TELECOM

Sem TAC, TCU cobra compromisso da BrOi com fim dos processos na Anatel

Luís Osvaldo Grossmann* ... 27/03/2018 ... Convergência Digital

O Tribunal de Contas da União deu 60 dias para a Anatel se explicar sobre um dos condicionantes da compra da Brasil Telecom pela Oi: o fim dos processos administrativos. O tema vem sendo adiado, e na prática suspenso desde que a Oi começou a negociar termos de ajustamento de conduta com a agência. Agora, o TCU força a Anatel a retomar essa questão.

“A operadora deixou de pagar de maneira imediata parte das multas devidas, que continuaram tramitando na agência, com custos regulatórios para a Anatel e possíveis judicializações dos processos, prejudicando o propósito motivador do condicionante, ademais de a decisão e a morosidade da agência terem permitido o surgimento de novos processos administrativos sancionatórios, culminando na abertura de um amplo processo de negociação (TAC), que retardou ainda mais a solução dos litígios previstos pelo condicionante”, relata o ministro do TCU Aroldo Cedraz.

A Oi assumiu a Brasil Telecom em 2009. Em dezembro de 2008, ao julgar a transferência do controle acionário, o Conselho Diretor da Anatel concedeu anuência prévia e estipulou uma série de condicionantes. Para cada uma delas, foram estabelecidas as devidas responsabilidades e instaurados processos de acompanhamento específico.

A queixa do TCU é sobre o condicionante 13.2, que trata do encerramento de litígios administrativos de descumprimento de obrigações relativas à universalização e qualidade dos serviços, visando ao melhor atendimento ao consumidor. Esse item deveria ter sido cumprido até dezembro de 2009.

“A meu ver, restaram límpidas as falhas na atuação do órgão regulador, que intenta procrastinar a questão, em vez de dar solução e cobrar cumprimento ao condicionante 13.2 pela operadora, optando por instrumento diverso, o TAC”, concluiu o relator no TCU.

Vale lembrar que a Anatel negou, por fim, os TACs pretendidos pela Oi. Mas razoável parcela das multas aplicadas pela agência foi incluída no bolo de R$ 64 bilhões do plano de recuperação judicial da operadora. O resultado é que o TCU cobra que a Anatel “pronuncie-se conclusivamente e informe a esta Corte de Contas sobre o cumprimento do Condicionante 13.2 do Ato Anatel 7.828/2008, e possíveis consequências a serem adotadas, no caso do seu descumprimento”.

* Com informações do TCU


Internet Móvel 3G 4G
2021 será o ano do salto do 5G

E em apenas dois anos, eles vão representar mais da metade - 51% - das vendas de smartpohones, aponta o Gartner.  No Brasil, ao Estadão, o conselheiro Vicente Aquino, sem dar detalhes, diz que o Governo vai arrecadar R$ 20 bilhões com a venda das licenças, previstas para março de 2020.

Veja edição 12 da Revista Abranet - Assossiação Brasileira de Internet REVISTA ABRANET . 12
Especial 20 Anos de Internet no Brasil


Há 20 anos os provedores de Internet escrevem suas histórias no País. A trajetória não foi nada fácil. Houve decisões políticas e econômicas significativas. Infraestrutura, modelo de negócios e fidelização de clientes foram relevantes no passado e continuam sendo no presente. Ao longo de duas décadas, os ISPs tiveram de se reinventar diversas vezes para não deixar de existir.

Clique aqui para ver outras edições

Começa a valer cadastro que bloqueia telemarketing das teles

A partir deste 16/7, será possível inscrever números no cadastro ‘Não Me Perturbe’. Promessa da Anatel é que em 30 dias os inscritos não receberão mais chamadas promocionais das operadoras de telecom.

Imposto zero para IoT está na Comissão de Constituição e Justiça da Câmara

Deputado Federal, Paulo Ganime (Novo/RJ), diz que o projeto de Lei 7656/2017, corrige uma distorção - a cobrança de FISTEL para os dispositivos IoT.

Governo autoriza aumento de capital da Telebras de R$ 1,17 bilhão

Montante é reflexo dos aportes autorizados em 2015, 2016, 2017 e 2018, quando a estatal estava ainda em acerto financeiro do satélite geoestacionário de defesa e comunicações. 

Comissão aprova prazo de seis meses para instalação de bloqueador de celular em presídios

Relator do projeto retirou o dispositivo que condicionava as novas outorgas de telecomunicação à instalação, ao custeio e à manutenção dos bloqueadores pelas prestadoras.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G