TELECOM

Anatel adia decisão sobre satélite em 450 MHz

Luís Osvaldo Grossmann ... 05/04/2018 ... Convergência Digital

Com dois votos para negar e um para autorizar o uso de solução satelital como alternativa à faixa de 450 MHz, a Anatel adiou uma decisão sobre o tema. Na reunião desta quinta, 5/4, o conselheiro Aníbal Diniz pediu prorrogação de vista por 60 dias.

As operadoras móveis alegam restrições de equipamentos para cumprir as obrigações do leilão 2,5 GHz/450 MHz, realizado em 2012. E pedem que a Anatel considere válidas as soluções alternativas que adotaram conexões via satélite para oferta de serviços em áreas rurais.

Em março, o presidente da Anatel, Juarez Quadros, decidiu acompanhar a posição do relator Otávio Rodrigues e, com isso, agora são dois votos contra o pleito das operadoras móveis para que possam cumprir os compromissos do primeiro leilão 4G, ainda de 2012, com uso de conexões via satélite. Até aqui, portanto, o placar está em 2 a 1 contra as empresas.

As quatro compradoras, Vivo, Tim, Claro e Oi, alegam sérias restrições de equipamentos para uso efetivo da faixa de 450 MHz. Por isso, preferiram usar outras frequências para cumprir os compromissos de cobertura, possibilidade já prevista no edital 4/2012, mas inovaram ao adotar de forma complementar conexões via satélite – e pedem que a agência concorde com isso.

Um novo componente na disputa pela faixa:  as empresas do setor elétrico estão de olho na faixa de 450 MHz, usada a contragosto pelas operadoras móveis, e discutem com a Anatel como costurar a destinação dessa e outras fatias do espectro em caráter primário para as ‘utilities’.

“Fizemos uma pesquisa com as empresas e com fornecedores, para saber quais as aplicações elas utilizam e em quais frequências. É grande o interesse nos 450 MHz e outras faixas, com 2,5 GHz e 3,4 GHz”, explica o vice-presidente da UTC AL, Ronaldo Santarem, em entrevista ao portal Convergência Digital.


Revista do 62º Painel Telebrasil 2018
Veja a revista do 62º Painel Telebrasil 2018 Brasil Digital: O futuro é agora - é o tema da revista do Painel Telebrasil 2018.
Edição, com 104 páginas, consolida os debates realizados no evento, que reuniu a indústria de Telecomunicações.
Clique aqui para ver outras edições

Celulares terão que indicar taxa de radiação emitida

Ao revisar o regulamento que trata da exposição eletromagnética, Anatel prevê 120 dias para que os equipamentos vendidos tragam a informação nas caixas ou manuais.

TV paga: pirataria tem mais 'assinantes' que a Netflix no Brasil

Consultoria Business Bureau diz que a OTT possui 18% do mercado de assinatura de streaming de vídeo. A Globo Play fica na segunda posição, mas com apenas 4%. Pirataria no Brasil fica bem acima da média da América Latina.

Justiça mantém Pharol e Nelson Tanure fora da Oi até aporte de capital

Juiz Fernando Viana, da 7ªVara Empresarial do Rio de Janeiro, manteve a suspensão dos direitos políticos dos conselheiros e diretores da Oi ligados aos grupos.

GSMA: Parceria em conteúdo é melhor para teles que produção própria

Apesar de iniciativas em investir nesse campo, estudo da associação destaca que licenciamento de conteúdo é caminho mais realista para teles.



Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G