TELECOM

Entre troca de metas e fim dos orelhões, teles devem R$ 3,3 bi em compromissos

Luís Osvaldo Grossmann ... 09/03/2018 ... Convergência Digital

O Conselho Diretor da Anatel começou a discutir o novo encaminhamento do Plano Geral de Metas de Universalização, suspenso desde o ano passado por determinação do Ministério de Ciência, Tecnologia, Inovações e Comunicações. Na conta sobre o saldo de obrigações a ser reinvestido pelas concessionárias de telefonia, as empresas devem R$ 3,3 bilhões. 

Esse é o tamanho do acerto de contas que inclui a já antiga troca de metas de PSTs por backhaul, mas agrega também as propostas que a Anatel chegou a encaminhar ao MCTIC na forma do que seria o PGMU 4, em especial com uma significativa redução no número de orelhões em todo o país. 

A conta foi apresentada pelo conselheiro Leonardo de Morais, relator de sugestões a serem encaminhadas ao governo sobre o que fazer com o dinheiro associado às metas de universalização. A ideia apresentada é retomar a tramitação do PGMU na forma que chegou a ser aprovada pela agência. 

Embora alinhe uma série de sugestões ao MCTIC, como a construção de backhaul em fibra óptica, atendimento rural com redes móveis ou a construção de dutos para enterramento de redes, a preferência do relator é para que o dinheiro aguarde uma eventual aprovação do PLC 79/16, o projeto que muda a Lei Geral de Telecomunicações e abre caminho para o fim das concessões do STFC. 

Essa expectativa, por sinal, foi o motivo alegado pelo MCTIC para não enviar o PGMU 4 para a Presidência da República, ainda em julho de 2017. A ideia era agregar esse saldo de obrigações aos valores a serem calculados como também “devidos” pelas empresas com a transformação das concessões em autorizações. 

Apesar de apresentado o voto de Morais na reunião do colegiado em 8/3, o assunto acabou sendo adiado no Conselho Diretor, por conta de um pedido de vista do conselheiro Aníbal Diniz. 


Internet Móvel 3G 4G
Brasil fica em último lugar em ranking de uso para carros autônomos

País despensou oito posições em 12 meses e ocupa a 25ª posição do Ranking de prontidão para veículos autônomos da KPMG. Entre os quesitos analisados estão política e legislação e tecnologia e inovação.

Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

TIM quer infraestrutura única para cidades com menos de 30 mil habitantes

Para o CTIO da operadora, Leonardo Capdeville, não faz sentido infraestruturas diferentes em localidades onde a receita é mais baixa. CEO da TIM, Pietro Labriola, fala em IoT como fonte nova de receita.

Anatel mantém pente fino na recuperação judicial da Oi

Agência vai manter o grupo de trabalho criado para acompanhar a operadora. Também quer receber dados financeiros, fluxo de caixa atual, receitas e custos e financiamentos, além de eventuais alienações. Prazo dado à Oi para passar as informações é de 60 dias.

Uma em cada cinco conexões à internet fixa acontece por fibra óptica

Em 12 meses, proporção dos acessos registrados pela Anatel que usam a tecnologia passou de 12% para 20% do total. Cabo detém outros 30%. O Brasil contabiliza 6,33 milhões de acessos em fibra óptica. ISPs mostram força e já representam 21% do market share.

Smartphones puxam demanda global por carregadores sem fio

Segundo números da consultoria IHS Markit, em 2018 foram registrados embarques de 300 milhões de smartphones com essa tecnologia.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G