GOVERNO

Celular é a nova carteira de identidade dos brasileiros

Luís Osvaldo Grossmann ... 05/02/2018 ... Convergência Digital

Depois de 21 anos em busca de uma carteira de identidade que unificasse os diversos documentos usados no Brasil, foi lançado nesta segunda, 5/2, o que será o Documento Nacional de Identificação. O que já se pensou em papel, em cartão, ou em chip acabou adotando uma solução mais simples: o DNI será um aplicativo para celulares. 

“A ideia de um documento de identidade todo digital, que possamos acessar pelo telefone, é muito prática”, destacou o presidente da República Michel Temer durante o lançamento do que é, ainda, uma versão piloto do novo documento. Por enquanto, apenas servidores do Tribunal Superior Eleitoral e do Ministério do Planejamento já poderão baixar e validar o DNI como nova identidade. A expectativa é de que essa fase ‘piloto’ dure dois meses. 

De início, o DNI terá o registro de identidade além de CPF e título de eleitor, mas a ideia é que aos poucos ele agregue todos os demais registros no mesmo aplicativo. “Trata-se não de mais um documento, mais um número, mais uma burocracia, mas de uma solução tecnológica que vai englobar os outros documentos e serviços e facilitar a vida do cidadão”, apontou o ministro do Planejamento, Dyogo Oliveira. 

Ou seja, como identificação digital, o DNI deve, pelo plano, facilitar o acesso a serviços públicos. Daí a integração e comunicação entre as bases de dados do TSE, que detém o cadastro biométrico dos eleitores (até aqui, 73 milhões), com os registros das seguranças públicas estaduais e Polícia Federal, com as bases federais de serviços. 

Essa interoperabilidade e a segurança da conexão ficou à cargo do Serpro. Já a interface do DNI foi desenvolvida por uma empresa privada, Mba Mobi, de Brasília, que por enquanto tem um contrato de R$ 3,6 milhões com o TSE. Segundo o ministro do Planejamento, “o custo desse documento para a sociedade será R$ 0,10 por habitante, porque é tudo digital, tudo eletrônico”. 

Após a fase ‘piloto’, o DNI estará disponível para os brasileiros que já realizaram o cadastro biométrico junto ao TSE. Para emiti-lo, será preciso baixar o aplicativo, que tem versões Android e iOS, fazer um pré-cadastro e em seguida ir a um posto de atendimento para validação. O registro ficará na memória do celular. No caso de perda do aparelho, basta baixar novamente o app e acessar os dados com a senha cadastrada. 

Pelo cronograma previsto, o aplicativo estará disponível a todos a partir de 1o de julho. O lançamento oficial acabou antecipado para cair ainda no último dia do ministro Gilmar Mendes como presidente do TSE, como reconheceu o próprio durante a cerimônia desta segunda no Palácio do Planalto. “Houve até um certo egoísmo da equipe que quis lançar o documento ainda na minha presidência”. 


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

Órgãos públicos do Executivo estão proibidos de exigir CPF e CNPJ

Medida impõe o compartilhamento de dados sem nenhuma regra de cuidado com as informações. Portaria proíbe a exigência ainda de certidões de débitos tributários e dívida ativa e certidão de quitação eleitoral.

Serpro repudia acusação de venda de dados pessoais

Estatal diz nunca ter repassado conteúdo ao site 'Consulta Pública', 'congelado' por uma ação do MPF do Distrito Federal. Sustenta ainda que não vende 'secretamente' dados de pessoas naturais ou jurídicas.

Apps de e-gov não pedem consentimento e coletam mais dados do que precisam

Segundo estudo do InternetLab com aplicativos federais e de São Paulo, nenhum dos aplicativos pede consentimento expresso e metade não possui qualquer política de privacidade.

Anac autoriza Secretaria de Patrimônio da União usar drones para fiscalização

Licitação para a compra de equipamentos pelo governo deverá acontecer a partir do final de maio. Drones vão ser usados para fiscalizar uso irregular de áreas de praia, margens de rios, terrenos de marinha e espelhos d'água, dentre outros bens públicos de propriedade da União.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G