OPINIÃO

Não basta mais planejar a inovação

Por Jim Whitehurst*
19/03/2018 ... Convergência Digital

A inovação domina. Praticamente, qualquer organização está buscando formas melhores e mais rápidas de gerar ideias para se manter na liderança. Mas a era da transformação digital em que vivemos também está cheia de disrupção. Seu negócio ou mercado inteiro pode mudar do dia para a noite – talvez por algum detalhe que você nunca previu. Basta olhar para a Amazon, que originalmente era uma livraria online, e agora avança para os setores de supermercados, entretenimento e de saúde. Esse movimento faz você imaginar qual indústria pode ser a próxima da lista.

A realidade é que não é possível hoje planejar melhores caminhos sem levar a disrupção em conta. Você não pode prever o futuro porque, graças à transformação digital, a velocidade de mudança e a inovação se movem mais rápidas do que nunca. No mundo em que vivemos hoje, na maioria dos contextos, planejar passos específicos de execução não funciona mais. É muito devagar, cheio de erros e de limitações. Em outras palavras, quando você consegue fazer um plano, ele já está obsoleto.

Em vez de investir tempo desenvolvendo estratégias e planos de execução para o que não podemos prever, é cada vez mais importante equipar nossas organizações com as habilidades certas para ter sucesso em meio à rápida mudança e volatilidade. A disrupção está vindo até você bem mais rápida do que você jamais poderia imaginar. A indústria das telcos seria a próxima?

Essa é uma questão que coloquei no Congresso Mundial Móvel (MWC) 2018, realizado em Barcelona no fim de fevereiro. Observei essa questão no contexto de como as organizações podem soltar a faísca de incêndios de inovação enquanto se defendem contra a disrupção. Uma parte essencial da mensagem que compartilhei com o público no MWC é que embora não seja segredo o que está guiando a disrupção – a transformação digital – há menos respostas sobre como você pode se defender melhor contra a disrupção enquanto mantém sua linha inovadora.

As pessoas me perguntaram por que o CEO de uma empresa de tecnologia open source faria uma palestra em um evento telco. A resposta reside no fato de que a Red Hat estabeleceu uma posição de liderança no mundo da inovação de código aberto guiada pela comunidade, que é a força motriz por trás de muitas das principais megatendências que vemos na tecnologia. Ajudamos a fazer a inovação acontecer todos os dias. Estamos tanto na linha de frente da transformação digital. Temos um pé em ambos os mundos, trabalhando com empreendimentos que buscam mudar seu modelo de inovação e ativo de nativos digitais em comunidades de desenvolvedores. A indústria telco – como tantas outras – é uma junção crucial à medida que muitos fornecedores de serviços de comunicação se transformam e modernizam para entregar novos serviços.

Nossa tecnologia inovadora é resultado de nossa cultura – nossas pessoas – que nos dão a habilidade de nos adaptarmos e recuperarmos no despertar da mudança disruptiva. Nosso modelo de trabalho em múltiplas comunidades de código aberto nos permitiu não apenas sobreviver, mas de fato prosperar à medida que uma nova mudança tecnológica chegava. Construímos a capacidade de mudar a nossa cultura e desenvolvemos uma perspectiva sobre as capacidades organizacionais necessárias para o sucesso.

Pelo caminho, a Red Hat aprendeu algumas lições que podem ajudar outras organizações a construir o tipo de cultura de inovação organizacional que pode não apenas sobreviver, mas prosperar em um mundo de constante mudança. Esta é uma mensagem que as companhias de todos os setores estão procurando, incluindo as de telecomunicações.

*Jim Whitehurst é presidente e CEO da Red Hat


 


Carreira
Olimpíada digital de matemática quer a participação de 100 mil brasileiros

Expectativa é que evento reúna 1 milhão de alunos, de 5 a 11 anos, da rede pública e privada, no mundo. Inicitaiva terá prêmios de R$ 150 mil. Inscrições são gratuitas e já estão abertas. Disputa terá duração de uma semana e vai usar uma plataforma de gamificação israelense.   


Veja a Cobertura Especial do IX Seminário TelComp 2016

Governo precisa atuar como coordenador na remoção às barreiras inúteis em Telecom

Se não é possível ao governo fazer investimentos, que ele funcione como um coordenador e incentive o diálogo com os órgãos que, hoje, dificultam os investimentos em redes, diz o presidente-executivo da TelComp, João Moura. Novo ciclo do PGMC é a última oportunidade para fomentar a inclusão.


Veja a Cobertura Especial do IX Seminário TelComp 2016

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G