NEGÓCIOS

No Brasil, 91% das empresas apostam no uso de dados como estratégia de negócios

Da redação* ... 16/04/2018 ... Convergência Digital

Quase a totalidade das empresas brasileiras (91%), consideram o uso de dados na definição da estratégia de negócios. Esse foi o resultado da pesquisa global feita pela Experian com profissionais de quatro países (Brasil, Estados Unidos, Inglaterra e Austrália). O percentual também é maior do que o número identificado globalmente (83%). A pesquisa, chamada "The 2018 Global Data Management Benchmark Report", consultou mil pessoas de companhias com mais de 250 funcionários de diversos setores. O resultado brasileiro também é maior que o apresentado em pesquisa de 2017 (86%).

Com base neles, fica demonstrada que a preocupação com a utilização dos dados vem crescendo ano a ano nas empresas e, hoje, está no centro das decisões. "Cada vez mais as companhias estão percebendo que os dados não são mais apenas uma informação administrada pela área de TI. Dados de qualidade devem permear toda a empresa para que possam ser adequadamente analisados e, assim, utilizados nas decisões estratégicas", avalia Fernando Rosolem, gerente sênior de soluções da Serasa Experian.

Um dos pontos que tem impulsionado este movimento é o processo de transformação digital pelo qual muitas empresas estão passando, que vem modificando os modelos de negócios existentes. Além disso, a necessidade de melhorar eficiência para obter vantagem competitiva, também tem influenciado o crescimento da importância dos dados na estratégia. "Qualquer organização que deseja aumentar sua receita terá de operar da forma mais eficiente possível. Esta é uma área na qual os dados de qualidade podem fornecer informações valiosas, que podem facilmente ser transformadas em resultados", complementa Rosolem.

Mesmo com essa evolução mostrada pela pesquisa, as organizações ainda têm muito trabalho a fazer para alcançar um nível ideal de maturidade do gerenciamento de dados. Rosolem indica que é preciso construir confiança nos dados, pois a capacidade de tomar decisões estratégicas, reduzir riscos e até trazer produtos inovadores para o mercado exige informações confiáveis.

Erro humano

Reduzir o erro humano é outra necessidade apontada na pesquisa para que o mercado atinja a maturidade e melhor aproveitamento dos dados. Globalmente, o erro humano foi o fator mais apontado pelos entrevistados entre os que mais contribuem pela imprecisão dos dados. Na pesquisa divulgada em 2017, o erro humano também aparecia como sendo a maior causa dos dados imprecisos.

Se compararmos os resultados de 2016 com 2017, houve uma queda de 23 pontos percentuais na indicação deste fator pelos entrevistados; mesmo assim, o erro humano continuou como primeiro da lista de fatores de imprecisão. "O principal motivo da queda, no ano passado, está relacionado a investimentos que as organizações fizeram em treinamentos, profissionais e tecnologias adequadas para prevenir esse tipo de erro. No entanto, o percentual voltou a crescer neste ano por conta do aumento do volume e variedade de dados disponíveis", explica Rosolem.

A tendência agora é que, para sobreviver no cenário de transformação digital e estratégia orientada pelos dados, as organizações tenham que implementar novos processos e soluções tecnológicas que acompanhem as demandas de negócios. Outro ponto é que as empresas passam a investir cada vez mais em profissionais especialistas, como os cientistas de dados e o CDO (Chief Data Officer).

A Serasa Experian, por exemplo, já enxergava esta tendência e criou o cargo de CDO em abril de 2016, ocupado desde então por Rodrigo Sanchez. "Estamos vivendo um momento de proliferação de dados de muitas fontes diferentes. Neste cenário, as empresas precisam ter uma visão centralizada das informações para conseguirem aproveitar melhor as oportunidades existentes", afirma. Atualmente a área de estratégia e gestão de dados, comandada por Sanchez, já tem cerca de 300 pessoas, dada a importância estratégica do assunto dentro da companhia. A área engloba, também, o laboratório de inovação da Serasa – DataLab – o terceiro no mundo (os outros ficam em Londres, na Inglaterra, e San Diego, nos EUA).

Liderar a gestão de dados como um ativo estratégico da empresa e extrair o máximo de valor das informações são algumas das atribuições deste profissional cada vez mais valorizado. Sanchez destaca, também, outras importantes funções do CDO: a busca por eficiência operacional e a governança dos dados da organização. "Dentro da governança, por exemplo, o CDO deve ser responsável por definir políticas de uso de dados, além de garantir a segurança dessas informações", explica.

A pesquisa completa pode ser acessada no Link: https://marketing.serasaexperian.com.br/whitepapers/pesquisa-global-2018/

*Fonte: Serasa Experian


3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018 - Cobertura Especial Convergência Digital
Brasscom lança manifesto para construir um Brasil Digital e Conectado

Entidade quer a colaboração da sociedade e de entidades de TI ou não para entregar um documento aos presidenciáveis. "Tecnologia precisa ser prioridade nacional", diz o presidente-executivo da Brasscom, Sergio Paulo Gallindo.


Veja a cobertura da 3º Seminário Brasscom de Políticas Públicas & Negócios 2018

Bitcoin deve ser declarado no IR, alerta tributarista

Segundo o Advogado, Carmine Gianfrancesco, do escritório Gianfrancesco & Mazzo Advogados - especializado em Direito Tributário Empresarial com prestação de serviços de contencioso tributário - a criptomoeda é um ativo aos olhos da Receita Federal.

CADE investiga se cartel de componentes de disco rígido agiu no Brasil

Cinco empresas e trinta e oito pessoas físicas teriam participado do conluio que, entre outras coisas, combinaram preços em respostas a pedidos de cotação de clientes.

Plantronics compra Polycom por R$ 6,5 bilhões

Aquisição terá consolidação de negócios no Brasil, em especial, na área de videconferência, uma vez que as duas companhias atuam no mercado nacional.

São Paulo sedia primeiro hub da IBM dedicado à blockchain na América Latina

Investimento na tecnologia, que deverá crescer 127% nos próximos três anos, é estimado em R$ 18 milhões até 2020. Unidade será ativada no 2º semestre.

TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G