INOVAÇÃO

STJ reconhece a validade dos contratos digitais para execução de dívida

Da redação ... 16/05/2018 ... Convergência Digital

Pela primeira vez, e em direção contrária ao que vinham determinando cortes estaduais, o Superior Tribunal de Justiça (STJ) decidiu nesta terça-feira que contratos digitais estão equiparados aos documentos físicos para o caso de execução de uma dívida, abrindo espaço para que bancos e fintechs acionem devedores mais rapidamente e, com isso, reduzam o custo de financiamentos e empréstimos.

Usados cada vez mais por bancos, fundos de investimento e previdência, os contratos digitais eram cobrados na Justiça em ações de conhecimento, cuja tramitação média chega a dez anos de duração, em vez de ações de execução, que podem levar até um ano quando o devedor possui recursos para honrar a dívida.
O caso em questão envolvia um recurso especial do fundo de pensão dos funcionários da Caixa Econômica (Funcef) e foi decidido por maioria pela 3ª Turma do STJ nesta terça-feira, 15/05.

Ao reconhecer a validade de contratos digitais, o STJ dá o primeiro passo para que acordos feitos por meio de aplicativos de celular ou pela Internet tenham o mesmo rito que documentos em papel com testemunhas e assinado pelo devedor, por exemplo, explicou Bruno Batista Lobo Guimarães, do Viveiros Advogados.

“A decisão do STJ caminha numa tendência de evoluir junto com as tecnologias que vem por aí”, apontou. “Por outro lado traz segurança jurídica não só para os consumidores, mas principalmente para instituições que ofertam crédito. Tendo mais segurança jurídica e caminhos menos tortuosos para buscar o inadimplente, a tendência é que o crédito fique mais barato no longo prazo.”

A inovação do STJ não tem caráter vinculante, o que permite a cortes estaduais não reconhecerem a validade de contratos virtuais automaticamente, ao mesmo tempo em que advogados podem usar o precedente do tribunal superior para buscar uma solução mais rápida para dívidas. A questão vai continuar em pauta no STJ. Depois de equiparar a validade de contratos físicos e digitais a um título executivo, que pode ser cobrado diretamente em ações de execução, futuras decisões do STJ devem delimitar os critérios para que um contrato digital tenha esse status, segundo Guimarães.


TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Lei de Informática: MCTIC atualiza regras para aporte de verba de P&D

Resolução da Secretaria de Políticas Digitais aponta regras gerais e específicas para Instituições de Ensino e Pesquisa, Centros ou Institutos de Pesquisa e Desenvolvimento, além de Incubadoras.

Inovação: A luta para transformar uma ótima ideia em um produto no Brasil

Em 2017, o projeto Meu Guia, voltado para dar autonomia a atletas cegos, ficou em 2º lugar em competição internacional. Até agora, não saiu do papel, mas a ideia evoluiu para outro produto, o smart viber.

Governo vai usar R$ 1 bilhão da Finep em saneamento, mobilidade e energia

Com conceito amplo do que vale como inovação, programa batizado Cidades Inovadoras promete linhas de financiamento descentralizadas aos municípios.

FAPERJ prioriza quitação de dívidas com startups

Diretor de Tecnologia da entidade de pesquisa, Maurício Guedes, lamenta o fato de o Brasil não ter conseguido, até agora, estabelecer uma conexão entre a Academia e comunidade empresarial.

Inovação determinou um novo modelo mental na área de TI

Para Fábio Moraes, CIO da Aliansce Shopping Centers, que tem sobre o seu chapéu 31 shopping centers com mais de 6000 lojas, a TI catalisa a pressão pela inovação. "E nem sempre a Tecnologia é quem puxa", observa.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G