Convergência Digital - Home

Banco do Brasil: a jornada para a transformação digital não acaba nunca

Convergência Digital
Ana Paula Lobo e Pedro Costa - 21/03/2018

A jornada para a transformação digital não vai acabar nunca, adverte o diretor de Tecnologia do Banco do Brasil, Gustavo Fosse. "O avanço da tecnologia é tão grande que é preciso um movimento constante e diário", observa. Fosse, que participou do 3º Seminário Brasscom Políticas Públicas & Negócios, realizado em Brasília, nos dias 14 e 15 de março.

Fosse admite que a voz do cliente, com as redes sociais, está mais forte e é missão das empresas encantarem ao seu consumidor. "O jogo agora não é mais automação. Ela é básica. O jogo a ser jogado é saber interpretar os dados. Não há mais venda de produtos. É serviço". O diretor de TI do BB também admite que faltam profissionais especializados para atuar com os dados, como os cientistas de dados.


Destaques
Destaques

IDC: mercado de nuvem pública vai chegar a R$ 15 bilhões em 2020

Mercado de TI brasileiro vai crescer 5,8% impulsioando pelos negócios de clóud computing e pela aceleração do mercado de software. Nuvem privada tem a preferência das grandes empresas e fica com até 25% do orçamento destinado à TI.

BRK Ambiental, CTG Brasil e Via Varejo aderem à nuvem na jornada digital

Empresas implementaram a plataforma SAP S/4HANA para sustentar a estrastégia digital. Os negócios de cloud tiveram forte impacto na receita da SAP Brasil.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Segurança em nuvem na era da LGPD

Por Raul Leite*

Quando falamos de proteção da nuvem, as organizações devem ter em mente uma série de estratégias. A começar pela escolha minuciosa do provedor de serviços, que precisa estar preparado para os novos compromissos de privacidade. Também é necessário certificar se o armazenamento dos dados é feito de modo criptografado quando necessário pelo nível de sigilo da categorização de um dado.


Desafios às empresas: Contêineres, Orquestração e Microsserviços

Por Lenildo Morais*

Com o padrão “multi-edge edge computing”, o tráfego e os serviços de TI mudam de uma nuvem centralizada para micro-nuvens espalhadas o mais próximo possível dos usuários. As operadoras terão que oferecer serviços sob demanda, e mesmo em tempo real, para atender a todos os tipos de aplicativos.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site