TELECOM

Anatel propõe novos limites de espectro que facilitam fusões

Luís Osvaldo Grossmann ... 22/02/2018 ... Convergência Digital

A Anatel vai colocar em consulta pública, por 45 dias, a proposta de revisão da gestão do espectro, pela qual amplia o limite de radiofrequências detidas por cada operadora móvel. Na prática, a mudança facilita rearranjos que mantenham apenas três grandes empresas no mercado, visto que cada uma poderá deter até cerca de um terço da espectro licenciado total. 

“Essa segregação vai permitir, se aprovada, uma situação limite com potencial concentração em três empresas como limite máximo, com todas as simulações no sentido de evitar que se ultrapasse essa barreira. De três empresas não se permitiria passar [para menos]”, pontuou o conselheiro Otávio Rodrigues, autor da proposta aprovada nesta quinta, 22/2, pelo Conselho Diretor da agência. 

Pelo plano, haveria limite diferenciado para faixas abaixo de 1 GHz, e para faixas entre 1 GHz e 3 GHz. Nas mais baixas, o limite atual de concentração fica em 29% e seria deslocado para 35%. Podem ser autorizados limites maiores, entre 35% e 40% do espectro total, mediante condicionamentos. Acima disso fica sumariamente vetado. 

Na faixa de 1 GHz a 3 GHz, o novo limite proposto é de 30% - sendo que atualmente ele está em 21%. Da mesma forma, haverá a possibilidade de a agência autorizar concentração maior, entre 35% e 40%, também mediante condicionamentos. Mais de 40% vetado. 


Anteprojeto que muda Fust e Fistel chega ao MCTIC

Anatel encaminhou a proposta como sugestão de uso dos recursos e redução de taxas incidentes sobre a internet das coisas. Mas teles questionam contas.

Teles reduzem índice de queixas dos usuários. Pós-pago foi o mais reclamado

Reclamações contra os serviços de telefonia fixa, móvel, TV por assinatura e banda larga caíram 15,6% no primeiro semestre, de acordo com dados da Anatel. Mas com o impulso do 4G, o celular pós-pago, por conta da cobrança dos pacotes, foi o mais reclamado em junho.

Prejuízo acelera processo de venda da Nextel Brasil

Controladora da operadora, NII Holdings, amargou um prejuízo de US$ 20 milhões, ou R$ 80 milhões, no segundo trimestre. Rumores dão conta que TIM e Telefônica/Vivo disputariam o ativo.

Fundos americanos já concentram 26% da Oi

Depois do York e do Goldentree, operadora informou ao mercado que o fundo Solus ficou com 9,71% do capital. BDNES perdeu participação.

Oi chama ex-presidente da TIM para novo Conselho de Administração

Além dos atuais seis integrantes do conselho transitório, proposta traz mais cinco nomes ao novo conselho, entre eles Rodrigo Abreu, ex-TIM e, hoje, na Quod.

TIM não vai repassar ao cliente custo de contrato com WhatsApp Business

Operadora foi a primeira a fechar um acordo comercial para uso da ferramenta da OTT no Brasil e, neste momento, não vai cobrar dos clientes pelo uso do canal de relacionamento.


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G