TELECOM

Claro/Net supera Sky e fica à frente de ranking de stakeholders

Ana Paula Lobo* ... 23/02/2018 ... Convergência Digital

A empresa mais disruptiva com negócios no mercado de telecom no Brasil é a Mutant, companhia brasileira com foco em Customer Experience. A constatação é dos stakeholders da organização, que foram ouvidos pela consultoria nacional DOM Strategy Partners para o ranking Mais Valor Produzido (MVP), que traz como novidade nesta quinta edição a classificação de empresas que rompem barreiras para atuar na nova economia.

Paralelo à conquista da Mutant, o ranking ainda classifica as cinco organizações tradicionais mais valorizadas pelos stakeholders no Brasil. A liderança ficou com a Claro/Net, que subiu duas posições neste ano, seguida da Sky, Vivo, Nextel e TIM.

“No caso da Mutant, a empresa foi eleita pelos stakeholders devido à sua oferta de inovação nas interações humanas por meio de soluções baseadas em interaction design, orchestration e predication que, juntas trazem o conceito de full chanell nos contact centers”, explica Daniel Domeneghetti, desenvolvedor do estudo MVP e CEO da DOM Strategy Partners.

A DOM Strategy Partners foi a campo ouvir cada integrante do grupo de stakeholders, que avaliaram de 0 a 10 como as principais empresas de telecom entregam e produzem os ativos de valor escolhidos pela consultoria. Logo após esta interação, foi feita uma avalição pela equipe de pesquisadores da DOM, que consolidou as notas recebidas em cada um dos ativos, listando as cinco empresas do setor que tiveram a melhor soma de notas.

Na análise são considerados itens como eficácia da estratégia corporativa, crescimento, valor de marca, relacionamento com clientes, governança corporativa, sustentabilidade, gestão de talentos, inovação e uso de tecnologias digitais. O MVP vai além da mensuração de cifras financeiras e popularidade para entender o diálogo que o mercado de telecom e adjacências constrói com diferentes públicos, assim como avalia o que é valorizado nesse contato, seja tangível ou intangível.

Quatro pontos se destacam no mapeamento do valor corporativo da empresa: resultados, reputação (credibilidade e imagem), competitividade e riscos. Após serem pesquisados os principais ativos, os públicos de interesse, a interação da empresa com os stakeholders e seus resultados, o estudo traz uma nota de desempenho que vai de 0 a 10. Nesta edição a Claro/Net obteve 7,82; a Sky, que desceu uma posição em relação ao ano anterior e ficou com 7,71; a Vivo alcançou o terceiro lugar com 7,23; a Nextel subiu para a quarta colocada em relação à última edição, com 7,11; e, por fim, a TIM, que atingiu 7,02.

*Com informações da Assessoria da DOM Strategy Partners

 


Telefónica conduz projeto de transformação digital da Avianca

O acerto terá validade de cinco anos e inclui serviços de voz tradicional, conectividade de dados, apoio de infraestrutura (LAN/WLAN/Centro de cabos), segurança digital e soluções de redes definidas por software (SDN).

Banda larga patina no Brasil por falta de recursos para a infraestrutura

Um estudo elaborado pela consultoria Oliver Wyman,  sustenta a obsolescência da telefonia fixa e a necessidade de maiores investimentos em banda larga. Defende ainda que o momento é o de revisar o modelo de Telecomunicações.

Megaoperação de fiscalização da Anatel impede a venda de 25 mil equipamentos irregulares

Operação aconteceu nos dias 22, 23 e 24 de maio, em sete estados: São Paulo, Rio Grande do Sul, Santa Catarina, Paraná, Mato Grosso, Minas Gerais e Bahia.

Europa costura legislação mais leve para telecom em troca de investimentos

Segundo a agência Reuters, parlamentares e governos do bloco fecharam acordo informal para o novo marco regulatório das comunicações eletrônicas, com metas de aprovação no Parlamento Europeu ainda no início de junho.

TV por assinatura: Oi fica cada vez mais perto da Vivo

Mercado segue com sangria de assinantes e fechou abril com 17,97 milhões de contratos ativos. Na briga das operadoras, Grupo Claro tem larga vantagem sobre a Sky/AT&T na disputa pela liderança.

Proposta da Anatel reduz alíquota do Fistel a zero e amplia uso do Fust

Minuta de projeto de lei apresentada com o plano estrutural de redes eleva o fundo de universalização de 1% para 3% da receita e obriga o uso dos recursos em telecom, informou o conselheiro da agência reguladora, Aníbal Diniz.


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G