OPINIÃO

Tributo “Zero” para um Brasil no Século XXI

Por Cesar Rômulo Silveira Neto*
12/03/2018 ... Convergência Digital

As infraestruturas de telecomunicações com tecnologias de quinta geração de telefonia móvel (5G), de Internet das Coisas (IoT) e de Inteligência Artificial (AI) são críticas, singulares, essenciais e estruturantes do Desenvolvimento Sustentável com Inclusão Social na moderna Sociedade do Conhecimento do Século XXI, globalmente integrada e altamente competitiva.

Essa infraestrutura suporta a prestação de serviços de telecomunicações, de competência da União (CF88, Art 21, XI) e considerados essenciais (Lei 7.783/89, Art. 10, VII), que viabilizam, para terceiros, a prestação e a utilização de serviços digitais e inteligentes massificados, intensivos em software, com alto potencial disruptivo para logística, agronegócio, indústria, transportes, cidades, saúde e segurança pública, por exemplo.

A produção desses serviços digitais, inteligentes e massificados e intensivos em software, utilizados por indivíduos, empresas, governos e poderes do Estado, multiplicam rapidamente, com ganhos de escala, produtividade e competitividade, tanto a própria produção de riqueza quanto a melhor distribuição dessa riqueza entre indivíduos, famílias e regiões que dela participam ou que dela usufruem.

O maior obstáculo para que tal cenário se concretize no Brasil é a excessiva carga tributária (70% em Rondônia e 47,4% no consolidado nacional) que é imposta pelos governos sobre os serviços de telecomunicações, pois torna inviável economicamente o surgimento de novos serviços propiciatórios de maior e melhor produção e distribuição de riqueza pelos e entre os nacionais.

Essa excessiva carga tributária inibe a atração de capitais de risco, a realização de investimentos e a maior e melhor utilização dos serviços de telecomunicações, inibindo, drástica e diretamente, a multiplicação exponencial da produção e distribuição da riqueza pelos seus usuários pela inibição da prestação e utilização dos serviços digitais, inteligentes e massificados, intensivos em software, suportados pelas telecomunicações.

A redução drástica da carga tributária dos serviços de telecomunicações e dos serviços com tecnologias disruptivas intensivas em software deve ser a PRIMEIRA PRIORIDADE das Políticas Públicas para o 5G, IoT e AI visando à inserção do Brasil na moderna Sociedade do Conhecimento do Século XXI e, em consequência, à maior arrecadação de tributos nos produtos das modernas cadeias de produção e apropriação de riqueza. “Tributo Zero´ para um Brasil Digital, Inteligente, Inclusivo, Inovador e Competitivo” é o mote do projeto que colocará o Brasil no Século XXI .

* Cesar Rômulo é secretário geral da ConTIC, Febratel, SindiTelebrasil e Telebrasil, presidente do Conselho Diretor do Projeto “5G Brasil” e autor do livro “Brasil, Século 21 – Uma Sociedade Aberta (Tele)Informatizada – Um Caso Real”


Carreira
Graduação em Ciências de Dados terá 2610 horas

Curso será ofertado pela Escola de Matemática Aplicada da Fundação Getulio Vargas (FGV EMAp), no Rio de Janeiro. São 2610 horas de aulas. Inscrições vão até o dia 08 de outubro. Serão 40 vagas para a primeira turma - 32 vagas por meio do vestibular FGV e 8 vagas pelo ENEM.



  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G