Convergência Digital - Home

Banco Central autoriza nuvem no exterior, desde que tenha acesso a dados

Convergência Digital
Luís Osvaldo Grossmann - 27/04/2018

O Conselho Monetário Nacional aprovou a Resolução 4568/18, pela qual estabelece que todas as instituições financeiras do país tenham políticas de segurança cibernética. Além disso, a nova norma regula o uso de computação em nuvem no mercado financeiro, com liberdade para armazenamento de dados fora do Brasil desde que o acesso do Banco Central às informações seja garantido já no termos contratuais.

Em essência, a norma dá ampla liberdade aos bancos de usarem o serviço como quiserem, com as devidas obrigações de segurança, etc. O BC, no entanto, terá que ser informado previamente dos contatos de computação em nuvem, tendo inclusive o poder para vetar e impor restrições aos termos desses acordos. Aquelas instituições financeiras que já tiverem contratos de serviços de nuvem têm 180 dias para apresentar um cronograma de adequação às novas regras.

Nas informações prévias ao BC deve constar a indicação dos países e das regiões em cada país onde os serviços poderão ser prestados e os dados poderão ser armazenados, processados e gerenciados, no caso de contratação no exterior. “As instituições deverão assegurar que a legislação e a regulamentação nos países e nas regiões em cada país onde os serviços poderão ser prestados não restringem nem impedem o acesso das instituições contratantes e do Banco Central do Brasil aos dados e às informações”.

Os próprios termos devem prever “a permissão de acesso do Banco Central do Brasil aos contratos e aos acordos firmados para a prestação de serviços, à documentação e às informações referentes aos serviços prestados, aos dados armazenados e às informações sobre seus processamentos, às cópias de segurança dos dados e das informações, bem como aos códigos de acesso aos dados e às informações”.

Facebook Twitter Google+ LinkedIn Email Addthis


Bradesco, Dataprev e Equinix são destaque em datacenter no Brasil
Organizações foram as vitoriosas da edição 2017 do DCD Awards da América Latina. Conheça os destaques da região no segmento de datacenters.

Destaques
Destaques

Mercado de cloud está nas mãos de sete gigantes de TI

Amazon Web Services, Microsoft, Google, IBM, Salesforce, Oracle e a chinesa Alibaba são as principais empresas de serviços de nuvem no mundo. Receita de cloud chegou a US$ 117 bilhões em 2017 e a nuvem pública se consolidou como opão.

Embratel une Open Stack à rede definida por software em serviços na nuvem

Nuvem pública especializada e feita sob demanda para os clientes empresariais é a estratégia da  operadora para avançar no segmento de cloud. "Não vamos concorrer com a nuvem pública, mas o nosso serviço é desenhado para atender ao negócio", diz o diretor-exeutivo da Embratel, Mario Rachid.



Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Veja mais artigos
Veja mais artigos

Nuvem é o agora e o futuro da competitividade

Por Artur Hansen*

Em cloud, todo investimento é hermético, organizado de acordo com as justas necessidades de cada empresa.

Mão de obra é o "Calcanhar de Aquiles" da Inteligência Artificial

Por Eduardo Prado*

Em artigo exclusivo para o Convergência Digital, o consultor Eduardo Prado, mostra como os gigantes da tecnologia travam uma dura batalha para conseguir fidelizar os especialistas existentes. Ele também adverte: há uma busca desenfreada pela competência em IA.


Copyright © 2005-2016 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site