TELECOM

Maior acionista da Oi tenta barrar recuperação judicial nos EUA

Luís Osvaldo Grossmann ... 14/05/2018 ... Convergência Digital

A maior acionista da Oi, a Pharol (ex-Portugal Telecom), está se valendo do processo que corre nos Estados Unidos para tentar impedir a homologação internacional do acordo de credores da operadora brasileira. Para isso apresentou em Nova York uma objeção ao plano de recuperação judicial como aprovado em dezembro de 2017.

A Bratel, pela qual a Pharol detém 22% da Oi, alega violações aos direitos dos acionistas e procedimentos ainda pendentes de julgamento. “Há questões de profunda relevância relacionadas à Oi e seus acionistas ainda em discussão judicial e de arbitragem, o que impediria a homologação do plano perante a justiça americana”, sustenta a Bratel em comunicado.

A Oi rebate, em nota, lembrando que a corte de Nova York já concedeu anteriormente a garantia de que a recuperação judicial é assunto afeito ao Brasil. “A Oi considera que a Pharol age de forma isolada em relação à totalidade dos stakeholders neste processo.  A objeção da Pharol foi a única, de mérito, protocolada nos EUA contra os pedidos de aplicação de força e efeito ao plano de recuperação judicial brasileiro aprovado por maioria absoluta e homologado pela Justiça brasileira e traz argumentos  que simplesmente refletem aquilo que eles tem insistido, sem sucesso, em todas as esferas judiciais no Brasil.”

De fato, no recurso nos EUA a Bratel/Pharol alega que “o conflito societário envolve principalmente a necessidade de deliberação prévia dos acionistas em assembleia a respeito do aumento de capital e as alterações de governança previstas no Plano de Recuperação”. E que ainda existem recursos judiciais pendentes sobre o assunto movidos também pela Anatel e pelo Ministério Público, além da mencionada arbitragem.

Para a direção da Oi, o argumento é indevido. “O que mais chama atenção é o uso indevido que a Pharol fez do processo de mediação iniciado a partir da decisão do juízo da 7ª Vara Empresarial do RJ. O procedimento em questão tem como foco a estabilização do processo de RJ e a redução de litígios e não a rediscussão do PRJ já aprovado e homologado. O uso deste procedimento para tentar convencer o juízo americano a não reconhecer e dar força e efeito ao PRJ homologado é apenas mais uma estratégia de usar a mediação para impedir a implementação da Recuperação Judicial, o que não pode ser aceito.”

A discussão no judiciário americano é possível porque a Oi Coop, subsidiária holandesa da Oi para captação de recursos, emitiu títulos nos EUA. Com a falência da Oi Coop decretada na Holanda, existe a necessidade de reconhecimento da Justiça americana de que o assunto é de outra jurisdição. Essa competência “internacional” é sobre o que trata o ‘capítulo 15’ da Lei de falências dos EUA.


Painel Telebrasil 2019
A 63ª edição do principal encontro institucional de lideranças do setor de telecomunicações e TICs acontecerá entre os dias 21 e 23 de maio de 2019, em Brasília. Saiba mais em paineltelebrasil.org.br
Veja o vídeo

Anatel propõe liberdade tarifária em chamadas de longa distância

Segundo a agência, consumidores têm amplas opções de serviço, a começar por ligações de voz sobre IP em diferentes aplicativos que usam a internet. Hoje a maior parte das teles oferece voz gratuita para vender o pacote de dados.

Marco de Telecom: CCT do Senado promete rapidez, mas quer ouvir presidente da Anatel

Os senadores da Comissão de Ciência e Tecnologia do Senado prometem uma votação rápida do novo modelo para o setor de Telecomunicações. Mas uma data para votação só deve ser definida na próxima semana, quando retorna de missão internacional a relatora do PLC 79/16, Daniella Ribeiro (PP-PB).

Anatel abre 90 dias para teles inscreverem suas inovações ao consumidor

Edital do Concurso Prática Inovadora nas Relações de Consumo nos Serviços de Telecomunicações 2019  prevê premiações separadas para pequenas e grandes empresas.

4G da Oi leva Internet e comunicação à estação brasileira da Antártica

Condições na base Comandante Ferraz - com ventos de até 200 Km/h e temperaturas recordes negativas - são inóspitas. Por vídeochamada, o comandante Geraldo Juaçaba e o diretor da Oi, Roberto Blois, falam ao Convergência Digital sobre o impacto dessa nova infraestrutura de telecomunicações na vida da base brasileira.




  • Copyright © 2005-2019 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G