Home - Convergência Digital

Jovens brasileiros temem ser descartados pela Tecnologia

Convergência Digital - Carreira
Convergência Digital - 17/05/2018

A Fundação Getúlio Vargas lançou uma pesquisa que tenta medir a relação dos brasileiros com a tecnologia. Chamado de Índice de Confiança Digital, ele nasce com a ideia de ser semestral e acompanhar como evolui essa relação diante de variáveis externas, sejam mudanças políticas, sociais, econômicas, ambientais ou mesmo tecnológicas.

“Acompanhar a mudança nesse indicador ao longo do tempo será uma fonte de informação importante para mapear quais fatores exercem força sobre a confiança digital e como esse fator pode indicar um comportamento no mercado como um todo”, explica o coordenador do MBA em Marketing Digital da FGV André Miceli, responsável pelo estudo em que se baseia o ICD.

O indicador varia de 1 a 5, sendo que 1 significa desconfiança e pessimismo digital, enquanto 5 representa plena confiança na tecnologia e otimismo. Ele parte de entrevistas realizadas com 1.158 pessoas em todas as regiões do país. “Os resultados serão publicados semestralmente comparando a variação do indicador com desempenhos de mercado, além de mapear qualitativamente os possíveis fatores que levaram a essa variação”, diz o trabalho.

O primeiro resultado diz que o índice de confiança digital dos brasileiros está em 3,92. Ou seja, segundo a FGV, o brasileiro, de uma forma geral, possui uma expectativa positiva em relação a tecnologia, tendo atingido 78% do valor desempenho total do indicador.

O estudo dividiu as reações em três grupos. O primeiro, mais otimista, é entendido como relacionado a “sentimento”, representado por respostas como “Eu espero sempre o melhor da tecnologia”, ou ainda “A tecnologia me ajuda a relaxar”.

Um segundo grupo reage com a sensação de ameaça. Estão aqui respostas como “A tecnologia me traz angústia e ansiedade”, ou ainda “Muitas pessoas vão perder o emprego em função da tecnologia”. E aqui o estudo verifica que os mais jovens e os mais idosos são os grupos em que a ameaça da tecnologia é mais evidente.

“Apesar dos jovens de 13 a 17 anos serem os que mais usam a tecnologia para relaxar, eles possuem 4 dos piores desempenhos das 7 perguntas do ICD. O que mais chama atenção é a sensação de angústia e ansiedade, que resulta no pior índice de confiança digital entre todas as outras segmentações por idade”, diz a FGV.

O exemplo vem da resposta de uma entrevistada de 13 anos: “Porque eu vejo as pessoas da internet, como no Youtube, fazendo um monte de coisa que eu nunca faço e aí eu me sinto assim. Eu não faço nada dentro de casa.” Já no outro extremo da pirâmide etária, os entrevistados com mais de 65 são os que mais concordam com a afirmação sobre o temor pelos empregos.

A pesquisa identifica, ainda, o que seria um terceiro grupo de respondentes. São os que enxergam especialmente oportunidades com a tecnologia. Por isso, a identificação com as respostas como “Estou mais perto dos meus amigos e parentes em função da tecnologia”, ou “A tecnologia vai criar oportunidades para as pessoas”.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

20/03/2019
Assespro: Governo tem a obrigação de assumir papel de indutor da TICs

19/02/2019
Adriano Meira Ricci assume BB Tecnologia. Jacson Barros comanda DATASUS

21/09/2018
ITA vai capacitar servidores da Anatel em Big Data, Analytics, IoT

19/09/2018
Cada US$ 1 investido em tecnologias digitais adicionou US$ 20 ao PIB

10/09/2018
Empregos em TI dobram em 10 anos e passam de 500 mil no Brasil

17/08/2018
Uber promete investir R$ 250 milhões no Brasil em cinco anos

31/07/2018
Assespro: 44% das empresas de TI cresceram até 25% em 2017

24/07/2018
Brasil tem 117 startups de Tecnologia da Informação

16/07/2018
Apenas 15% dos graduados no Brasil são da área de Tecnologia

13/07/2018
Governo vai adotar índice próprio para corrigir contratos de TI

Veja mais artigos
Veja mais artigos

O futuro do trabalho colocado à prova

Por Luiz Camargo*

Novas profissões exigem também novas habilidades para acompanhar a revolução digital. Os novos empregos certamente irão demandar habilidades analíticas, matemáticas e digitais, com um toque de neurociência.

Destaques
Destaques

STF anula decisão do TST e reforça valor legal da terceirização

Decisão aconteceu em uma ação de uma atendente contratada pela Contax, prestadora de serviços de call center, para atuar como terceirizada na Telemar Norte Leste.

Mais de 60% dos brasileiros estão infelizes, mas têm medo de mudar de emprego

Estudo da Brands2Life, com o LinkedIn, traz um dado assustador: 80% dos brasileiros não se candidata para a vaga de trabalho que gostaria. Cerca de um terço dos profissionais deixa de se candidatar a uma nova vaga por falta de confiança na sua própria capacidade.

Serviços de TI e de Telecom podem ser 100% terceirizados no Governo Federal

Também foi incluída na lista divulgada pelo governo Federal o serviço de teleatendimento. Decisão está publicada na portaria 443/2018.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV

Copyright © 2005-2015 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site