Convergência Digital - Home

Com exército de robôs, empresa nacional de cloud abre escritório nos EUA

Convergência Digital
Ana Paula Lobo - 12/03/2018

Criada em 2013, em Brasília, a Configr criou um exército de robôs, com tecnologia própria, para ofertar serviço de hospedagem em cloud server. "Somos bem mais do que um broker simples", observou um dos fundadores da empresa, Arthur Furlan, em entrevista ao Convergência Digital.

Em quatro anos, houve muitos avanços. São mais de 1500 clientes e, hoje, a Configr atende 27 startups do ecossistema do Distrito Federal. Os usuários da plataforma estão distribuídos em 17 estados. "Nosso diferencial é cobrar em reais e ter um preço flat. Os clientes sabem quanto vão pagar ao final do mês. E nossos robôs automatizam todo o processo de criação, configuração, otimização, gerenciamento e proteção do servidor em nuvem", acrescenta Furlan.

Mesmo tendo como sede Brasília, a Configr não se aventura no mercado governamental. "O governo não sabe comprar cloud ainda. Negociamos parcerias para atuar nesse segmento", diz Furlan. Os olhos do empreendedor brilham ao falar da iniciativa da companhia, deflagrada no ano passado, de abrir um escritório nos Estados Unidos.

"Optamos pelos EUA porque lá há uma forte demanda e os usuários sabem como contratar nuvem. Toda a nossa plataforma foi criada em inglês o que facilita muito o nosso trabalho. Nossa expectativa é criar uma carteira de clientes sólida", diz Furlan.

A Configr participou do primeiro Startup Brasil e Furlan é taxativo: 'foi uma oportunidade única. Foi fundamental para crescermos", diz. Mas houve a opção de não ir ao mercado para pedir investimentos. "Decidimos crescer com o nosso próprio investimento", explicou.

Indagado se o exército de robôs não 'rouba' a vez dos administradores de TI, Furlan assegura que não. "O homem sempre terá o papel de decidir. Os robôs fazem um trabalho braçal. Eles evitam o erro das funções repetitivas", preconiza. A crise, salienta ainda Furlan, sem querer ser clichê, é uma oportunidade. "Acreditamos que vamos manter um crescimento de três dígitos no Brasil. Ainda há muita empresa para aderir aos serviços na nuvem".



Ministério da Justiça escolheu nuvem da Oracle para atender ao consumidor

"A nuvem nos abre um novo catálogo de possibilidades para serviços", afirma o coordenador geral de infraestrutura e serviços do Ministério da Justiça, Leonardo Greco. Serviço consumidor.gov.br migrou para a Oracle no final de maio.

CSU avança de empresa de BPO para uma companhia de tecnologia

Com diferentes atividades, entre elas, processamento de transações eletrônicas de meios de pagamento e serviços de relacionamento com clientes, a CSU contratou o NICE Nexidia para melhorar os resultados dos negócios com uma abordagem consultiva e analítica.

Cientista de dados: seja investigativo, analítico e curioso

Não há um perfil delimitado para o cientista de dados, o que significa que ele pode ser um 'profissional mais rodado e experiente' ou uim jovem recém-saído das universidades. Mas há um ponto essencial: a multidisciplinaridade, aponta o professor e especialista em ciência de dados do Instituto de Gestão e Tecnologia da Informação (IGTI), João Carlos Barbosa.

Destaques
Destaques

Fleury cria empresa baseada em ciência de dados e inteligência artificial

Saúde ID funcionará como um marketplace de serviços ligados à saúde e recebeu investimentos de R$ 50 milhões. O paciente terá todas suas informações de saúde integradas em uma única plataforma, que poderá oferecer às empresas e operadoras um serviço com algoritítimos preditivos.

No Brasil, empresas 'confiam, desconfiando' das multiclouds

Estudo, feito pela F5 com vários países da América Latina, mostra que as organizações têm menos confiança na capacidade da nuvem pública resistir a um ataque hacker voltada às aplicações. Escolha da nuvem é feita aplicação por aplicação.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Como controlar os gastos em nuvem privada?

Por Srinivasa Raghavan*

Se as empresas obtiverem melhor visibilidade do custo de cada serviço em nuvem que utilizam, poderão encontrar o equilíbrio certo entre eles, reduzir as despesas operacionais e obter o melhor valor possível da nuvem.

O caminho da cibersegurança passa pela nuvem

Por Felipe Canale*

Com organizações cada vez mais distribuídas, manter dispositivos em todos os locais ou usar produtos diferentes para trabalhadores remotos cria inúmeras brechas de segurança, além de custar muito e sobrecarregar os recursos de TI.


Copyright © 2005-2020 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site