Convergência Digital - Home

Vivo investiu R$ 125 milhões em expansão de data center em São Paulo

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 08/03/2018

A demanda por serviços digitais no Brasil fez a Vivo investir R$ 125 milhões na expansão do data center em Tamboré, São Paulo. A unidade foi ativada em 2012, com aportes de R$ 400 milhões. Hoje, a Vivo possui quatro data centers no país- dois próprios e dois compartilhados, um em São Paulo e outro em Curitiba, no Paraná. No mundo são 21 data centers da operadora.

Os negócios na área de data center no Brasil são divididos em quatro unidades centrais: soluções, que são a revenda de equipamentos e software, big data, com um time especializado em cientistas de dados como serviço, internet das Coisas/M2M, voltado para a automação de 'tudo' e segurança, como monitoramento de perímetro, estradas ou de presídios.

"Estamos crescendo muito na oferta de serviços para os clientes. Estamos transcendendo a questão da conectividade. Na prática, sabemos que não existe uma única resposta técnica para nuvem. É preciso customizar serviços para ter todo tipo de cliente", salientou a diretora de produtos e Inovações de B2B da Vivo, Debora Bortolasi. Com relação à concorrência, o vice-presidente B2B da Telefônica, Alex Salgado, sustentou que os tempos mudaram.

"Hoje somos agnósticos com relação à tecnologia. No B2B, nossos concorrentes têm soluções próprias nos seus data centers. O mercado corporativo quer cada vez mais falar com poucos fornecedores. Nós somos esse elo", pontuou Salgado. Com relação à nuvem pública, os planos estão mantidos e avançando. "Nossa plataforma OpenStack com a Huawei está crescendo. Vamos continuar nossa disputa com Amazon, Google e Microsoft. Temos a melhor equipe de suporte e de vendas", reforçou.

Salgado sustenta que no mercado corporativo o 'ranço' do atendimento final ao consumidor não existe. "Temos uma qualidade de serviços reconhecida pelo cliente. Nossos processos avançaram. Ser agnóstico à tecnologia é uma prova concreta e, não por acaso, estamos ganhando market share de provedores de data center mais antigos. No ano passado, com a crise, contratamos 400 profissionais para o B2B, em função da demanda dos clientes", afirmou o executivo, que não quis revelar a fatia do B2B na receita da operadora, apesar de garantir que ela já é 'relevante'.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis


Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.

Destaques
Destaques

Vivo já têm seis data centers virtualizados no Brasil

"Todo núcleo de voz já está virtualizado, como o de dados também", informa o diretor de planejamento e de redes da Vivo, Átila Branco.

Google mantém Brasil fora da estratégia de data center na América Latina

Companhia está investindo US$ 140 milhões para triplicar o tamanho do data center no Chile, com a geração de 1200 empregos diretos e indiretos. No Brasil, o regime especial para datacenters não sai do papel, como todas as ações de políticas públicas para TICs.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Dados são os dividendos dos tempos atuais

Por Wilson Grava*

Cada vez mais, precisamos ser capazes de analisar e reagir rapidamente aos dados criados. Os últimos dois anos foram responsáveis pela geração de 90% dos dados existentes no mundo.

Dos ambientes offline à estratégia MultiCloud

Por Fabio Gordon*

É preciso reconhecer a necessidade de mudança, entender que o seu data center de 20 anos não vai mais suportar os negócios digitais. É imprescindível fazer um diagnóstico do seu ambiente de TI e começar a mudar. E rápido, porque é provável que os seus competidores já estejam fazendo isso.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site