TELECOM

Anatel rejeita novas negociações e enterra TAC da Telefônica

Luís Osvaldo Grossmann ... 25/04/2018 ... Convergência Digital

Por 3 votos a 2, o Conselho Diretor da Anatel decidiu enterrar a discussão sobre a troca de multas por investimentos da Telefônica. Para a maioria dos conselheiros, não cabe reabrir negociações para modificar os projetos, na casa dos R$ 5 bilhões, como queria a operadora. Assim, depois da Oi, mais uma tentativa de Termo de Ajustamento de Conduta termina sem acerto.

“Isso não significa que o instrumento fracassou. Ainda temos processos relacionados a outras empresas, Algar, Tim e Claro, que estão tramitando, dois deles já no Conselho Diretor. Vamos torcer para que eles não esbarrem nas mesmas dificuldades apresentadas aqui”, pontuou o presidente da Anatel, Juarez Quadros, ao final da reunião extraordinária nesta quarta, 25/4.

O caso voltou ao Conselho Diretor depois que a Telefônica, no início de março deste 2018, comunicou à Anatel ter interesse em modificar alguns termos do acordo que vinha sendo negociado – e chegou a ser aprovado pela agência no fim de 2016. Depois disso, o TAC foi criticado pelo Tribunal de Contas da União, que exigiu mudanças. E diante das exigências, a Telefônica tentou renegociar.

“Em março, a empresa juntou petição em que sustentava necessidade de redução dos investimentos do acordo aprovado, quando retirou Belém e Palmas dos compromissos adicionais e aduziu que faria considerações adicionais até 16 de março, mas elas nunca foram trazidas aos autos. Do conteúdo, parece que a Telefônica não esta de acordo com as bases atuais do TAC, pretendendo renegociar em razão da redução do valor de referencia. Mas o reinício da negociação é impossível na atual fase processual”, disse Quadros em seu voto, que definiu o placar.

O conselheiro Leonardo de Morais chegou a propor que as negociações fossem esticadas por mais 120 dias. “Proponho a continuação das negociações. Todavia, os compromissos adicionais devem estar limitados a projetos para interligar municípios que não tem fibra, ou redes de acesso móvel em distritos não sede, ou ampliar a capacidade dos que já tem”, defendeu.

A proposta foi acompanhada apenas por Emmanoel Campelo, para quem “preocupa o reflexo que este arquivamento terá nas outras propostas de TAC em tramitação”. Aníbal Diniz foi o primeiro a entender que não haveria mais prazo processual a permitir retomar as tratativas. Ou ainda, antes dele Otávio Rodrigues que na prática manteve o voto contrário ao TAC que deu ainda na votação de 2016.

O TAC da Telefônica envolvia multas que chegavam a R$ 3 bilhões, em valores não corrigidos, e previa até R$ 5,5 bilhões em investimentos. No entanto, cerca de R$ 400 milhões já foram retirados desse montante, para evitar a prescrição. Com essa redução do valor de referência do acordo e as restrições do TCU, a Telefônica sinalizou o desejo de rever os investimentos a serem realizados no lugar das multas. A área técnica da Anatel entendeu que não seria mais o caso. E, agora, o Conselho Diretor encerrou de vez o tema. Com o arquivamento, as multas que estavam em negociação não podem mais ser objeto de outro TAC.


Em 10 dias, operadoras bloqueiam 1 em cada 344 celulares

Sistema que desabilita aparelhos sem identificação internacional IMEI bloqueou até aqui 37 mil celulares no Distrito Federal e em Goiás, menos de 0,3% do total.

Claro e TIM saem na frente na disputa pelos ativos da Cemig Telecom avaliados em R$ 340 milhões

Empresa promete ter o edital de venda pronto até o final de maio. É uma rara oportunidade para a aquisição de ativos de rede no País.

Operadoras começam a bloquear celulares piratas

Nesta terça-feira, 8/5, os telefones móveis sem IMEI válido habilitados a partir de 22/3 recebem as mensagens de que deixarão de funcionar na quarta-feira, 9/5. Os celulares comprados no exterior, desde que certificados na Anatel, vão continuar funcionando, avisa a agência reguladora.

Anatel volta a negar corte no preço na TV paga por exclusão dos canais Simba

Para agência, saída dos canais da Record, SBT e RedeTV! das grades de empresas de televisão por assinatura não é motivo para intervenção nos valores.

EUA e Brasil lideram fuga de assinantes na TV paga

Estudo com 14 países aponta, no entanto, que em oito deles as empresas estão conseguindo aumentar as receitas apesar da redução na base. O Brasil é um deles.

Telebras nomeia Roberto Pinto Martins para a diretoria

Martins, que já foi da Anatel e dos ministérios de Ciência e Tecnologia e das Comunicações, assume a diretoria técnico operacional.


Veja a revista do 61º Painel Telebrasil 2017
Revista do 61º Painel Telebrasil 2017
A edição de 2017 do Painel Telebrasil enfatizou a necessidade de atualização do modelo de telecomunicações e a definição de uma agenda digital para o País.

Painel Telebrasil 2017 - Cobertura Especial ConvergênciaDigital


Clique aqui e acompanhe a cobertura completa do Painel Telebrasil 2017

  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G