INCLUSÃO DIGITAL

Juiz de Fora, MG, é número 1 na oferta de serviços digitais em ranking das teles

Luís Osvaldo Grossmann ... 22/05/2018 ... Convergência Digital

Na terceira edição da avaliação anual dos municípios que favorecem a implantação de infraestrutura de telecomunicações, as operadoras de telecomunicações expandiram o ranking de cidades amigas da banda larga para também avaliar aquelas que oferecem serviços digitais aos cidadãos.

“Pegamos os 100 maiores municípios e levantamos quais os serviços de cidades inteligentes que eles tinham, especialmente em mobilidade urbana, governo eletrônico, educação e saúde, meio ambiente. São aplicativos de estacionamento, transporte, marcação de consultas, coleta de lixo,  semáforos inteligentes, prontuário eletrônico. São coisas diretamente relacionadas à infraestrutura, pois é a existência das redes que possibilita a oferta de serviços digitais”, afirma o presidente da consultoria Teleco, Eduardo Tude, responsável pelos rankings, ao participar nesta terça-feira, 22/05, do Painel Telebrasil 2018, em Brasília.

O resultado é que a mineira Juiz de Fora a cidade número um desse novo ranking. Com pouco mais de meio milhão de habitantes, o município tem 719 mil acessos mensais de seu sistema de transporte, 208 emissões de boletos, 180 mil prontuários médicos, 10 mil usuários do app de limpeza urbana, além e 66 câmeras de vigilância.

As dez primeiras cidades desse ranking incluem ainda o Rio de Janeiro, Uberlândia, Santos, Belo Horizonte, Jundiaí, Cascavel, Campinas, Campo Grande e Fortaleza. Para a Teleco, o ranking permite que os municípios verifiquem a sua posição em relação aos demais e identifiquem os pontos que requerem aprimoramentos, de modo a tornar suas cidades mais inteligentes.

Em linha semelhante, a consultoria apresentou a terceira edição do ranking de cidades amigas da internet – ou seja, aquelas municipalidades que melhor ajustam suas leis e práticas de gestão para licenciar a instalação de novas infraestruturas, notadamente antenas de celular. A também mineira Uberlândia segue firme no primeiro lugar pelo terceiro ano consecutivo.

Neste são dadas notas às cidades com base em restrições, burocracia, prazo e onerosidade para a implantação da infraestrutura, com peso maior para as ERBs, para as restrições e para o prazo de licenciamento. “Uberlândia segue a única cidade no país que respeita o prazo legal de dois meses para o licenciamento de antenas”, afirma Tude.

Além da primeira colocada, as cidades de Várzea Grande, Rio Branco, São José dos Campos, Guarulhos, Duque de Caxias, Rio de Janeiro, Palmas e Cascavel completam as 10 primeiras posições do ranking de 2018. No fim da lista, a capital do país, Brasília caiu para a última posição, logo depois de São Paulo. Contagem, Fortaleza, Ribeirão Preto, São José do Rio Preto, Campina Grande, Belo Horizonte, Londrina e Feira de Santana estão nas posições de 98 a 91.

Principais mudanças foram no meio da lista. Ponta Grossa, no Paraná, avançou 20 posições porque adotou uma nova legislação municipal. Mas o aspecto legal não é tudo. “Não basta apenas revogar tudo e adotar a Lei Federal. É necessária estrutura, um processo capaz de analisar autorizações no prazo legal de dois meses. E ainda tem a questão dos custos adicionais. Porque ainda têm cidades que querem renovação anual, por exemplo”, afirma o presidente da Teleco.


Carreira
Reajuste salarial de trabalhadores de TI de São Paulo ficou em 2,07%

Depois de quase um ano de divergência, patrões e empregados de TI de São Paulo fecharam um acordo de dissídio coletivo no Tribunal Regional do Trabalho. Jornada de 40 horas foi mantida na Convenção Coletiva de Trabalho 2018.

TICs em Foco - TRANSFORMAÇÃO DIGITAL
Prever. Prevenir. Detectar e Responder

Essas são a exigência da remodelagem da gestão de riscos e da segurança organizacional nas corporações.

Parceira da Telebras amplia WiFi via satélite no México para áreas urbanas

Dois anos depois de começar a explorar banda larga satelital em áreas remotas do país, como promete fazer no Brasil, a empresa americana Viasat anuncia conexões de 100 Mbps e preços para competir com internet fixa.

CPFL: É preciso predisposição para se ter um consenso no uso dos postes

"Não é fácil, mas é preciso existir um alinhamento. Estão todos do mesmo lado", diz o diretor da CPFL, André Luiz Gomes.

Swap de fibras é mandatório para levar banda larga em regiões desassistidas

Compartilhamento de infraestrutura é essencial para reduzir custos e definir modelos de negócios nas cidades onde as teles não investiram, observa o CEO da UmTelecom, Rui Gomes.

Brasil precisa quebrar barreiras para ter um governo único digital

"O cidadão é o mesmo no município, no Estado e no governo federal. Tem de existir um atendimento único. Não pode ter briga com as Prods. Esse é o nosso desafio", afirma o diretor de Operações do Serpro, Iran Porto.

Telebras considera preços defendidos pelo TCU como 'sugestão', não como 'obrigação'

Presidente da estatal, Jarbas Valente, espera concluir negociações com a Viasat antes do prazo de 90 dias determinado pelo Tribunal.

TCU libera GESAC, mas exige mudanças no contrato entre Telebras e Viasat

Tribunal de Contas reconheceu como válida a inexigibilidade de licitação pela Telebras. Também entendeu como legal o acordo firmado com a Viasat, mas exigiu uma renegociação de condições financeiras mais favoráveis.



  • Copyright © 2005-2018 Convergência Digital
  • Todos os direitos reservados
  • É proibida a reprodução total ou
    parcial do conteúdo deste site
    sem a autorização dos editores
  • Publique!
  • Convergência Digital
  • Cobertura em vídeo do Convergência Digital
  • Carreira
  • Cloud Computing
  • Internet Móvel 3G 4G