Home - Convergência Digital

Huawei fecha acordo com Positivo para voltar a vender celulares no Brasil

Convergência Digital - Carreira
Luís Osvaldo Grossmann - 06/06/2018

Cinco anos depois da primeira tentativa, a Huawei vai voltar a apostar na venda de smartphones no Brasil. A fabricante chinesa anunciou nesta quarta, 6/6, um acordo com a brasileira Positivo, que primeiro vai importar e comercializar os aparelhos, mas com planos de trazer a montagem também para o país.

“O custo ainda é alto para fabricação [no Brasil]. Viremos passo a passo. Vamos tentar introduzir os produtos aos consumidores. Se os brasileiros gostarem muito, vamos para o próximo plano”, afirma o chefe de desenvolvimento de equipamentos da Huawei no Brasil, Adam Ersong. E o que seria uma indicação de que os brasileiros gostaram? “Se conseguirmos pelo menos 1% de market share no primeiro ano, pode acontecer”, completa.

O anúncio fez parte das comemorações de 20 anos da chegada da fabricante chinesa no país. E marca uma virada importante nos negócios da empresa. Segundo seu chairman global, Liang Hua, este ano, pela primeira vez, as receitas com produtos de consumo, dos quais os smartphones são o carro-chefe, serão superiores ao faturamento com equipamentos de rede.

A Huwei vendeu 153 milhões de celulares em 2017, o que representou 8,8% do mercado mundial de aparelhos. Para 2018, projeta uma fatia um pouco maior, de 11,3%. A empresa já é a terceira maior no ramo, atrás apenas da coreana Samsung e da norte-americana Apple. E parte para uma estratégia que inclui as vendas no Brasil para tentar tomar o segundo lugar da dona dos iPhones.

A meta indicada pela Huawei significa conseguir vender 500 mil aparelhos no primeiro ano. Em princípio chegarão o celular top da fabricante, a linha P20, e um intermediário, da linha chamada ‘nova’. Da parte da Positivo, que já atua na revenda de aparelhos de entrada, há uma clara confiança de que a ‘fase 2’ virá em breve.

“Nesta primeira etapa temos o licenciamento pela Positivo. Vamos trabalhar na criação e percepção dessa marca pelos brasileiros. São produtos muito premium, um segmento que ainda não atuamos porque estamos mais colocados em produtos de entrada. Mas existe um plano de médio-longo prazo. Nosso objetivo é sermos os fabricantes”, revela o vice-presidente de mobilidade da Positivo, Norberto Maraschin Filho.

A expectativa da Huawei e da Positivo é que os aparelhos comecem a ser vendidos em agosto, no máximo em setembro deste 2018. Os executivos não quiseram adiantar qual será o preço dos produtos no Brasil, mas dão pistas de que são aparelhos, como o P20, que virão competir com as linhas premium da concorrente Samsung. Na Europa, onde já foi lançada, essa linha top está na casa dos 800 Euros, ou coisa de R$ 3,5 mil.

Enviar por e-mail   ...   Versão para impressão:
 

LEIA TAMBÉM:

18/02/2019
Agência de espionagem do Reino Unido diz que contorna riscos de backdoor da Huawei

13/02/2019
Huawei reage e sugere abertura de códigos-fonte para todos os fabricantes 5G

11/02/2019
Guerra comercial entre EUA e China derruba Apple

11/02/2019
EUA vai banir Huawei e sugere cortar parcerias com quem não imitar

14/01/2019
Dólar valorizado travou a venda de smartphones no Brasil

28/12/2018
Huawei, apesar da pressão dos EUA, fechou 26 contratos de 5G

05/12/2018
Britânica BT vai excluir equipamentos Huawei da sua rede

28/11/2018
Nova Zelândia engrossa lista e bane equipamentos da Huawei

23/11/2018
EUA pressionam aliados a banirem chinesa Huawei

09/11/2018
Huawei supera Apple e se sustenta na 2ª posição do mercado de smartphones

Destaques
Destaques

IDC: Empresas brasileiras fazem mais do que falam sobre Internet das Coisas

A indefinição regulatória pesa, assim como a tributária, mas muitas corporações estão colocando os seus projetos na rua, diz Pietro Delai, gerente de consultoria e pesquisa da consultoria. No Brasil, negócios de IoT devem movimentar US$ 9 bilhões em 2019, ou R$ 30 bilhões.

Projeto de inovação usa 4G em 450 Mhz para Internet das Coisas

Seis startups foram selecionadas para iniciativa Agro IoT Lab 2018, voltada para a transformação digital do agronegócio, da Vivo, Raízen e Ericsson.

Veja mais vídeos
Veja mais vídeos da CDTV
Veja mais artigos
Veja mais artigos

Desvende 10 mitos sobre os cartões biométricos

Por Cassio Batoni*

Como toda nova tecnologia, os questionamentos sobre a sua segurança e e a sua confiabilidade ainda existem e são compreensíveis, mas ela veio para ficar. A impressão digital surge como a confirmação principal de que o usuário é quem diz ser.


Copyright © 2005-2019 Convergência Digital ... Todos os direitos reservados ... É proibida a reprodução total ou parcial do conteúdo deste site