governo, iniciativa privada e academia.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G