INTERNET

Associação de OTTs quer mostrar que Brasil pode ter as suas próprias 'Netflixs'

Ana Paula Lobo ... 01/03/2018 ... Convergência Digital

A Associação Brasileira Over-The-Top, Abott's, desembarca no mercado nacional para mostrar que o País tem espaço para ir muito além da Netflix, que está em negociação para ser associada da recém-criada entidade. Em entrevista ao portal Convergência Digital, o presidente da entidade, Alexandre Britto, disse que o País comporta entre cinco a sete distribuidoras de conteúdo de streaming.

"Há empresas nacionais capacitadas. Precisamos é ter espaço para mostrar. A Abott's nasceu para isso. Nenhuma entidade (Abrint, NeoTV, ABTA, Abranet) são específicas com esse tema", explica. A entidade nasce com uma prioridade emergente na agenda: impedir a bitributação do serviço, com a cobrança de ISS e ICMS, como acontecerá a partir de abril, em São Paulo. "Tanto imposto pode inviabilizar um negócio que terá uma demanda explosiva", observa Britto.

Outros pontos são cruciais: a incerteza sobre o futuro regulatório do setor e a disponibilidade de infraestruturas de rede, principalmente, a “última milha” para transporte dos sinais OTT. "Ainda há muitas cidades sem uma última milha de qualidade para o streaming. Já começamos a conversar com os provedores para estabelecer acordos", antecipa o presidente da Abott's.

O manifesto lançado na cerimônia de lançamento da entidade, realizado nesta quinta-feira, 01/03, em São Paulo, explica que a Abott's nasceu da necessidade das empresas OTTs de garantir o diálogo com o Governo, Congresso Nacional e Sociedade Civil por meio de representação setorial que “promova os objetivos sociais e de apoio permanente a diversos segmentos de acordo com suas características próprias e de multiplicidades de atuação específicas e cadeia de valor”. A Associação também afirma que buscará unir os profissionais liberais autônomos, acadêmicos e estudantes que atuam como pesquisadores ou profissionais nas áreas de Internet.

A primeira diretoria é composta por Alexandre Britto, presidente (ABX Consulting), Claudio Lessa, vice-presidente (TV2U International), Everton Alves, Diretor de Plataformas e de Distribuição (SambaTech), Eveline Lessa, Diretora Administrativo-Financeiro (TV2U Internacioinal), Kaco Cardozo, Conselheiro Fiscal (PlaceBiz), Flavio Da Matta, advogado, (Diretor de Relações Institucionais e Jurídico.

Segundo pesquisa realizada pela consultoria Frost & Sullivan, a demanda OTT, em 2018, deverá aumentar consideravelmente devido ao uso de novas tecnologias. Para se ter uma ideia, em 2013, a receita do mercado de vídeo OTT chegou a marca de US$ 96 milhões, e a projeção para 2018 é que atinja US$ 783 milhões.


Provedores defendem modelo da TV Digital para resolver uso dos postes

Proposta da Abrint prevê que no lugar de mudanças na resolução Anatel/Aneel seja constituído uma espécie de ‘Gired’ ou um foro permanente para negociações e mesmo determinações para a regularização das estruturas.

STF: Relatores dizem que é inconstitucional barrar apps de transporte

Ações questionam leis de São Paulo e Fortaleza que limitam ou mesmo proíbem transporte por aplicativos como Uber e assemelhados. Julgamentos foram suspensos por pedido de vista.

Justiça nega proibição a jogo onde Bolsonaro espanca mulheres, negros e gays

Em nova tentativa do Ministério Publico, 14ª Vara Cível de Brasília entendeu que jogos eletrônicos são obra intelectual com livre manifestação de pensamento.

Europa busca consenso para taxar gigantes da Internet

Uma nova proposta costurada por Alemanha e França reduz o escopo da cobrança para mirar apenas nas receitas com publicidade.

5G exige rediscussão imediata da neutralidade de rede

"Serão novas e tão diferentes aplicações, e algumas até podem fazer a diferença entre a vida e a morte. A questão da neutralidade precisa ser encarada agora no mundo e aqui no Brasil", sustenta o diretor da 5G Americas e de Relações com o Governo da Ericsson Brasil, Tiago Machado.

Revista Abranet 26 . nov-dez 2018 / jan 2019
Veja a Revista Abranet nº 26 Estudo da Abranet revela a existência de um universo díspar entre os prestadores, o que impõe desafios à regulamentação mínima necessária para manter o mercado estruturado e o limite aceitável para a sobrevivência das empresas.
Clique aqui para ver outras edições

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet - Abranet

Empresas da Internet pedem mais segurança jurídica

“O Marco Civil da Internet trouxe base sólida para criar parâmetros para se ter lei mínima para a Internet seguir avançando, mas, infelizmente, vemos varias iniciativas tentando modifica-lo", afirmou o presidente da Abranet, Eduardo Parajo.

Acompanhe a Cobertura Especial do II Congresso Brasileiro de Internet

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G