TELECOM

Oi quer estancar perda de clientes com 4G e banda larga de ultra velocidade

Ana Paula Lobo ... 13/04/2018 ... Convergência Digital

A Oi está ciente que é preciso ampliar a cobertura 4G para ficar em igualdade com as rivais no mercado de dados, informou o diretor financeiro da operadora, Carlos Brandão, na teleconferência de resultados do quarto trimestre, realizada nesta sexta-feira, 13/04. Duas ações estão no plano técnico: o refarming da faixa de 1,8MHz e o compartilhamento de infraestrutura. Também está no plano estratégico ampliar o uso de fibra e do FTTH (fiber to the home) para oferecer banda larga em ultra velocidade.

Para garantir um 2018 melhor do ponto de vista de clientes, a Oi mapeou 3.449 cidades para investir no serviço móvel e encontrou 9.156 "clusters" para reforçar a oferta da banda larga fixa. Dentro deste universo, explicou Brandão, foram definidas as regiões onde os investimentos serão feitos. O dinheiro para essa nova leva de infraestrutura virá do aumento de capital de R$ 4 bilhões, esperado para acontecer ainda em 2018.

Em 2017, admitiu o diretor financeiro, a Oi sofreu com a perda de clientes. No B2B por conta do impacto e da incerteza em torno da recuperação judicial. “Contratos com grandes corporações são de longa duração e havia a instabilidade com relação à Oi”, assumiu. No varejo, a perda de base é justificada por dois fatores: o reajuste de 15% repassado aos clientes pelo aumento do ICMS na assinatura e o reajuste anual de 10%. “Com a economia instável, o brasileiro sentiu o impacto desses reajustes”, acrescentou o diretor financeiro.

Brandão enfatizou ainda que - mesmo na recuperação judicial - a operadora aumentou os investimentos. No ano passado, o aporte ficou em R$ 5,629 bilhões, com os recursos centrados principalmente no core de rede e na infraestrutura de acesso. "2017 fechou o ciclo da reestruturação da dívida. 2018 será o da reestruturação dos negócios", resumiu.  Segundo o executivo, após o plano de recuperação judicial em dezembro do ano passado, a Oi atuou em cinco grandes frentes: melhoria da qualidade, transformação digital, controle de custo, gestão de caixa e reestruturação da dívida.

No caso das dívidas, a expectativa da Oi é uma redução em mais de R$ 35 bilhões, o que seria um valor "justo" em torno de R$ 14 bilhões - em 2017 a dívida bruta terminou em R$ 54 bilhões. Como em 2018 a posição de caixa prevista é de R$ 6,188 bilhões, Brandão acredita que a dívida líquida ao final do processo fique em torno de R$ 7 bilhões.

"Mesmo na crise aumentamos nossos investimentos. No ano passado, o aumento foi de 18,3% em relação a 2016 e de 30% em relação a 2015", reforçou Carlos Brandão. O presidente da Oi, Eurico Teles, observou que 2017 foi um 'ano tenso e intenso e muita gente desacreditou da operadora', mas que os esforços internos permitiram enfrentar o momento. 'A Oi já tem papel estratégico no setor de telecomunicações e pode ter muito mais, principalmente, na banda larga", concluiu.


Internet Móvel 3G 4G
TIM quer compartilhar frequência com Claro e Vivo

Operadora quer levar para essas operadoras o acerto firmado com a Oi. Em infraestrutura, TIM prepara 4G em 700 MHz em São Paulo e já instalou 600 ERBs, revelou o CTO da tele, Leonardo Capdeville.

Anatel: LGT completa 21 anos carente de ações políticas atentas ao futuro

Em carta oficial, a agência reguladora sustenta que é preciso festejar o passado, mas adverte: não dá mais para manter o modelo separando telefonia fixa dos demais serviços de telecomunicações. O acesso ao telefone, essencial no passado, requer, agora, o acesso à banda larga.

Anatel aprova novo regulamento para preço público de radiofrequências

Principal novidade é a possibilidade de a agência exigir compromissos de investimento como parte do valor da renovação do direito de uso do espectro.

Anatel aprova regra para mediar e exigir contratos entre teles e OTTs

Novo regulamento de interconexão também exige ofertas de pontos de conexão em todos os Códigos Nacionais e facilita cortes em casos de inadimplência.

Segurança faz Anatel antecipar bloqueio de celulares no Rio de Janeiro

Os aparelhos irregulares vão ser bloqueados a partir de 08 de dezembro, a pedido do Gabinete de Intervenção Federal no Estado. O bloqueio está implementado no Distrito Federal e no Estado de Goiás.

Disputa entre fornecedores faz Cemig Telecom adiar leilão para o dia 8 de agosto

Preço mínimo para o lote 1, que envolve a rede de banda larga nos estados de Minas Gerais, São Paulo e Rio de Janeiro foi estipulado em R$ 332 milhões.  Já manifestaram interesse público, a TIM e a Claro.

TV paga: Modelo não muda e sangria de assinantes já dura três anos e meio

Depois de um período de expansão, em 2014, com a entrada das teles no segmento, o setor encerrou o mês de maio com 17,8 milhões de assinantes, o que significa a perda de 10% da base de usuários. Claro/NET concentram 50% do mercado.


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G